7 de nov de 2013

Drummer Girl - capítulo 06

Justin narrando
- Mãe, já chega! – bufei irritado. Eu odeio me alterar com minha mãe, mas ela ama mais a Summer do que eu mesmo. E ela a conheceu hoje.
- Desculpa, mas vai me dizer que você não a achou legal? – perguntou com um sorriso pequeno.
Dei de ombros e subi para meu quarto.
Ter uma garota na banda era uma coisa inédita. Antes a banda se chama “The Heroes”, mas agora será que ela ia fazer chamar “The Barbies”? Não sei se Barbie já foi baterista, mas aquela vagaba não para em um emprego, então já deve ter sido.
Fora que ela é bonita. Garotas bonitas são burras. É a lei da vida.
E ela também vai estragar nossas reuniões falando de maquiagem, roupas e garotos. Será que ela também ia querer tocar One Direction?!

Antes que eu ficasse louco com esses pensamentos, peguei meu violão. Isso sempre me acalma. Sempre. 
Summer narrando
Chaz me levou de carro até lá e eu o agradeci, depois combinamos de ele passar de manhã para me levar a escola. Eu aleguei que a escola era a dois passos da minha casa, porém ele disse que ia vir me buscar e ficou por isso mesmo.
Sorri e entrei na minha casa com cheiro de cookies e de tinta fresca. Minha mãe estava trabalhando em algum quadro, claro. Ela estava sentada no sofá verde escuro e com a expressão nada boa no rosto. O chá que ela estava tomando estava em cima da mesa de centro, o que deixava a cena um pouco sombria.
- Oi mãe. – sorri.
- Sente-se. – disse ela com firmeza e assim o fiz. – Onde você estava?
Senti minhas bochechas queimarem e engoli em seco.
- Eu... est-estava... – gaguejei. Era lógico que ela já sabia. Quero dizer, ela não sabia onde eu estava, mas já sabia onde não estive. Mentir não era mais uma opção. Na verdade, para minha mãe, mentir nunca foi uma opção.
- Sem mentiras, Summer De La Rue.
- Mãe... – suspirei – Eu...
- Sem enrolar Summer. Eu só te fiz uma pergunta. – sim, foi apenas uma pergunta, mas o tom de voz cortante e o semblante enfurecido me causavam um impacto tremendo.
- Eu estava na casa de um amigo. – tentei ser firme, mas minha voz teimava em falhar.
- Fazendo o quê? – questionou com as sobrancelhas ligeiramente erguidas.
- Havia um teste para entrar para uma banda. A vaga era de baterista e era minha única chance. – fui sincera. – Eu passei no teste. – sorri forçada e tentei aliviar o clima.
- Você mentiu para mim. – falou minha mãe novamente. Eu não escaparia dessa discussão tão fácil.
- Mãe... – tentei argumentar.
- Summer, vai para o seu quarto! – ordenou ela, com o tom de voz mais rude ainda.
E eu já sabia o que isso significava: não quero ver sua cara hoje. Eu sei que eu menti. Foi uma mentira inofensiva para mim, mas não para minha mãe pelo visto. Aliás, por que eu pensei que seria? Minha mãe não tolera mentiras por causa de meu pai, se é que posso chama-lo assim...
- Não é fácil para mim também, sabia?! – droga de voz que não para de falhar.
- Vá para o seu quarto, Summer! – gritou minha mãe.
- Não é você que tem que mudar de escola no último ano, não é mesmo?! – ri ironicamente.
- Você vai sair daquela banda. – falou minha mãe, me encarando fria e calculadamente.
- Ótimo. Assim você acaba de tirar a última coisa que me faz feliz. – falei e olhei para ela, desejando que ela visse tudo o que eu tinha preso na alma.
Dizem que os olhos são as janelas da alma, não é? E eu e minha mãe sempre tivemos essa conexão, do tipo que um olhar diz mais que palavras. E então me surpreendi.
Seus olhos não transmitiam mais o ódio e nem me fuzilavam. Apenas duas lágrimas caiam, me deixando paralisada por um momento e me fazendo correr até meu quarto mais rápido do que a luz.
Fechei a porta e depois me escorei nela com a respiração descompassada. Logo que vi aqueles olhos verdes transbordando dor na minha mente, escorreguei até ficar apoiada nos calcanhares.
Eu nunca me cortei, mas naquele momento não vou deixar de admitir que a ideia passou pela minha cabeça. Porque um monstro como eu merecia sim um pouco da dor, nem que fosse física ao invés da emocional.
Porque eu fiz meu anjo chorar e eu merecia morrer por causa disso.
(...)
Depois da minha merecida crise, destranquei a porta e deixei-a escancarada. Mas ela não veio. E não viria tão cedo. Isso Summer, agora você é oficialmente uma idiota.
Peguei meu cubo mágico e sentei na cama encostando as costas no travesseiro. Tentei resolver aquele negócio, sem sucesso. Eu sempre tento resolvê-lo quando não tenho para fazer...
Babaquice.
- Você está triste? – perguntou a voz de Pedro.
Precisei olhar para baixo para enxergá-lo. Pedro é o meu irmãozinho, de apenas cinco anos, de cabelos castanhos e olhos na mesma tonalidade. E eu o amo. Mais do que tudo.
- Não estou. – menti e forcei um sorriso – Por quê? – perguntei fingindo interesse.
- Porque você está com o cubo. – disse ele e ainda emitiu um “dã” para mim enquanto eu permanecia quieta. Cubo? -Meu Deus – levantou as mãozinhas para o alto – Será que eu vou ter de te explicar tudo? – bufou visivelmente irritado.
- Vai ter sim, Pedro. – disse confusa e segurando o riso diante de sua irritação.
- Olha, quando você briga com alguém você pega o cubo. Porque te distrai e você tenta resolver o cubo ao invés de seus reais problemas! – falou e cruzou os bracinhos.
Tudo bem, agora meu queixo deve estar lá no umbigo. Porque tudo faz sentido.
Quando eu discuto com alguém eu tento resolver o cubo. E isso ocupa minha mente por um tempo, mas então me estresso e vou tentar resolver o problema do qual fujo. O cubo representa os outros problemas do mundo, problemas que mesmo se eu tentar eu não resolverei, problemas que não fui eu que criei. Problemas sem soluções (como o cubo para mim!) e que são maiores do problema que eu fugi (porque para mim o cubo é impossível de se resolver).
Quando eu pego o cubo eu já sei que ele não tem solução enquanto o outro problema pode ser resolvido com menos esforço!
- HEIN SUMMER! – chamou meu irmão.
- O quê? – perguntei ainda com a cabeça no cubo.
- Eu fui para a escola hoje. – sorriu e aquilo despertou minha atenção.
- E o que você achou? Senta aqui. – indiquei o lugar vago na cama bem na minha frente.
- Ah. Um monte de coisa. – disse se sentando no estilo indiozinho.
- E você quer me contar?
- Não. Outro dia te conto. – disse e deu um bocejo longo.
- Ok. Vai dormir então, sapequinha. – falei e dei um beijo longo na sua bochecha gordinha.
- Eca Summer! – reclamou fazendo bico – Que nojo! Ta parecendo a vovó. – ele me olhou indignado e eu mandei alguns beijos no ar, fazendo com que ele corresse.

Coloquei o cubo em cima da prateleira que peguei. Sabia que não queria tocá-lo por um bom tempo. E com o coração na boca, já sabia o que eu deveria fazer, e isso não seria nada fácil. 

---------------------------------------------
Gente, oi! Assim vocês me matam de felicidade hueheueh (essa risada é esquisita, né? mas eu gosto, enfim), 14 comentários, tipo, oi? Sério, vocês são incríveis - e não to falando só para vocês comentarem mais, viu? É que comentar dá uma preguiça que às vezes eu só leio mesmo #prontofalei. Mas se eu soubesse que faz tão bem eu teria comentado mais. Faz tempo que não leio fanfic, alguém tem uma boa para me indicar? Se tiver alguém novo no blog eu recomendo que leiam todas as que ainda estão no ar, porque foi feito uma reforma e a Ally tirou algumas. Ahn, deixa eu ver...

O que acham de eu postar uma fic totalmente diferente de Drummer Girl em outro blog? O blog é meu mesmo, mas eu nunca postei nada até agora. É só que eu não quero tumultuar o imagine-belieber e confundir a cabeça de ninguém - inclusive a minha. Camp Idol é sobre Lizzie, e bem ela é o oposto de Summmer. Só vou dizer isso... Mas agora a pergunta que mudará tudo: SIM OU NÃO? Vocês leriam? 

Deixem nos comentários!

Beijos de uma super feliz,
Audrey.

13 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. ameeei continua!!
    (o detalhe do cubo foi muito bom)

    ResponderExcluir
  3. A-M-E-I, summer divaa, amei a parte do cubo e heey, me manda o link do seu blog pode ser ? bjs

    ResponderExcluir
  4. É claro que eu iria ler!!!
    Me manda o link??
    CONTINUA LITTLE DIVA!!!
    -Hayley

    ResponderExcluir
  5. tudo a ver esse negocii do cubo. adorei o capitulo, continuaa ! Ah, e eu adoraria ler outra fic sua ;)

    ResponderExcluir
  6. Continuaaa !! this is perfect !!!
    Leitora nova !!

    Nicoli

    ResponderExcluir
  7. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH CONTINUA PELO BIEBER AMADO!!

    ResponderExcluir
  8. SE EU LERIA VC TA DE BRINKS É OBVIO EU SOU VICIADA EM FANFIC E CONTINUA ESSA BJS :*

    ResponderExcluir