24 de fev de 2013

You Make Me Believe In Love - Confusão (Parte 1)



                                               You Make Me Believe In Love - 13º  Capítulo 



P.O.V Blair Connor


 Acabada. Destruída. Era assim que eu me sentia. E só de pensar que todos aqueles telefonemas que eu não podia escutar podiam ser dela, daquela garota. Da garota da foto.

Já haviam se passado exatamente dois dias, depois de eu bater a porta na cara do Justin e jurar nunca mais querer vê-lo.

- Blair? - Mamãe disse batendo repetidamente na porta.

- O que? - Perguntei ainda meio sonolenta.

- Pensei que tinha morrido aí. - Era para ter graça, mas ela não riu. - Venha tomar café.

- Não quero. - murmurei.

- Não acredito que ainda está assim pelo o que aconteceu..

- Você não viu as fotos mamãe. - "Eu as queimei antes que visse" - pensei. Ainda discutíamos de porta fechada.

- Não importa, a vida não para querida.

- Me deixa um pouco ta mãe?

- Amanhã você não falta na escola. Não mesmo.

- Tudo bem. Só peço que me deixe hoje. - Eu disse calma, enquanto voltava a deitar, escutando passos de mamãe nas escadas.


                                                                             [...]

- Argh, esse quarto está um horror. - Caitlin disse com a voz fina, entrando no mesmo.

- Boa tarde  pra você também.

- Ai amiga, sua situação está deplorável. - Ela disse se sentando ao meu lado.

- E quem liga?

- Eu ligo. - Ela suspirou. - Olha esse cabelo, essas unhas e essas olheiras. - Ela me olhou com cara de nojo.

- Desde quando você liga para isso? 

- Desde quando eu me importo com o baile, que será nesse sábado, depois de amanhã.

- Baile? - Eu indaguei. - Nunca vou ao baile.

- É. Mas.. você irá ao baile, está tudo combinado.

- Par? - Perguntei decidindo não discutir com Caitlin.

- Adam.

- O nerd bonitão? - Nós rimos.

- Olha só, você já está sorrindo. - Ela deu uma pausa - Agora levanta daí. - Disse me empurrando.

- Perdi muita coisa no colégio?

- Nada demais. - Ela riu. - Relaxa, baby. 

- Eu bem que queria relaxar. Caitlin, você já foi traída? - Eu perguntei a fazendo arquear uma sobrancelha. 

- Não. - Ela sibilou.

- Então nunca vai entender o que estou sentin..- Minha fala foi cortada pelo meu celular que apitava pela milésima vez, indicando uma mensagem.

- Posso ver? - Ela perguntou.

- Não se atreva. - Ao terminar a frase era tarde demais. Ela já estava com os olhos grudados na tela do meu celular.

- Justin, é o Justin. - Eu revirei os olhos, como se dissesse "Não me diga."

- O que está escrito? - Eu perguntei sem ânimo nenhum.

- "Hey, você não está lendo minhas mensagens, certo? Se está lendo e não responder eu entendo..só quero que saiba, eu não fiz nada de errado. Não faria nada para te ver mal, princesa. Eu te amo." - Ela disse lentamente, como se me torturasse. 

- Que idiota. - Eu disse finalmente me levantando da cama e indo arrancar meu celular das mãos da Caitlin.

- Espera aí.. - Ela afastou o celular de mim.- Caraca.. cinquenta mensagens? Ele te mandou cinquenta mensagens, e você não leu nenhuma.

- Hello! - Eu estalei os dedos em frente ao seus olhos. - Eu fui traída. Traída. T.r.a.í.d.a. - Eu repeti varias vezes, tentando me conformar e ao mesmo tempo, só me machucando mais.  
- Essas mensagens idiotas, não ajudariam em nada. Não vou voltar para os braços dele, como muitas fariam. - Completei.

- Ele parece estar arrependido por algo que não fez. - Ela disse pensativa. - Enfim, vamos falar do baile? - Ela disse batendo palminhas. - Tem espaço para mim nesse muquifo?

- Sempre tem. - Nós rimos.




P.O.V Justin Bieber


E se eu dissesse que estava sem chão?

Eu me sentia completamente perdido longe dela. Ela me fazia bem demais. Me fazia esquecer a parte cruel: A parte em que separariam ela de mim. E isso estava próximo demais.

Eu sentia que se ficasse longe dela, ela não estaria segura.

Realmente não sei como isso foi acontecer. Simples fotos estragaram nosso futuro juntos, fotos que eu nem sei como foram tiradas.

Enviei várias mensagens para ela, e provavelmente ela não leu nenhuma, ela não saiu de casa. Eu a observei durante um tempo, a outra parte do tempo eu estava procurando a causadora de tudo isso : Emilly. 

Porque diabos aquela garota tinha que me beijar?

- Filho? - Minha mãe disse me despertando.

- Oi mãe. - Sorri de lado.

- Está tudo bem?

- Tudo sim.

- Tem certeza? Não quer comer nada?

- Não mãe, obrigado. Já estou de saída.

- Mas já?

- Sim, tenho que estar em frente ao Sunset agora. - Eu disse consultando meu relógio. 

Depositei um beijo na testa da minha mãe e saí em direção ao Sunset, novamente. 

Eu não sei desde quando minha vida se tornou assim. Antes eu queria que tudo acabasse rápido, agora eu só quero ser feliz com ela.

Pelos meus cálculos, Emilly estaria em frente ao Sunset em poucos minutos. Procurei aquela v*dia, por todos os lugares, ela me evitava. Se ela me evitava era porque tinha algo á esconder.

Logo a avistei, e corri ao seu encontro. Ela levou um leve susto ao me ver, antes que pudesse correr eu a segurei no pulso.

- Está me machucando, idiota. - Ela disse nervosa.

- Não mais do que você machucou minha Blair.

- Do que está falando?

- Como se você não soubesse.

- Olha só, eu não tenho nada a ver com isso.

- Isso? - Indaguei. - Então sabe muito bem do que estou falando. - Suspirei. - Não vou te soltar até confessar tudo, tenho tempo.

- Não se eu gritar.

- Não fará isso. - Eu disse a apertando mais.

- Ta bom, vou contar tudo. Porque eu amo você.

- Me poupe. - Eu disse. - Fala logo.

- Foi tudo plano do Jake.

- O QUE? - Gritei fazendo algumas pessoas na rua nos olharem.

- Isso mesmo, anjinho. - Ela riu fraco. - Fui paga para isso. Para te beijar.

- O que ele quer ganhar com isso?

- Pelo o que eu entendi, você não quer sequestrar a namorada de mentira, não é mesmo? 

- Prossiga. - Eu disse furioso.

- Ele me disse que a quer, Justin. Você está atrasando tudo, é uma pedra no caminho. Jake descartou você do baralho, apenas ele e ela estão no jogo agora.

- Ele te falou mais do que pretende fazer?

- Eu fiz com que vocês terminassem, ela está insegura, pronta para ser capturada. Jake disse que o jogo não acaba aqui. - Ela deu um tranco em seu braço, me fazendo soltá-la. - Só sei disso..passar bem! 



Eu estava estático.   Então o plano era esse?



Eu precisava descobrir qual era o próximo passo de Jake, e precisava descobrir logo.





                                  



CAPÍTULO PEQUENO? EU SEI, GIRLS.
MAS NÃO SEI SE PERCEBERAM O "PARTE 1" LÁ EM CIMA.

Caps Lock desligado, okay.

Como vocês estãaaaaaaaao?
Eu to ótima, agora.

Bom, só tenho que agradecer vocês, mesmo.

Obrigada por tudo, vocês são demais.

Vocês me fizeram voltar a escrever.


A fic está no final, porque eu não quero atrasar nada, também pelos conflitos pessoais e tal. Não queria que acabasse rápido, mas eu necessito.

Anyway, aquelas coisas que eu disse, eu estava muito chateada, não só por causa dos comentários negativos. Vamos conviver com isso a vida toda.


Tem mais pessoas querendo que eu escreva, do que querendo que eu pare.

Sinto muito pela Carol ter saído do blog, ela é uma diva.

ME DIGAM O QUE ACHARAM, O QUE VAI ACONTECER E TALS, BELEZA?
OBREGADA LINDAS.

ATÉ BREVE.



BEIJOS DA BRUBS :*


23 de fev de 2013

Never say never, bitch!



O que todos diriam depois que descobrissem? Será que pediriam desculpas? Iriam agir como babacas ou iriam ficar sem acreditar no que estavam vendo? Provavelmente todos iriam agir de um jeito diferente.

A garota ligou para uma antiga colega da escola. “Preciso de sua ajuda, pode me emprestar sua chácara?” Havia pedido. A colega concedeu esse pedido depois que a garota explicou o que realmente estava planejando. “Vai ser engraçado” disse ela.

E então ela resolveu fazer um churrasco, iria ser uma despedida, mas ninguém sabia ainda. Convidou alguns amigos e convidou também aqueles que sempre duvidaram dela e de seus sonhos. O lugar não era muito grande, porém bem aconchegante, era sempre legal estar lá. Havia uma pequena casa, algumas plantações de frutas e também piscina e uma enorme mesa de madeira. Levou as coisas para lá e preparou tudo para o dia seguinte. Um típico sábado de verão. Alguns amigos inclusive a colega que era dona da chácara iriam ajudá-la nas comidas.

Mas havia uma coisa, ou melhor, um quem. Esse quem era uma pessoa especial que ela conhecera há alguns meses, uma pessoa que nenhum dos amigos poderia imaginar. A garota se tornara fechada desde o fim do Ensino Médio. Ninguém sabia praticamente nada sobre sua vida, onde estava ou o que fazia. Mas aquele dia iria ser realmente ótimo. Com 19 anos recém completados, naquele dia ela iria surpreender a todos os amigos, os que duvidaram dela ou não. Quando convidara os amigos insistiu para que todos fossem, disse apenas que era importante e que havia uma surpresa para todos.
Como o planejado, ela dormiu na chácara. Junto com seu amigo misterioso. Era engraçado pensar assim, ela era a misteriosa e não ele.

Acordou mais cedo e deixou o garoto dormindo mais um pouco enquanto começava com os preparativos. Sara - sua colega e dona da chácara - chegou pouco depois para ajudar e trouxe dois amigos. Entre eles havia um que ela iria adorar ver sua reação depois das surpresas.

Prepararam tudo e cerca de dez da manhã se sentaram para conversar e esperar os outros convidados.

“Liz?” “Onde você está?” A garota ouviu o amigo chamar e era mais que óbvio que ele já havia acordado. Pediu licença aos amigos que a olhavam confusos um para os outros e saiu trocando um breve olhar cúmplice com Sara. “Meu amigo.” Explicou.

Todos ficaram curiosos, obviamente. Acompanharam ela com os olhos e como a porta que dava para a sala de entrada estava aberta, puderam vê-la sendo puxada. Um deles, Cam, havia notado que usava boné, e tinha algumas tatuagens. Não sabia quem era ele, mas tinha a impressão de que o conhecia de algum lugar. Logo percebeu que o tal amigo não era exatamente um amigo. Antes de desviar o olhar pôde ver que ele a beijava. Foi quando ele voltou a atenção para o que Sara e seu outro amigo, Luke, conversavam.

Alguns minutos depois, a garota voltou segurando a mão do seu amigo (ou não). Ele usava o boné agora com a aba para trás. E então eles reconheceram. Ficaram estáticos, a garota teve vontade de rir.

“Oi.” Jus cumprimentou. E então, todos começaram a [tentar] agir normalmente. Cam olhou para Liz e ela tinha um sorriso brincalhão no rosto. “Você deve ser Cam. Liz me falou sobre você.” Disse e após os cumprimentos, abraçou a menina por trás, pela cintura. Era visível que ambos sorriam felizes.

“Essa era a surpresa?” Cam perguntou com um olhar sarcástico.

“Parte dela. Mas o resto dela só irá descobrir quando todos estiverem presentes.” Disse ela sorrindo.

“Amor, vou para a piscina.” Jus sussurrou e beijou seu rosto, indo em direção a piscina para voltar minutos depois quando alguns outros convidados chegavam. Ele tinha achado divertido o plano da namorada. Sim, namorada. Ele a amava e estava feliz de que por alguns meses poderiam estar mais perto antes dele voltar a trabalhar.

Enquanto ele estava na piscina os outros continuavam a conversar.

“Há quanto tempo vocês estão juntos?” Luke perguntou.
“Alguns meses, conheci ele enquanto viajava para resolver as coisas da faculdade. Cam, você está muito quieto.”
“Você notou?” Ironizou. “Posso falar com você um minuto?” Perguntou e a menina assentiu. “Abre o jogo, Liz.”
“Porque não trouxe sua namorada?”
“Não interessa. O que esse cara está fazendo aqui?”
“Bem, ele veio conhecer minha família. Justo, não acha? Meus pais têm o direito de saber que a filha deles está feliz com a pessoa que a faz feliz. E não, antes que você e muitos falem, não é por dinheiro. Eu estou indo viajar com ele, e irei começar a estudar na UCLA. Pois é, eu consegui. O que todos ou pelo menos a maioria, como você, duvidavam. Acharam-me tão ingênua, mas e agora?”

Jus vira o exato momento em que sua garota saiu para conversar com aquele tal de Cam que ele conhecera há pouco. Ele tinha ideia do que estavam conversando, ela havia falado para ele que isso iria acontecer. Ele não queria ser ciumento, mas já começara a se sentir assim, ainda mais quando viu que os dois se abraçavam. Ele a abraçara.
‘O quê? Tire agora suas mãos da minha garota. ’ Pensou já sentindo sua raiva crescer. Novos convidados haviam chegado e ele resolveu ir até lá avisá-la. Ou era apenas para dizer ao cara que ela já tinha dono? ‘Tanto faz. ’ Pensou.
“Ei, amor.” Disse chamando a atenção dela que sorriu ao vê-lo. “Os seus outros amigos chegaram.” Quando ele falou Cam deu um pequeno risinho. Simplesmente porque percebera finalmente que ele não era tão babaca quando pensara e que realmente gostava de sua amiga. Jus estava com ciúmes.

[...]

Horas mais tarde, todos já sabiam de tudo. Alguns ficaram surpresos, outros nem tanto. Havia aqueles que acreditaram e botaram fé nela antes de tudo acontecer. Iriam ficar mais uma semana na casa dos pais dela e depois iriam passar um tempo viajando. Jus a convencera disso falando para todo mundo antes mesmo de falar com ela. Agora era tarde demais para ela recusar.

No momento atual, ela estava com o namorado do lado mais reservado na área da casa, um pequeno corredor, onde eles podiam ficar a sós por um tempo. Não havia muitos amigos na chácara, alguns já haviam ido embora. Mas de alguma forma ela pressentiu que aqueles que restaram lá, iriam aprontar algo com eles.

O casal se beijava ardentemente, mal se tocaram durante todo o dia e ambos estavam com saudades um do outro. Resolveram então aproveitar o pouco tempo que restava daquele dia. Ela segurava em seus braços nus enquanto a mão boba dele invadia sua blusa acariciando suas costas e barriga. Pararam um pouco para recuperar o ar, ele dava pequenos beijinhos no pescoço dela, causando cócegas, propositalmente, fazendo com que ela risse. Logo suas bocas estavam novamente coladas, assim como seus corpos, ambos sorriram durante o beijo. E não se importaram quando um pequeno coro de ‘X’ ecoou do outro lado. Uma foto. 
Pararam aos poucos de se beijarem e viraram um pouco envergonhados para os amigos que riam e tiravam sarro deles. “Arrumem um quarto!” Cam gritara.

E eles seguiram esse conselho assim que voltaram para a cidade naquele dia.

Fim.

(n/a: espero que gostem. Já fiz há um tempo e foi meio que um sonho que eu tive. Eu vou abrir vagas em março e dessa vez vou ser muito rígida nas regras, ou seja, vai ser mais difícil justamente por causa desse vexame que vocês estão dando. Vocês acham que é fácil, isso? Eu odeio falar sobre isso mas eu tô com essa merda de depressão, eu não tô sentindo vontade de fazer porra nenhuma. NADA. Mas eu quero fazer. E eu parei de escrever, sim, mas porque eu tô sem criatividade mas tô pensando em fazer algo baseado nisso que eu tô passando só para vocês terem ideia de como é. O que vai ser extremamente chato, porque não vai ter um Jus no meio. Agradeço muito a quem me dá apoio, sempre tem umas pessoas no meu ask me mandando ótimas mensagens. Eu aprecio isso. Desculpem por não estar escrevendo nada que preste. E desculpem pelo meu sumiço. É só que como eu disse, não tenho nem mais vontade de fazer nada. Ás vezes eu fico triste, querendo chorar e isso aconteceu três vezes, eu arrumei algo como distração. Funciona. Agora eu não vou mais falar da minha depressão. Essa fic já é meio velha e a Gio tava me enchendo o saco para eu postar ela. Aqui está.)


2 anos.



Oi. Eu sou a Ally, e o meu blog recentemente (no dia 14 de dezembro de 2012) completou dois anos desde a primeira postagem. Em 2011, eu meio que fiz uma fic engraçadinha envolvendo eu e a Gio (a outra dona). E ano passado eu não fiz nada para comemorar porque queria que fosse algo bem legal, nós ainda pensamos em fazer algo e eu planejo junto com a Gio de torná-lo real.
Mas muitas de vocês são novas aqui. Existem aquelas que estão conosco desde sempre, desde a primeira fic escrita. E essas com certeza irão lembrar se eu citar duas: Never Say Never & Uma história de amor diferente. Vocês lembram, não é? Em como eu e a Gio escrevíamos mal, e a gente sempre colocava carinhas tipo ‘*-*’ no meio da história. Era realmente algo broxante para nós vendo de agora a gente pensa ‘Como éramos retardadas!’. E as que sempre estiveram acompanhando sabem em como crescemos nesse quesito. E que ainda estamos crescendo. Nós resolvemos excluir as fics antigas por esse motivo.
Acharmos-nos retardadas em particular. Na verdade, elas não estão excluídas e sim apenas guardadas no material do blog. Enfim, foi a ideia de um começo mais legal, queremos deixar apenas as mais... Recentes, digamos.
Mas essa não é a história completa. O blog não veio a partir de mim e sim da Gio e da Elissa. Elas tiveram a ideia de criar o blog em outubro de 2010, embora as postagens só tenham sido iniciadas em dezembro. Daí vocês se perguntam o que aconteceu com ela. Bom, a idéia inicial era de ter várias moderadoras, eu era uma delas. Mas as meninas não postavam e acabou por ficar apenas Elissa, Gio e eu. O tempo passou e o blog foi ganhando mais visitantes, com um tempo a Elissa já quase não postava no blog, restando apenas Gio e eu. Uma vez elas fizeram uma twitcam e a Elissa falou algo como ‘Não porque elas me tiraram do blog, mas tudo bem” e a Gio ficou tipo ‘Mulher... ’ sabem sem jeito? O motivo é que nós estávamos perdendo crédito e ela estava ganhando sendo que só quem ficava atualizando e atualizando o blog éramos simplesmente Gio e eu. Não estou dizendo que não gosto da Elissa, faz tempo que não falo com ela mas não significa nada. Ela é uma ótima pessoa, nós só achamos injusto com a gente o que estava acontecendo. Não sei se ela ainda me considera uma amiga, justamente pelo fato de que há meses não nos falamos. Mas eu não guardo ressentimentos nem nada. A gente passou por muito juntas, brigamos, rimos... éramos amigas. Eu realmente desejo tudo de bom na vida dela. Sem contar que foi através dela que eu conheci a Giovanna. Então... THANKS ELISSA!
E então ficamos apenas nós duas, eu e Gio. Nós remodelamos o blog, começamos a administrá-lo de outra forma, da maneira que queríamos e é assim até hoje. Graças a Deus, eu e Gio nos damos super bem uma com a outra e não me lembro de alguma vez termos discutido. Gio, eu sei que você está vendo isso, você lembra se a gente brigou alguma vez? [Risos]
Com um tempo, nossas escolas foram começando a pesar e estávamos ficando sem tempo para atualizar os blogs, daí vieram as moderadoras. Tivemos VÁRIAS. Algumas ótimas, outras nem tanto [Gio sabe do que estou falando, passamos por maus bocados com algumas]. Tivemos a Ingrid, a Tifanny, Thayna, Carol, a Brubs! Foram tantas que nem me lembro de todas agora. E então eu convidei a Blue para ser moderadora e ela está aqui até hoje. Sim, ela foi convite. Simplesmente porque eu acompanhava as histórias dela e morria de rir. Mas vocês sabem que ninguém resiste ao charme dela. É uma das minhas melhores amigas assim como Giovanna e Tamires [Thaa/Thamy]. Vocês precisam ver como a gente conversa no Facebook.
Mas isso seria um pouco comprometedor/constrangedor. Para finalizar, eu falo do melhor motivo, da melhor razão, o melhor de tudo. É que todas nós temos essa coisa em comum: Ser Belieber.
E não só entre nós, mas como vocês também e é uma delicinha saber que existe gente como nós. São mais de 50 milhões! E tudo por causa de uma pessoa. Pois é, nosso Kidrauhl. Sem ele eu não teria conhecido minhas melhores amigas, sem ele esse blog não existiria. É muito lindo saber que eu estou escrevendo esse texto agora por causa dele. Ele nos afeta de qualquer forma, direta ou indiretamente, por causa daquele garoto fofinho de cabelo bonitinho que tudo isso existe. Mas hoje ele mudou, está quente! Cá entre nós é a pura verdade (mas ele sabe muito bem disso e se orgulha e ainda ama nos provocar. Brr, otário. O pior de tudo é que ele sempre consegue nos seduzir.). Enfim, nós, as BELIEBERS que sempre estamos lá para ele e ele, o nosso rapaz, que sempre está lá para nós. Eu realmente espero e tenho quase certeza que isso nunca vai mudar. Não importa quanto tempo passe, nós sempre iremos ser as garotas dele e ele sempre vai ser o nosso garoto. O amor muitas vezes pode parecer que não é suficiente, mas o que seria tudo isso se ele não existisse?

Observação: Texto feito por mim há muito tempo. Em um dia bom. Espero que gostem.

Ally

21 de fev de 2013

Adeus

Oi gente, Carol aqui. De novo.
Como vocês já sabem, fui conversar com a Ally, tipo, perguntar se ela queria que eu saísse do blog e pá. Ela disse que ia acabar excluindo a fic e tals, mas pensei que não ia ser agora, pensei que ela ia excluir tipo tudo de uma vez depois que eu acabasse a fic.
Enfim, meus posts foram apagados e tudo mais, isso significa que vou parar de postar nesse blog :( CHOREI
Pra deixar bem claro, eu não queria sair, ia só ''dar um tempo'' e tudo mais.
PORÉM óbvio que não vou deixar vocês na mão, fui correndo criar um blog e vocês podem ler o final de Decisions lá. Eu ia repostar tudo de novo, mas deu muita preguiça HEHEHE. Quem quiser acessar, clique aqui.
VOU SENTIR FALTA DE VOCÊS, NÃO ME ABANDONEM NO OUTRO BLOG HEIN???!!!!
Beijão, amo vocês. Obrigada pelos comentários fofos e críticas construtivas, postar nesse blog foi uma HONRA.

12 de fev de 2013

Ooooooooooooooi

Okay, eu coloquei isso no chat, então se vc viu ou nao, nao sei... eu tava com preguiça de escrever e copiei direto. Enfim ↓


Ally: tipo assim, eu tenho explicações.
11 Fev 13, 11:56
Ally: minha casa tava em reforma, eu tava sem net, ninguem tava me motivando...
11 Fev 13, 11:56
Ally: e estou com uns problemas pessoais...
11 Fev 13, 11:56
Ally: e eu sei q essa história de problemas pessoais é foda.
11 Fev 13, 11:57
Ally: mas dessa vez é sério, nao tem nada a ver com escola e pans...
11 Fev 13, 11:57
Ally: a Bruna sabe... Do pouco q eu contei a ela e ela meio q entendeu. Espero que entendam tbm.
11 Fev 13, 11:58
Ally: Não vou entrar em detalhes.
11 Fev 13, 11:58
Ally: Eu estou meio que com um inicio de depressao. Ridiculo, eu sei.
11 Fev 13, 11:58
Ally: eu pensava isso antes de ter. e antes de pensar em coisas q penso agr...
11 Fev 13, 11:59
Ally: e nao. eu ainda nao tentei me matar. brrr.
11 Fev 13, 11:59
Ally: Ok, finalmente, desculpem a demora. Eu passei um mes na casa da minha vó por causa dessa reforma
11 Fev 13, 11:59
Ally: aqui em casa e bem, eu vou voltar a postar ok?
12 Fev 13, 12:00
Ally: PS. AMANDA GATONA! Isso que vc fez foi uma critica positiva.
12 Fev 13, 12:00
Ally: Voces deveriam tentar interpretar melhor os comentarios das pessoas.
12 Fev 13, 12:00
Ally: estao expressando suas opinioes. OTIMO! é isso q queremos
12 Fev 13, 12:01
Ally: mas vamos levar em conta q ela nao xingou ninguem. :]
12 Fev 13, 12:01
Ally: enfim, acho q vou copiar isso e colar em um post pra ficar melhor de vcs verem. kakaka

Ps. Pra quem pediu meu ask é esse aqui >> http://ask.fm/itsmykidrauhl e meu twitter: @itsmykidrauhl

Desculpem qualquer coisa. [Principalmente por irritar vcs, eu sei como é. kk Também sou leitora T.T]
Em breve, voltarei. E contarei algumas novidades. 

Xx

Ally

8 de fev de 2013

You Make Me Believe In Love -Traída.




You Make Me Believe In Love - 12º  Capítulo 



-Como me explica isso? - Ela disse jogando um pequeno envelope em minha direção. Blair estava com os olhos cheios de lágrimas, me encarando. Enquanto eu? Estava quebrado por dentro, apenas de vê-la chorar. Mesmo sem saber o motivo.


Flash Back On

- Mas você prometeu que ia ficar aqui comigo. - Ela disse me puxando pelo braço e fez biquinho.

- Eu volto já, vou me encontrar com um amigo.

- Está bem. - Ela disse irritada e voltou sua atenção para a TV. 

Dei um beijo em sua testa e saí em seguida, meu destino era Sunset, ou melhor, em frente a ele. Eu estava tenso, preocupado, não sei bem. Emilly não era confiável, não mesmo. Vamos dizer que tivemos um "caso" antes dela se tornar uma completa vadia e eu descobrir que ela trabalhava para o cara que fez da minha vida, um inferno.


                                                                            [...]


Ao sair do carro eu pude a avistar de longe, sua roupa - muito - chamativa, fazia com que qualquer pessoa que passava ali, a olhasse. Revirei os olhos ao ver que o ser a poucos metros á minha frente, estava pulando, acenando sem parar para mim. Fui ao seu encontro
e esperava que ela tinha algo bom a me dizer.

- Oi, amor! - Ela disse saltitando, revirei os olhos novamente.

- Não me chame assim. - Eu disse me distanciando um pouco dela, fazendo- a me olhar incrédula. 

- Ah, é. - Ela disse pensativa. -  Ouvi dizer que você tem uma namorada agora.. - Ela sorriu de lado, sínica. - E como ela é? Se parece comigo? 

- Não, claro que não. - Eu disse rindo fraco. - Não cometeria o mesmo erro, outra vez

- Nossa, assim você me deixa ofendida. - Ela disse mexendo em uma mecha do seu cabelo, rindo.

- Não posso ficar muito tempo aqui! Me diz logo o que você quer. - Eu disse apressado.

- O que foi? - Ela disse. - Mentiu para ela não foi? Mentiu para se encontrar comigo. - Ela gargalhou me fazendo quase lhe dar um tapa. Mas eu não bateria nela, não mesmo.

- Menti por que foi necessário, ela é ciumenta, íamos discutir com certeza.. - Eu suspirei.  - Mas que merda estou falando? Não te devo satisfações. Espero que o que você tenha a me falar seja realmente importante, não estou com saco para idiotices.

- Calma, calma. Olha isso aqui. - Ela disse tirando um papel de dentro da bolsa.

- O que é?

- Uma carta do seu pai. - Ela suspirou. - Ele está realmente preocupado com você, o que está acontecendo?

- Nada. - Eu guardei a carta no bolso da calça, leria depois, claro.

- Ele não mandaria isso desesperado. Nem sequer sabe onde você anda.. isso me cheira a confusão..e isso envolve Jake, certo? - Ela disse pensativa. Essa era a qualidade de Emilly, era conseguia juntar as peças, sem problemas.

- Não quero que ele se preocupe comigo, isso envolve o passado dele. Se caso o ver de novo, diga que está tudo bem, ok?

- Tudo bem. - Eu dei as costas para ela e senti ela me puxar pelo braço. - Não vai se despedir, nem dizer um simples "obrigado"? - Ela perguntou rindo.

- Obrigado? - Eu disse sem paciência, saindo novamente.

- Espera, Justin! - Ela gritou e correu até mim.

- O que é? - Eu disse e depois bufei.

- Sinto falta disso.

- Disso o que? Ta louca? - Eu nem tive tempo para pensar. Seus lábios já estavam grudados no meus. Não deixei nem um beijo se formar, a afastei logo. - Sua...vadia! - Eu explodi a deixando estática. 

Saí correndo até meu carro. Não ia voltar direto para a casa da Blair, ia visitar minha mãe primeiro, e talvez Blair ficasse mais nervosa ainda, pela minha demora.


                                                                      [...]


- Justin!? - Minha mãe disse surpresa assim que eu abri a porta de sua - minha - casa. Ela com certeza não esperava minha visita.

- Que saudades mãe! - Eu disse a abraçando apertado, e jurei ouvi-la fungar, enquanto ela correspondia o abraço me apertando mais.

- Filho, onde você estava? Seu pai me disse que você ia resolver alguns negócios, mas..que negócios são esses? Você não volta para casa faz muito tempo. - Ela disse tudo muito rápido, me fazendo rir fraco.

- Tudo é muito complicado mãe, sinto muito não vou poder te explicar. O importante é e estou bem né?

- Sim, meu filho. Claro! Eu só estava..preocupada. - Ela sorriu de lado e se sentou no sofá, eu fiz o mesmo.

- Tenho uma coisa para te contar.

- Diga. - Ela sorriu

- Eu estou..namorando.

- Jura? - Eu assenti e ela praticamente pulou. - E quem é ela? Como ela é? De onde? Eu preciso conhecê-la!

- Precisa mesmo, ela é um sonho mãe.

                                                                           
                                                                          [...]


Deixei a casa da minha mãe com uma dor no coração. Ela praticamente implorou para que eu não fosse, mas eu disse que tinha que ir. Então novamente ela implorou para que se eu fosse, eu voltasse a visitá-la o mais rápido possível, isso seria praticamente impossível.

Agora eu teria que resolver tudo com Jake. Não queria que ele levasse a minha Blair, não queria mais simplesmente a levar para ele e voltar a viver normalmente. 




P.O.V Blair Connon



Fiquei uma grande parte do tempo assistindo TV, e não pude deixar de ficar reclamando mentalmente o porque de Justin não estar ali.

Faziam exatamente 2 horas que ele tinha saído, isso porque ele só "ia ver um amigo", confesso que aquilo estava me incomodando um pouco. Qual é? O que você pensaria se você tivesse um namorado super lindo feito o Justin? Não estou dizendo que não confio nele, mas, ele estava demorando, mais que o previsto.

Resolvi tomar um banho para relaxar, troquei de roupa e resolvi preparar algo para comer. Desci as escadas e fui até a cozinha, onde peguei meu celular em cima do balcão, nenhuma mensagem do Justin.

Resolvi preparar pipoca - uma das únicas coisas que sei fazer - e depois assistiria á um filme.    
Escutei as primeiras pipocas começarem a estourar, e fui interrompida pelo barulho da campainha.

- Já vou! - Gritei procurando as malditas chaves, que eu juro que tinha deixado em cima da mesa de centro. - Argh! - Gritei assim que as encontrei no sofá.


Abri a porta e dei de cara com...nada. Isso mesmo, ninguém.
Não pude demorar tanto tempo assim, não é possível. Saí para ver se via alguém, a pessoa não podia ter ido longe. Indo mais para frente, ouvi minha sapatilha pisando em algo que parecia ser..papel. Abaixei e peguei o - mini - envelope que não estava escrito nada no lugar onde devia estar o destinatário.

Corri para retirar a pipoca do microondas, e as coloquei num pote. Me sentei em frente a TV novamente e abri devagar o envelope.

As primeiras lágrimas rolaram pelo meu rosto, ao ver aquelas imagens.




P.O.V  Justin Bieber 


- Amor? - Eu disse abrindo a porta. Avistei um pote cheio de pipocas, o controle da TV na mesa de centro e um filme estava passando. - Blair? - Chamei novamente, sem respostas. Deduzi que ela podia estar tomando, então subi as escadas devagar, chegando até seu quarto. Quando abri ela levou um susto. Ela estava com a cabeça baixa apoiada nos joelhos, o que ela estava fazendo?

- Amor? - Eu repeti mencionando para que ela falasse alguma coisa.

- Amor, Justin? Amor? - Ela repetiu gritando!?

- O que aconteceu? - Eu me aproximei dela mas ela recuou me empurrando.

- Como assim, o que aconteceu? - Ela disse soluçando. - Você me fez de idiota, esse tempo todo!

-Como me explica isso? - Ela disse jogando um pequeno envelope em minha direção. Blair estava com os olhos cheios de lágrimas, me encarando. Enquanto eu? Estava quebrado por dentro, apenas de vê-la chorar. Mesmo sem saber o motivo.


Flash Back Off


- O que é isso? - Eu disse pegando o envelope rapidamente e o abrindo. 


Fotos de mim e de Emilly "nos beijando". Mas como alguém foi tão rápido?


- Amor, eu posso te explicar, não é nada disso que vo..- Eu tentei falar mas logo ela me interrompeu.

- Nunca mais me chame de amor, Justin. Eu devia saber o seu "tipo", desde o começo. Eu sou só mais uma não sou? O que eu estava pensando? Que um menino super lindo - Ela fez uma careta, provavelmente deixou escapar isso - Ia se apaixonar por uma nerd? Só em conto de fadas mesmo.

- Você não está entendendo nada! Isso foi uma..armação. - Eu disse a última palavra baixo.

- Saí daqui, Justin! Não quero te ver nunca mais! - Ela disse me empurrando fora do quarto e bateu a porta fazendo um estrondo enorme.












O negócio é o seguinte. Estou MUITO aborrecida com vocês, muito mesmo.
Aquele aviso que deixei no último capítulo não valeu de nada, não é? Vocês não comentaram!
Apenas 23 comentários, vocês sabem como eu estou me sentindo?

Estou escrevendo isso aqui chorando, e não venham falar "AH, É DRAMA." Porque NÃO É!
Eu estou me matando para postar aqui, me esforço o máximo e só obtenho 23 comentários. OBRIGADA.

Eu lendo no chat a comparação que estão fazendo entre mim e a Carol, foi isso o que me levou a chorar. "You Make Me Believe In Love me dá sono." "You Make Me Believe In Love é uma bosta." VOCÊS QUE COMENTARAM ISSO, CONSEGUIRAM ACABAR COM TODA A MINHA VONTADE DE ESCREVER. 

Andei conversando com a Ally, e tipo, não vou postar se não tiver comentários, para mim não dá.

ME DESCULPEM A VOCÊS QUE COMENTAM, TA? AMO MUITO VOCÊS.

A questão é que não está rendendo isso aqui para mim,  eu abandonei o blog de uma amiga para escrever aqui, é isso que eu recebo em troca, ótimo.

NÃO LEIAM YMMBIL SE VOCÊS NÃO GOSTAM. 

Como a Carol chegou a dizer, se vocês quiserem , eu paro de escrever aqui, já que está uma bosta e só escrevo em outro blog para as meninas que me acompanham.

Obrigada a vocês que comentam, e obrigada MAIS AINDA A VOCÊS QUE CRITICARAM MINHA FIC, VOCÊS ME FIZERAM CHORAR E PERDER O RESTO DE ESPERANÇA QUE QUE TINHA PARA VOLTAR A ESCREVER.


ESPERO QUE UM DIA VOCÊS SE SINTAM DO JEITO QUE EU ESTOU ME SENTINDO.

UM VERDADEIRO LIXO.



2 de fev de 2013

You Make Me Believe In Love - "Pequeno trecho!" + AVISÕES!



You Make Me Believe In Love - 11º Capítulo 


Um mês depois..


Estava em casa, após sair do colégio, juntamente com Justin. Nossas aulas haviam acabado, e isso era ótimo. Depois de  almoçarmos, Justin se jogou no sofá e me chamou para assistir TV.

- Graças a Deus o ano letivo acabou, vou acordar tarde todos os dias! - Eu disse alegremente, pulando no Justin que fez um biquinho. - O que foi, amor?

- Vou sentir falta de ficar o dia inteiro com você. - Ele disse doce e eu o selei.

- Você pode vir aqui, ficar o tempo todo comigo, não me importo. - Eu disse o abraçando.

- Você não se importa, mas sua mãe sim. - Ele disse - Ela me odeia!

- Ela não te odeia, e..a gente dá um jeito. - Eu sorri confiante, realmente, ficar longe do Justin não estava nos meus planos.

- Sim, mas estou triste. Não quero ficar sem te ver.

- Não faça drama meu amor, temos muito tempo. 

- Eu espero.. - Ele disse sorrindo de lado.

- O que foi, Justin? - Perguntei o olhando.

- Nada, porque?

- Você está estranho.

- Não estou não amor, coisa da sua cabeça. - Suspirou

- Sabe que dia é hoje?

- Claro que eu sei.

- Mesmo?

- Sim.

- Então.. - Deixei a fase solta.

- Faz um mês que pedi á garota mais perfeita desse mundo em namoro.

- Que lindo! - Eu disse corando logo depois o abraçando.

- Eu tenho uma coisa para você.

- O que é?

- Uma música. Feita por mim.

- Eu não sabia que você escrevia. - Eu abri um sorriso.

- Sim, mas só em casos especiais. - Ele disse pegando meu violão que estava encostado na parede, passando os dedos levemente pelas cordas, fazendo uma melodia adorável.




"Dear princess, dear darling
(Querida princesa, querida)

I promise I will be your prince charming
(Eu prometo vou ser seu príncipe encantado)

I know that you want the perfect wedding
(Eu sei que você quer o casamento perfeito)

You deserve a story book ending
(Você merece uma história com um final de livro)

You deserve the best baby, oh yeah, yeah
(Você merece o melhor baby, oh yeah, yeah)

So where you wanna go, I can take you there
(Então onde você quer ir, eu posso te levar lá)

We can fly across the globe baby don't be scared
(Podemos voar através do mundo, baby, não tenha medo.)

Don't be scared, baby don't be scared, no, no
(Não tenha medo, baby, não tenha medo, não não)



You deserve a story book ending, fairytale, fairytale
(Você merece uma história com um final de livro, conto de fadas, conto de fadas)

You deserve a story book ending, fairytale, fairytale"
(Você merece uma história com um final de livro, conto de fadas, conto de fadas)


Ao escutar sua voz doce ecoando, eu fiquei chocada. Ele cantava muito bem. E aquela letra..me deixou abalada, era exatamente tudo o que eu sempre sonhei ; conto de fadas. E na letra dizia que eu merecia isso. 

- É..linda. - Eu disse emocionada.

- Você merece, meu amor. - Ele disse deixando o violão de lado e enxugando meus olhos que estavam pouco úmidos.

- Eu te amo.

- Eu  te amo mais. - Sorrimos e ele me beijou.


Logo nosso clima "casal romântico" acabou.Soltei um suspiro ao ouvir o celular dele tocar. "Um minuto!" Ele sibilou sem fazer sons, enquanto voltava a atenção para a pessoa que ele falava no celular. 


Acredito que o mesmo "tio" que ligou para ele nesse ultimo mês, algumas vezes. Nunca ficava perto de mim quando falava com ele, no telefone, e eu já estava cheia disso.

                                                                          
                                                                          
P.O.V Justin Bieber

- Estou ocupado, fale logo o que quer e pare de tagarelar. - Eu disse para Jake.

- Ocupado com o que? A namoradinha? 

- Não interessa.

- Amanhã a noite, converse com Emilly, em frente ao Sunset, e não ouse faltar Bieber.

- O que ela tem a me dizer?

- Não sei, mas ela disse que é importante. 

- Ela não trabalha mais com você?

- Não, agora a vadia toma conta de si mesma. 

- Não gosto do fato de ter que revê-la.

- E eu não gosto do fato de você não me trazer a Blair, logo. - Ele disse sério, me fazendo revirar os olhos.

- Eu nunca te perguntei mas..porque quer a Blair? - Eu disse o seu nome baixo, já que a mesma poderia ouvir. - Porque eu tenho que sequestrá-la e porque a quer? Me responda.

- O que foi? Agora se preocupa com ela? - Ele perguntou rindo, mas aos poucos suas risadas se cessaram. - Ah, já sei. - Ele riu mais. - Vai me dizer que está apaixonado por ela..?

- E se eu disser que estou?

- Azar o seu, terá que sequestrar a garota que tanto ama.

- Não farei isso.

- O que é? - Ele disse em tom alto. - Acho que não estou ouvindo direito.

- Tem algo que eu possa fazer para livrá-la? - Eu perguntei impaciente.

- Não, não há nada. Eu a quero, simples.

- Para que ser tão possessivo?

- Bieber, pare de me fazer perguntas idiotas.

- Eu estou decidido, não irei sequestrá-la Jake, se a quiser, pegue-a. Mas terá que passar por mim.

- Ora, ora. Não me desafie Bieber, você não sabe do que eu sou capaz e aliás..está colocando tudo em risco, por causa dela?

- Minha família irá ficar bem. - Eu disse simples.


Blair me prendeu a ela de um jeito inacreditável, eu a amava. Ela brigou com a mãe  por mim, ela prova a cada dia o quanto me quer, e não posso negar que e já estava ciente que isso ia acontecer. Quando a vi, a primeira coisa que pensei é que não ia aguentar ter que ficar do lado dela, sem sentir absolutamente nada, era impossível, ela era adorável e era minha. Não deixaria Jake estragar o meu futuro, muito menos chegar perto dela. Eu só precisava saber o porque, e tudo estaria resolvido, eu daria algo em troca de sua "liberdade".


- Vai mesmo me desafiar? - Ele debochou - Ótimo. Blair, ficaria muito feliz em descobrir que seu namoro é uma farsa. - Ele disse  me deixando estático.

- Não é uma farsa. - Eu gritei.

- É o que veremos. 

                                                                     






HEY GIRLS, COMO ESTÃO?

EU ESTOU SUMIDA, NÉ? EU SEI.


Minhas aulas voltaram, o que dificulta muito mais minha postagem, sem contar que to totalmente sem criatividade, fico forçando minha mente a pensar em algo no mínimo "legal", e que vocês gostem..

Fui obrigar a fazer uma coisa que particularmente, eu odeio: Pular partes na história.
Essa coisa de "um mês depois.." não estava nos meus planos, não mesmo.
Acontece que minha escola é particular, as aulas voltaram e tem lição todo santo dia, o que eu fiz foi adiantar um pouco as coisas.

Eu queria realmente, mostrar a parte depois do pedido de namoro dele e tal, o que eles fizeram de romântico, as vezes que saíram e tal, mas não da. 

Resumindo : Não quero perder tempo, porque eu sei que se eu ficar enrolando nos capítulo a história fica chata e eu vou perder a vontade de escrever.


Uma coisa que eu não quero é decepcionar vocês, eu me comprometi. Eu vou terminar essa fic, custe o que custar. E para mim, está custando muito.



Anyway, gostaram do trecho? O que acharam? ESTÁ PEQUENO E EU SEI DISSO :C MAS NÃO QUERO DEIXAR VOCÊS SEM CAPÍTULOS!

Sinto que vocês não estão gostando da fic, se quiserem que eu pare não tem problema. 
Sei disso porque não há comentários, preciso de uma motivação para continuar, entendem?
Talvez postarei amanhã, também. Aliás, estou em dividas com vocês, certo?



aline_bieber : Comprei todos os livros da saga hush hush, nenhum eu li online! haha :/ Depois que você me falou isso, eu cheguei a ver um show ao vivo também :)

Maria Júlia :  Isso acontece comigo as vezes hahaha o Finale é perfeito, chegando na página 277 por aí, eu chorei, comecei a chorar muito, leia e você vai entender o porque, mas enfim, fiquei triste por ter acabado e o Scott morre mesmo :c


Divulgando :





Comentem a opinião de vocês, e conversem comigo AQUI!

Beijos da Brubs.