30 de abr de 2014

OI

 Olá garotas, ainda se lembram de mim? Sou eu, a Bea!
 Eu vim aqui para dizer o porque não ter postado por tanto tempo e o que vai acontecer daqui em diante.

 POR QUE PAREI DE POSTAR? Muito simples, eu estava de viajem. Okay, eu fui viajar e depois fiquei de castigo... Todo dia, depois disso, eu entro aqui e fico olhando a tela vazia sem nada para escrever.
 Eu parei por estar cansada, cansada de continuar tudo que tinha começado. Eu me sentia vazia e sem criatividade, nem livros eu consegui mais ler, minhas musicas não me faziam sentir mais nada... Era como se meu espírito estivesse morto e tudo que sobrou foi uma "EU" oca.
 Não consegui terminar minha história, escrevia e reescrevia varias vezes pelo fato de achar tudo muito sem sentido, sem nexo.

O QUE VAI ACONTECER AGORA? Agora eu pensei em deixar Chage of Habit "congelada" por um tempo e, exatamente por isso, vou TENTAR escrever uma pequena fic para vocês enquanto vejo o que fazer com Emily e Bieber :)
 COMO EU ESTOU AMANDO O INAMAVEL(algo que não se pode amar) e minha irmã NÃO PARA de assistir Frozen, eu decidi em fazer algo romântico que tenha... Magia.
 Aproveitando também o frio maravilhoso U.u
  
 LEGAL, agora falando da nova história. Ela se chama Frozen Heart (Corações congelados)

Bom, agora vamos a sinopse e personagens da fanfic...
 
SINOPSE: Por muito tempo Brenda Star se sentira diferente de todos, o fato de ter o poder de criar e transformar coisas em gelo era motivo para que ela tivesse medo de si mesma por todos ao seu redor. 
 Star, ainda obrigada pelos próprios pais a se isolar do mundo, decide fugir  para onde acreditar ser o mais longe possível das pessoas... O que ela não esperava era conhecer Peter Bravel, um garoto persistente que tenta ajuda-la a saber o que é amizade e amor.
 Na primeira oportunidade que Peter tem ele leva Brenda para um pequeno esconderijo na neve, onde mora com Ethan Jacob e Justin Bieber.
 Problemas e segredos vem átona quando Brenda e Justin  convivem juntos, o que acontece quando dois corações congelados se colidem?
 
PERSONAGENS:
Brenda Star
Justin Bieber
Peter Bravel
Ethan Jacob

 É isso ai gente! Comentem o que você acham e tals...
 




25 de abr de 2014

World Of Chances - reescrito - 'capítulo' 1 - Eu a conheci desse jeito



Eu sempre gostei de sonhos. Sonhos que nunca se realizaram.
A uns anos, conheci uma garotinha com o nome de Lizandra. Ela era linda, sorridente, com os olhos mais brilhantes que eu já vira.
A menininha tinha apenas 9 anos quando a conheci. Estava em um parque de diversões, e a vi correndo junto de um menino.
Eles sorriam e brincavam juntos. Eram irmãos, mas acima de tudo melhores amigos.
Quando ela completou 19 anos, no dia 21 de abril, ela me olhou, sorriu como quando tinha 9 anos, e disse as três palavras que eu tanto queria ouvir.
“Eu te amo!” Lizandra me abraçou ao dizer isso.
Ela me chamava de pequeno anjo, mesmo eu sendo muito maior que ela.
Lembro-me de um dia, em que brigamos. Ela me disse que jamais iria querem me ver novamente.
E quando ela me disse isso, com toda a certeza de todo o céu eu digo, meu coração ficou em pedaços. E esses pedaços em cacos. E esses cacos, em menores cacos ainda.
Eu a perguntei se era realmente oque ela queria. Sua voz saiu chorosa, mas decidida. “Sim, é isso que eu quero. Você conseguiu me quebrar !” e com isso, eu a dei um beijo na testa, e sai porta à fora.

Depois de alguns meses, estava em casa, desenhando-a como sempre fazia desde aquele dia, quando meu telefone tocou.
3 toques. Caixa postal. Era ela.
“Hey, hmm... Eu queria saber se podemos nos encontrar no parque, hoje a tarde. Me ligue, sabe meu número.” Corri para atender, mas ela já tinha desligado.
Liguei de volta, e fiquei surpreso quando ela me atendeu com um “Olá pequeno anjo.”
Eram 5 da tarde. Estávamos no nosso lugar. Um chalé um pouco distante do parque.
Eu a encarava. Minhas costas ardiam por causa do sol da tarde, e ela se escondia do sol.
Lizandra levantou a cabeça, me olhou e com um sorriso tímido disse “Me desculpa ?”
Cocei a nuca, e fiz uma careta em forma de negação. Seus olhos perderam todo o brilho que tinham naquele momento.
“Jay eu ...” Sua voz era baixa, e parecia que ela iria chorar a qualquer momento.
A abracei, e a dei um beijo no topo da cabeça. Ela me apertou, com medo. Seus dedos traçaram um caminho de minha coluna até minha nuca, me arrepiando por completo.
“Pequena, eu tenho que te contar uma coisa. Mas preciso que você me ouça, e não me provoque.” Minha voz estava rouca. Talvez por estar arrepiado.
Ela assentiu, e me encarou. Respirei fundo. Isso , com toda certeza foi a coisa mais difícil que tive que fazer.
“Vou para Veneza em 2 dias.” E ela chorou. Chorou como se tivesse novamente 9 anos e brincasse com seu irmão. “Arrumei um emprego por lá, desculpe.”
Lizandra me olhava com medo. E essa não seria com toda a certeza a minha ultima lembrança que eu teria dela.
E então, fiz oque deveria ter feito quando ela me disse que me amava. A beijei. De inicio, era um selinho, que se transformou em um beijo calmo, e com ternura.
Ela estava arrepiada, e tinha um pequeno sorriso nos lábios pequenos e macios. Suas mãos passeavam pelo meu pescoço, e por um momento pensei que estava no céu.
Parti o beijo com 2 selinhos, e ela resmungou algo quando fiz isso.
“Jay, você... tem que ir mesmo ?” Ela sussurrou, quebrando-me por dentro. Eu não precisava ir. Mas devia. Era algo que não conseguia explicar.
Assenti forçadamente. Ela me olhou, e deu um sorrisinho de lado. Ah como eu amava esse sorrisinho, e ainda amo.

21 de abr de 2014

Classic - 08

TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=6-VhWw0sRsg
Ignorem o EM BREVE no final uaheuhaueh. Uma amiga minha que fez.


- Você vai à Festa de Outono? - Jas perguntou enquanto tomávamos o café da manhã.
- Festa de Outono? - arqueei a sombracelha. - O que é isso?
- É uma festa, e é de casais. - ela disse. - É só isso, uma festa de outono, que é para casais.
- Bom, então eu não vou. - me levantei e coloquei o copo na pia.
- Por que? - ela falou, ao meu lado.
- Porque eu não tenho um par.
- Vá com Justin.
- Nem fodendo.
- Por favor, se você não for, eu também não vou.
- Isso é chantagem! - me virei para ela. - Além do mais, Justin nem me chamou.
- Mas ele vai. - Jas afirmou.
- Não, ele não vai. - retruquei. - Justin e eu somos apenas amigos e um monte de meninas já deve ter convidado ele.
- Não importa, ele gosta de você, Hon.
- Ah, não. - fui para a sala, Jasmine andando atrás de mim. - Até você?
- Fazer o quê, Honzinha?! - ela apertou minhas bochechas.
- Isso é ridículo. - me livrei dela e peguei minha bolsa. - E vamos logo porque eu não quero me atrasar.
- Nossa, mas como hoje ela tá difícil. - brincou Jas.
- Você vai com quem? Com Tobby?
- O quê? - ela se assustou. - Eu vou com o Luke!
- Eu pensei que rolasse uma química entre vocês. - brinquei.
- Não, não rola, e você sabe que eu gosto do Luke, Morg.
- Eu sei, mas... eu não gosto de algumas atitudes dele, você sabe disso.
- É, eu sei, mas no fundo ele é uma boa pessoa.
- Jas. - chamei-a.
- Hum?
- Por que você falou com Maggie?
- Falei o quê? - ela ajeitou a mochila nos ombros.
- Sobre Justin. - nós cruzamos o campus.
- O que tem demais? É só o Justin.
- E é a minha vida, não precisa tentar resolvê-la.
- Eu não estou tentando fazer isso, só estou tentando te ajudar.
Respirei fundo e contei até três lentamente.
Eu não queria discutir com a Jas.
Não queria.
Então eu apenas tentei relaxar.
- Você está bem, Morg? - Jas me segurou pelo ombro.
- Sim, Jas, estou.
- Me desculpe sobre isso, okay?
- Sim, está bem.
- Até o intervalo, Hon. - Jas gargalhou antes de ir em direção a sua sala.
- Bom dia, Hon. - Justin se sentou na cadeira ao meu lado.
- Hey! - eu lhe lancei um sorriso.
- Bom dia, turma. - o professor chegou na sala e todos se sentaram. - Vamos todos para o laboratório. Em silêncio.
- Uh, eu odeio isso. - falei.
- Eu também. - Justin disse.
- E ainda tenho prova de Física. - revirei os olhos.
- Física? - Justin riu. - Física é muito fácil. Vamos lá, Hon, eu vou te ajudar a estudar.
- O quê? Desde quando você resolveu bancar o inteligente? Outro dia você me ajudou com Química, não venha me dizer que é bom em Física também.
- Eu sempre fui, só não queria que você soubesse.
Minha mente ainda estava lutando pra tentar captar aquela informação.
- Certo, espertão, e como vamos fazer isso?
- Simples, vamos matar aula.
- Tá maluco? Isso é errado!
- Vamos lá, Hon, é por uma boa causa.
- Tudo bem, mas só porque eu detesto aula de laboratório.
Nós esperamos as pessoas saírem da sala  enquanto fingíamos que arrumávamos os materiais.
- Vocês não vem? - Lisa Robertin perguntou, da porta.
- Já estamos indo, Luna. - Justin respondeu.
Eu lhe dei uma cotovelada.
Justin sorriu para ela e ela sorriu para ele, antes de ir.
- O nome dela é Luna. - eu comentei.
- Tanto faz. - ele deu de ombros. - Vamos logo.
- Eu não sei o que essas meninas tem na cabeça. - revirei os olhos.
Justin me puxou pelo braço.
- Ei! - protestei, mas o acompanhei.
Nós fomos até a porta da sala e observamos os corredores. Estavam vazios.
- No três, okay? - Justin perguntou e eu assenti. - 1...2...3.
Ele segurou a minha mão e nós começamos a andar rapidamente.
Estudar em uma faculdade como aquela não era nada fácil, os professores meio que não admitiam falta e muito menos alunos que fugiam das aulas.
Eu respirei fundo quando nós viramos o corredor e a senhora Martinez, professora de Espanhol, saiu de uma sala de aula com seu salto barulhento. Foi tudo tão rápido, Justin me pegou no colo e eu o encarei de maneira confusa, a senhora Martinez nos encarou de maneira mais confusa ainda
- O que fazem aqui? - ela questionou. - Não deviam estar em aulas?
- Ela machucou o tornozelo. - Justin respondeu.
- E ela não pode ir sozinha pra enfermaria? - seus olhos, atrás do óculos de grau, nos lançavam um olhar desconfiado.
- Ela não consegue andar, o tornozelo dela tá doendo muito.
- É, muito mesmo. - eu fiz a minha melhor cara de dor.
- Certo, então vamos, eu acompanho vocês.
- Não precisa, senhora Martinez, a senhora deve ter muita coisa pra fazer. - eu falei, rapidamente.
Ela encarou a sala de aula à sua direita e concordou.
- Espero que você fique melhor, garota. - ela falou.
- Ela vai. - Justin falou e esperou que ela entrasse na sala antes de continuar nosso trajeto.
- Dor no tornozelo? - eu comecei a rir.- De onde você tirou essa?
- Era isso ou uma suspensão. - ele deu de ombros.
Nós rimos um pouco, até um silêncio dominar o momento.
- Justin. - pigarreei.
- Sim, Hon?
- Você já pode me colocar no chão.
- Ah, certo. - ele me colocou no chão e eu ajeitei a mochila nos ombros. - Ainda bem porque você é muito pesada.
- Você é um fraco! - lancei.
- Fraco? Você vai ver o fraco. - Justin começou a correr e eu corri mais ainda.
- Sai, Justin. - eu disse quando ele se aproximou. Quer dizer, ele era mais rápido e isso era meio provável.
Nós saímos do prédio de Ciências Humanas e começamos a correr pelo campus até chagarmos a uma área na qual eu nunca tinha visto antes. Tinha uma grama bem aparada e algumas árvores com folhas ao redor, isso porque estávamos muito próximos do outono. Também haviam alguns bancos, era como um parque, ou uma praça, não sei. Era uma área um pouco diferente da que eu tinha visto no dia em que corri e desmaiei. Talvez fosse porque esse espaço fosse maior.
Quando Justin me pegou, ele veio com tanta velocidade que caímos no chão. Justin caiu em cima de mim e não foi nada legal.
- Sabe o que eu vou fazer com você, garota Hon? - Justin perguntou, sua respiração entrecortando a minha.
- O quê?
- Uma coisa que eu faço muito bem. - então ele começou a fazer cócegas em mim.
- Seu imbecil, pare com isso. - eu lhe pedi. - Nós.Temos.Que.Estudar. - falei entre risadas.
- Tudo bem, tudo bem. - ele se levantou e me deu a mão para que eu fizesse o mesmo.
Caminhamos mais um pouco.
Eu passei as mãos nos braços e me encolhi um pouco quando um vento veio em nossa direção.
- Eu nunca tinha passado por esse lado da faculdade. - comentei.
- É, aqui é bem grande mesmo. - Justin falou. - Física, certo? - Ele se sentou no chão, sob a grama.
- Certo. - me sentei ao lado dele e peguei o livro dentro da mochila.
Afinal, estar com Justin não era tão ruim assim.
Nós estudamos pelo resto da manhã e ele me esclareceu algumas coisas que eu realmente não conseguia entender com a ajuda do professor. Justin era realmente bom nisso. Ele parecia ser bom em todas as matérias. Acho que eu tive uma impressão errada sobre ele em um primeiro momento.
Depois nós fomos para o refeitório e eu me encontrei com Jas, enquanto Justin decidiu se sentar com alguns amigos.
Quando o sinal soou, Justin veio em minha direção e eu me despedi de Jas.
- Sinto muito lhe informar, senhor Bieber, mas as aulas da tarde eu não vou matar.
- Oh, garota, Hon, isso é realmente uma pena. Vai dizer que você não se divertiu?
- Mas é claro que não! Como alguém pode se divertir com o tornozelo machucado? - perguntei e ele riu.
- Justin, Justin. - uma menina loirinha se aproximou de nós. Quando digo ''nós'' quero dizer Justin. Ela enrolou uma mecha de cabelo com o dedo e eu revirei os olhos. - Vamos ao baile de outono comigo?
- Não, eu já tenho um par. - ele disse, o que foi mais um sinal como: '' Saia daqui! '' .
Então a garota bufou irritada e saiu.
- Eu não acredito que você vai a esse baile idiota.
- É, eu vou. - Justin sorriu. - E você vai comigo.

****************************************************************************
Oi, meninas. Como foi a páscoa de vocês? Ganharam muitos ovos? Eu não :(. Enfim, eu quero dizer que sei que não sou a melhor escritora dese blog, mas eu gosto muito de vocês, muito mesmo.
Duda: Oi, obrigada, que bom que você está gostando. :)
Ketlin: Obrigadaaa, e sim, é um saco, detesto semana de provas. Ah, e obrigada novamente. É muito bom saber que alguém me compreende.
Feer: Huauhuaheuah, nãh, eu vou contar, espera mais um pouquinho, sério. <3 p="">Lu: Obrigada, Lu, sua linda!
Anônimo: Obrigada uaheuhea que bom que você está gostando. Fico feliz!
Anônimo: Obrigada e obrigada por comentar!
Joana: Claro. <3 p="">Nath: Obrigada uaheuhauehaueh espera mais um pouquinho que eu conto. Beijos, linda!
Patty: Obrigada, eu vou contar, espera só um pouquinho uhaeuahuehaeh.
Yara: É.. me desculpe por isso.
Rê:  OMG, me desculpa, sério uaheuhaeuheha. Entendi. Awww, obrigada, de verdade. O nome dela é Morgan, o apelido é Morg, mas o Justin chama ela de Hon. Lê os capítulos iniciais de que você vai entender uaheuaheue. E a propósito, eu AMEI seu comentário, obrigada, linda!
Anônimo: Aaah, continuo. *-*
Anônimo: uahuehuaheuhe, obrigada e obrigada por comentar.

Isso é tudo, pessoal.
Divulgando: iimaginebeliever.blogspot.com.br
Beijinhos da Vic. Xx






15 de abr de 2014

Confident - Final

*ps. Leiam as notas finais.



Um último beijo antes de dormirem, ambos exaustos.
'' Eu amo você, Ronnie. '' 
'' Eu amo você, Ronnie. ''
'' Eu amo você, Ronnie. ''
Aquelas quatro palavras doeram mais do que uma faca atravessando o peito da garota.
Ela não estava acreditando naquilo.
Dormiu pensando sobre isso e acordou no meio da madrugada.
Ao lado de Ronnie, Justin dormia, cabelo um pouco desgrenhado, pele macia, boca carnuda e corpo quente. Ele soltou um gemido baixinho quando Ronnie tirou o braço dele que estava ao redor dela. A garota  encarou Justin por um momento, ele parecia um anjo dormindo e ela gostava disso. Talvez porque gostasse disso devesse fazer o que faria.
Pegou o vestido e o vestiu. Foi até o banheiro. Passou uma água no rosto e arrumou os cabelos. Okay. Estava pronta.
Olhou para Justin mais uma vez antes de abrir a porta. Ronnie nunca se esqueceria daquela cena, daquele momento e especialmente de Justin. Ele fora o seu primeiro, o garoto para o qual ela se entregara.
- Boa noite, Justin.
Fechou a porta.
E se foi.

- Ronnie... - Justin acordou sussurrando o nome da garota. - Ronnie. - ele a chamou mais uma vez. Nada. - Ronnie? - Finalmente abriu os olhos e viu que ela não estava ali.
Justin se levantou, assustado. Foi até o banheiro.
- Ronnie, onde você está? - ele procurou por todos os lados do quarto.
Ela não estava ali.
A porta se abriu, o corpo do garoto se encheu de esperança.
- Até que enfim você apareceu, Ronnie, eu...
- Você bebeu quantas, cara? - Chaz adentrou o quarto.
- Ah, Chaz, é você?! - Justin se sentou na cama e passou a mão entre os cabelos.
- Bom dia pra você também.
- Não é isso, é só que... Você viu a Ronnie? Sabe onde ela está? - Justin se levantou novamente.
- É, eu a vi, mas... - Chaz começou a dizer mas Justin o interrompeu.
Sacudiu os ombros do amigo.
- Você a viu? Me leve até ela.
Chaz franziu o cenho.
- Vamos, Chaz, me leve até ela. - Justin pediu novamente.
- Justin, ela foi embora.
- Embora? - Justin gargalhou. - Como assim ela foi embora? Não, ela não foi.
- Sim, Justin, ela foi, hoje de madrugada. Eu a vi saindo.
- Você a viu? - Justin segurou Chaz pela camisa. - E não fez nada?
- Qual é, cara? - Chaz se afastou. - Eu pensei que você soubesse.
- Tudo bem, me desculpe por isso.
- Certo.
Eles fizeram o toque deles.
- Eu vou pra minha casa. - Justin falou.
- Qualquer coisa é só falar viu, parceiro?
Justin assentiu e foi em direção à porta.
- Aí, Justin. - Chaz o chamou. - Você não vai sair só de cueca, vai?

Você tem 17 novas mensagens de voz.
'' Oi, Ronnie, é o Justin, onde você está? Eu acordei e Chaz me disse que você já tinha ido embora. Está tudo bem? ''
'' Oi, Ronnie, você está na sua casa? Eu posso ir aí? Estou com saudades. Me liga por favor. ''
'' Ronnie, por que você não me responde? Você não quer falar comigo? Me responde. ''
- Alô. Ronnie? É você? Ronnie, é o Justin. Eu sei que você está aí, eu posso ouvir sua respiração. O que tá acontecendo? Me explica porque eu realmente não sei. Foi algo que eu fiz? Eu fiz algo de errado? Droga, eu sempre estrago as coisas.
- Justin, calma. - Ronnie se pronunciou no telefone. Ela não aguentava mais ouvir todas aquelas mensagens de Justin e não falar nada.
- Ronnie.
- Você não fez nada de errado, ok? Eu que estou errada. Na verdade eu sou toda errada.
- Você não é errada, Ronnie, você é perfeita, você é a garota mais perfeita do mundo e...
- Para, Justin! Eu não mereço isso.
- Não merece o que?
- Você.
-  Mas é claro que você me merece, Ronnie.
- Não, eu não mereço, será que você não vê?
- Você tá ficando maluca, Ronnie?
- É, talvez eu esteja.
- Esquece isso, você tá em casa?
- Não, eu não estou.
- Onde você está, então? Me diz pra eu poder ir aí.
- Eu não vou dizer e não quero que você venha.
- O que? Por que?
- Justin, eu tô indo viajar.
- Okay, que dia você vai voltar?
- Eu não vou voltar.
- O quê? Isso é alguma pegadinha? Você tá brincando comigo, não tá? Eu pensei que... Meu Deus!
- Justin, eu tô indo estudar fora.
- Por que, Ronnie? Por que você tá fazendo isso?
- Eu preciso fazer isso.
- Não, você não precisa. E nós? Como nós ficamos?
- Não existe nós.
- E ontem? O que ontem significou pra você?
- Foi o melhor dia da minha vida.
- Então...
- Não tem ''então'', Justin.
- Não, você não pode fazer isso comigo, você não pode fazer isso com você! Eu sei que você gosta de mim, eu sei que...
- EU TE AMO, PORRA! - Ronnie gritou e chorou ao mesmo tempo.
Silêncio.
- Fica. - Justin pediu.
- Eu não posso.
- Ronnie. - Justin resmungou. - Eu posso me despedir?
- Não, Justin, não pode, eu odeio despedidas!
- Mas eu preciso ver você, eu preciso.
- Me desculpa, por tudo.
- Não faça isso comigo. - Justin sussurrou.
- Eu amo você, amo você mais que a minha própria vida. - Ronnie declarou.
- Eu pensei que você fosse confiante. - Justin retrucou.
- É, eu também pensei. - ela disse e desligou.
Então entrou no avião.
Afinal, talvez ela não fosse tão confiante assim.

************************************************
Oi!
Me desculpem pela demora, eu estava em semana de provas e blá blá blá.
Gente, todo mundo veio falar comigo sobre essa shot se tornar uma fanfic e eu fiquei tipo... sei lá uhauehuahe, eu não havia pensado sobre isso. O que vocês acham? Comentem aí e tal, talvez isso realmente aconteça!

Feer: uaheuhaueeah, eu não pensei nisso como uma fanfic, enfim... aí está!
Gaby: uahueh, tem sim e obrigada, mas eu acho que não pensei nisso dessa forma.
Sthef: Sim, hahah.
Vic: Vai ali em cima, em '' contatos ''. Lá você vai achar e obrigada auheuahe :)
Lu: awwww, que bom que gostou, obrigada, e linda é você!
Paty: aaaah, obrigada, sua linda!
Cris: aaw, obrigada, Cris, mas eu não pensei nisso com uma fic haha, enfim, eu não sei... obrigada por comentar, eu vou levar em consideração o seu pedido.

Beijos da Vic. xx
E respondam a pergunta ali em cima?!



13 de abr de 2014

Drummer Girl - capítulo 22

- Vamos para o hospital. – Justin me disse. – Pedro pode ficar com a Jazzy, e alguém precisa ficar com a sua mãe. – falou mais baixo a segunda parte, para que Pedro não escutasse.
- Tudo bem. – afirmei.
Fomos então em direção ao hospital. Eu estava cansada dos meus pensamentos repetitivos sobre o futuro, sobre ela. Sentia o nó na minha garganta.
Entramos na sala de visitas e o cheiro me deu náuseas. Alguma coisa em hospitais me dava arrepios, calafrios. Talvez porque ali era geralmente o ponto de partida e de chegada da maioria das pessoas. Nos sentamos lado a lado em um banco. Faltava pouco para o horário de visitas, quando o médico da minha mãe surgiu. Meu coração saltou no peito.
- Família de Sophia? – um cara alto e duas garotas no começo de sua adolescência levantaram a cabeça. O médico respirou audivelmente e disse: - Sinto muito, ela faleceu.  – e então voltou para dentro de alguma sala. Olhei para aquelas pessoas que pareciam tão indefesas, que pareciam entorpecidas. As lágrimas caíram aos poucos, silenciosas. Os três se abraçaram formando um núcleo.
Ouvi soluços e me surpreendi quando percebi que um deles era meu. Eu estava chorando, eu estava sofrendo. Eu não estava pronta para passar por aquilo. Eu ainda era uma garotinha que precisava da sua mãe.
Senti o braço de Justin sobre meu ombro. Enterrei a cabeça no seu ombro e ele passou o outro braço por cima de mim, em um abraço. Odeio que me vejam chorando, então me sentia segura para chorar ali com ele. Quando senti que poderia me controlar, me afastei um pouco e ele me soltou.
Seu olhar sobre mim não era de pena, era de compreensão. Ele se levantou:
- Vou pegar um pouco de água para você. – anunciou.
Ele voltou com um copo plástico na mão e me entregou. Levantei minha mão e percebi que ela estava trêmula. Peguei o copo, mas não consegui beber. Tinha certeza de que iria engasgar com as minhas lágrimas, que embora tivessem parado de escorrer, estavam ali.
- Vamos, Summer. – encorajou-me – Você vai se desidratar se não tomar.
Tomei um gole e ele sentou-se do meu lado de novo.
- Foi tão cruel. – disse num sussurro rouco – Foi tão frio o modo como o médico disse que a mulher tinha morrido. Foi tão... indiferente. Como se a mulher não fosse importante. Ela era importante para aquelas pessoas, mas não para o médico. Então será que ele fez de tudo para salvá-la – questionei baixo, mesmo sabendo que não havia resposta que Justin poderia me dar.
Ele me olhou.  
- Não sei. – respondeu e sua voz era sincera.
- Eu não quero que tratem minha mãe assim nunca. – falei e senti as lágrimas virem de novo.
Justin me envolveu em seus braços novamente. Depois de um tempo as lágrimas pararam de cair e eu me senti vazia por um instante. Me separei de Justin.
Eu passei a mão por meu rosto que eu tinha certeza de que estava vermelho e inchado. Justin passou o polegar na minha bochecha e ali permaneceu com ele.
Seus olhos foram de encontro com os meus, ele me fitava.
Aos poucos Justin se aproximou, deixando seus lábios muito próximos dos meus. Sua boca tomou a minha e ele me beijou, seu ritmo era lento e sua mão que permanecia na minha nuca era cuidadosa. Ele se afastou de mim, abri os olhos.
- Por quê? – sussurrei.
- Para você se lembrar que merece ser amada e que existem outras sensações no mundo diferentes da dor.

Ficamos na sala de espera por um tempo e quando estava perto do horário, fui ao banheiro. No caminho parei para beber água antes, porque por via das dúvidas não queria me permitir chorar. Adentrei o banheiro e me olhei no espelho. Não me surpreendi com a minha aparência. Meu cabelo estava emaranhado parecendo um ninho e meu rosto inchado e de tom avermelhado. Lavei o rosto com água fria e prendi meu cabelo em um rabo de cavalo.
Não sou uma garota que gosta de maquiagem, mas naquele instante foi o que eu mais desejei. Tentei sorrir para mim mesma no espelho, mas soava falso. De qualquer maneira fu para o quarto de minha mãe, e quando passei por Justin ele me deu um sorriso de encorajamento.
Entrei então no recinto e vi o soro ou medicamento ligado à veia da minha mãe.  Tentei focar em seu rosto de aparência cansada.
- Oi, Sun. – ela disse e esboçou um sorriso.
- Oi mãe. – falei e percebi que minha voz soara normal apesar da batida descompassada do meu coração.
Sentei na poltrona perto de sua cama e permaneci em silêncio ponderando o que eu poderia falar que não me fizesse romper em lágrimas.
- Eu vou ficar bem. – minha mãe disse, me surpreendendo. – Agora me dê um abraço que estou com muitas saudades sua.
Aproximei-me mais da cama e a envolvi me um abraço demorado.
- Estou com muita saudade, mãe. – sussurrei ainda no abraço.
- Eu sei, meu amor. E sei que Pedro também está, mas me prometa que você não deixará ele pensar que não estou aqui para cuidar dele. – me afastei um pouco.
- Com certeza.
- Eu quero saber da sua vida.
Meu estômago gelou.
- O mesmo de sempre. – falei. Claro que não era o mesmo de sempre, mas não queria contar-lhe o que aconteceu ali.
Ela revirou os olhos.
- Tudo bem, então eu conto. Hoje Pattie veio me visitar de manhã. – procurei nos registros do meu cérebro. Eu havia contado para Pattie? Como ela sabia? – Ela é uma mulher incrível Summer. Nós conversamos muito sobre assuntos banais e outros nem tanto.  Enquanto eu estiver aqui, combinamos que você e seu irmão fiquem na casa dela.
- Mãe... – ela me interrompeu.
- Sun, eu confio em você. Mas você ainda é uma criança, não é justo que tenha que cuidar de outra criança e conciliar com a escola. Faça o que estou dizendo, por favor.
Assenti com a cabeça.
- Eu te amo, Summer.
- Também te amo. – então ela deu um beijo na minha testa e eu voltei para a sala de visitas.
Fui até Justin que estava prestando atenção na televisão, mas parou quando me viu.
- Como foi lá? – questionou.
- Bem. – sorri. – Talvez as coisas melhorem. E a propósito eu vou ficar na sua casa.
- Estou sabendo. – ele esboçou um sorriso – Minha mãe acabou de me ligar.
Saímos do hospital e me aliviei ao sentir ar puro de novo nos meus pulmões. Estava chovendo então tivemos que correr até o carro. Percebi que Justin colocara a mão em meu ombro enquanto corríamos, mas não liguei.
Entramos no carro e eu liguei o som. Estava tocando uma música pop que era sensação, mas eu não fazia ideia de quem era. Dei as instruções a Justin e chegamos até a minha casa.
- Corrida até a porta de entrada? – desafiei.
Então corremos até lá.
----
Oi! Como vocês estão? Eu estou me sentindo bem e arrisco dizer que estava meio triste esses dias. Fora que estava estudando que nem uma condenada, mas as provas específicas acabaram - agora vou estudar para um teste DE TODAS AS MATÉRIAS. Pelo lado bom tem feriado chegando e quando tiver tempo eu vou tentar escrever mais! Me digam o que acharam desse capítulo e se ficou satisfatório o beijo deles. Muito obrigada pelos 15 comentários, YOU ROCK! 
- 7 comentários?
Respondendo aos comentários: 
Feer: VOCÊ QUE É PFT! Muito obrigada por comentar sempre! 
Michele: E agora, vê um futuro? ;) 
Imagine Belieber: Ahan, sei como é difícil começar do zero. O link eu deixo lá no final. Beijos!
Lu: Ai meu Deus, que saudade! A escola está indo bem, apesar de eu estar estudando muito hehe. Estou bem melhor agora. Sentia muita falta de postar aqui e de escrever, fora que ocorreram coisas na minha vida que estavam me deixando para baixo. Mas tá tudo bem. Beijos, Lu!
Aline: Obrigada por comentar. Eles vão... na hora certa MUAHAHHA. Brincadeira. Beijos!
Janii: Ai, eu amo seus comentários também! Muito obrigada por fazer isso, viu? Fico muito feliz, cantando Happy e tudo kkkk. Eu chamo de Jummer, assim como outras beliebers também. Alguma outra sugestão? Beijos! 
Duda: KKKKKKKKK eu me divirto com seus comentários. Já devo ter dito isso, mas que seja! Agora eles se beijaram, há! O que achou? Beijos Duda! 
Nicolle: KKKKKKK Eu sou péssima com coordenação motora. Eu acho que no caso de Jogos Vorazes seria apenas desesperador, mas eu amo essa trilogia. Já leu Cidade dos Ossos? Nunca vi o filme, mas isso deve ser desesperador também. Ai, também faço isso! Beijos! 
Anônimo: Aqui! :D 
BelieberSwag: Eu não fui porque na minha cidade nem veio KKKK. Mas já superei. Sério, como era o cartão? Como foi? Mas passar tardes estudando valerão a pena- ou a galinha inteira hehe. Agora que fiz esse comentário da galinha inteira percebi que tenho vocação para tia das piadas sem graça. Jura? Eu amo seus comentários!
Carol: Ca, vomitei um arco íris agora. Amei ler seu comentário, espero vê-la de novo nesse capítulo. Eu nunca pensei que alguém pudesse de fato gostar da minha fic, e isso me deixou muito alegre. Muito obrigada! Beijos! 
Anônimo: :D
Julie: que pena que você acha isso :) 
Laura: ;) 
Isabella: Muito obrigada! :D 

Beijos,
Audrey.        

11 de abr de 2014

Diário de Karina , parte II - prévia

                                                                Memórias


21/09/2009 01:45 AM

Acordei novamente com um grito. Justin estava deitado ao meu lado, me encarando assustado. Eu tinha apenas 11 anos. Sonhei novamente com  a casa pegando fogo, e como sempre, eu não conseguia salvar minha mae e minha irma.
"Oque houve ?" Sua voz de sono era eminente. Seus olhos estavam vermelhos, e seus cabelos bagunçados. "Kah, oque houve? "

Não o respondi. Apenas o abracei forte, e ele me fez carinho nos cabelos, como sempre fazia quando via que eu estava mal. Sim, eu estava mal. Muito mal na verdade.
Depois de alguns minutos, adormecemos novamente. Dessa vez, sem sonhos, sem nada.Apenas a vasta escuridão da minha mente.

Acordei sentindo Justin levantar. Eram umas 6 da manhã, e hoje é sabado ! Me sentei na cama, e o encarei. Meu rosto estava amassado, e Justin me olhava as vezes.

"Aonde vai ? -sussurrei- Vai me deixar sozinha de novo Drew?" Minha voz falhou quando disse o nome dele,e talvez, fora por isso que ele se virou pra mim bruscamente.

'Não pequena ... -Justin me deu um beijo na testa- Ja venho, prometo. " Assenti e fiquei sentada na cama esperando-o.

Depois de alguns minutos ele voltou, com uma bandeja prateada. Ergui uma sobrancelha, algo que o intrigava pois o mesmo não sabia como fazer isso.

"Não faça isso. -sua voz estava irritada, mas doce ao mesmo tempo - sabe que eu não consigo fazer isso." Ri baixo e assenti. Justin se sentou ao meu lado, e abriu a bandeja. Frutas. Pão. Café. Leite. Biscoitos amanteigados. Um café da manhã na cama.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

22/09/2009 12:45 PM

Estávamos almoçando. O dia estava ensolarado mas estava frio de qualquer maneira. Eu vestia uma roupa simples. Calça jeans, meus coturnos, um moletom comprido, e uma touca.
Minha mae fez lasanha, meu prato favorito e de Jenna também. Justin estava aqui , como sempre, ele almoçava aqui nos domingos.

Depois do almoço, ouvi minha mãe e Justin conversando sobre algo. Não me lembro exatamente das palavras.

Sei que, depois desse dia, Justin foi se afastando mais e mais de mim.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

21/04/2012

Agora, com 14 anos, quase 15, Justin voltou a falar comigo. Estava um doce, me beijava no rosto, cuidava de mim como um irmão mais velho. Como se eu fosse sumir de uma hora pra outra.

"Pequena ? " Justin dormia no meu colo, enquanto eu fazia carinho em seus cabelos.
"Oi Justin ... " Respondi prestando atenção na tv. Justin me encarava, e isso estava me irritando. " Por que me encara ? " Ele sorriu de lado. E que sorriso...
"Você é linda sabia ? " Neguei com a cabeça, e ele riu. Justin estava com os lábios brancos, além do mais, estava fazendo -12 graus aqui. "Agora sabe."

Terminei de ver meu filme, e com isso, Justin dormiu novamente. Fiquei observando ele. Seus lábios perfeitamente desenhados. Seu nariz que combinava perfeitamente com todo o rosto. As pequeninas pintas que ele possuia em seu rosto. Sim, eu sou apaixonada pelo meu melhor amigo.












Oláa princesas, tudo bom ? 
A Ana linda de vaca que some td hr apareceu hahaha 
Então, vamos pras noticias ?
1 - WOC está em reformas temporárias, então nao tenho como falar qnd vou repostar
2- Diário de Karina está virando história ! haha 
3 - LWR está em reformas também, e assim como WOC nao tenho datas 
4 - eu amo vocês haha 

enfim meninas, espero que curtam essa prévia, nao estou escrevendo mt pq tenho prova TODA QUINTA FEIRA! 
Espero que me entendam .. Beijos do Bieber pra vocês, hahaha