4 de nov de 2013

Drummer Girl - capítulo 05

Summer narrando
Naquele momento em que nos entreolhamos foi especial. Sentia segurança com eles, em meio a confusão da minha recente instalação nesse país.
Não sei por que. Mas sentia.
A ausência de palavras não causou desconforto. Eu meio que sentia que não havia nada a ser dito.
- Ahn. – o garoto, acho que Justin – murmurou.
- Bem-vinda! – Chaz me abraçou forte e depois me tirou do chão por alguns segundos.
O outro garoto – Ryan, se não me falha a memória – sorriu e apertou minha mão.
- Meninos, venham almoçar... – disse uma mulher cujos olhos eram extremamente verdes, e deixou a frase pela metade quando me viu. – Oh. Eu não tinha te visto. Desculpa. – sorriu. – Você é a...?
- Summer. – sorri sem mostrar os dentes.
- Belo nome. – em sua voz não havia nenhum vestígio de gozação, e isso fez com que eu sorrisse verdadeiramente. Qual é, pessoas que não tiram onda com meu nome são raras. – Eu sou Pattie.
- Prazer.
- Você vai almoçar conosco?
Não sabia como falar não para ela. Está certo que eu nem a conheço, mas o simples fato dela ser tão simpática fez com que o “não, obrigada” ficasse entalado na minha garganta. Olhei para Chaz em busca de ajuda, mas ele apenas disse:
- Ah, claro que a Summer vai almoçar. Ela está morrendo de fome. – filho de uma meretriz!, ele sabe que eu acabei de comer.
Assenti com a cabeça, vermelha provavelmente.
- Tudo bem. Sempre a lugar para mais um. – disse a mulher, sorrindo fofamente – Você pode me ajudar?
Fiquei moscando até reparar que Pattie estava falando comigo.
- Sim, é claro. – e assim segui para a cozinha.
O cheiro de macarrão invadiu minhas narinas e meu estômago clamava por aquilo. Sim, eu acabei de comer, mas gorda é assim mesmo: comida nunca é demais.
- Então, você é amiga deles? – fitou-me Pattie, com o olhar questionador.
Aquele olhar me irritou um pouquinho. Era como se ela achasse que eu era namorada de algum deles. O tom de voz também. Mas ao mesmo tempo que me irritava, eu sentia que ela estava exercendo seu papel de mãe, e eu nunca havia pisado lá. Devia explicações, de modo que tentei contar o essencial para ela da maneira mais educada possível.
- Para falar a verdade, só de Chaz. Ele me ouviu tocando bateria esses dias na escola e achou que eu tinha chance de fazer o teste e me sair bem. Então foi assim que nos conhecemos. Foi um alívio ele ter me encontrado, porque eu sou nova nesse país e logo no último ano de ensino médio tive que me mudar. – sorri meio constrangida pelo silêncio da jovem mulher.
- Ah, então foi você que eu ouvi tocando bateria?
- Não sei. – ri fraco – Muita gente tocou bateria hoje e...
- Mas houve um som que se destacou mais. Tenho certeza de que foi o seu. – falou animada.
Sorri. Mal podia acreditar nessas palavras proferidas por Pattie. Antes eu cheguei a achar que ela era... diferente do que realmente é.
- Quebrou...– uma voz chorosa invadiu a ampla cozinha. Olhei para baixo e vi uma menininha com uma boneca em mãos e os olhos lacrimejantes.
- O que aconteceu Jazzy? – perguntou Pattie, dobrando os joelhos para ficar na mesma altura da pequena menina.
- A minha boneca quebrou. – disse ela com um bico enorme.
- Ah Jazzy. – Pattie passou a mão em sua cabeça e arrumou uma das maria-chiquinhas – Já é a terceira nesse mês.
- Deixa eu ver. – disse e ela me encarou, ponderando se eu era confiável ou não.
- Ta. Só toma cuidado com a Lucy. – disse seriamente e entregou-me a boneca.
Analisei-a. O braço esquerdo havia desencaixado e eu apenas coloquei-o de volta no lugar.
- Prontinho. – entreguei a boneca enquanto ela sorria.
- Como é que se diz, Jazzy? – perguntou a mulher de olhos verdes.
- Obrigada! – disse e saiu correndo para a sala.
Ri um pouquinho.
- Ela é sua filha? – perguntei.
- De consideração apenas. – disse com um sorriso contido – Há um tempo atrás eu e Jeremy havíamos nos separado, e bom, nesse tempo ele encontrou outra pessoa.
- Sinto muito. – disse com sinceridade.
- Não querida, você entendeu errado. Eu ainda não terminei a história. – respirou fundo – Ano passado nós reatamos. As crianças moram conosco, mas a mãe deles vem aqui e de vez em quando eles vão para a casa dela.
- Ah sim. Mas você disse... Crianças? Eles? – perguntei confusa.
- É. São dois pingos de gente, Jazzy e Jaxon.
Sorri. Realmente amava crianças.
- Summer, você pode temperar o frango, por favor?
- Ahn, Senhora Pattie. Eu não sei cozinhar. – entortei os lábios.
- Quando a gente não sabe, a gente aprende. – sorriu convidativa e me chamou com a mão para perto de uma das panelas. – Observe.
Depois de um tempo, terminamos (lê-se: Pattie terminou) o almoço. É mais fácil comer, com certeza.
Assim que eu coloquei a mesa, Pattie distribui os talheres e eu esperei por todos. Logo os meninos e as duas criancinhas chegaram. Coloquei comida e comi concentrando-se apenas nela. Sim, eu estava com vergonha. Por quê? Porque eu odeio que me observem quando eu estou comendo e era exatamente isso que Chaz estava fazendo.
- Summer, pode comer bastante. Tem comida suficiente. – quase engasguei com o suco assim que ouvi as palavras proferidas por Chaz.
Dei um chute nele por debaixo da mesa.
- Ai! Por que você me chutou? – reclamou e nessa hora eu já estava roxa de vergonha.
Assim que Chaz fez seus comentários, o clima ficou mais leve.
- Então gente – Ryan limpou a garganta – sabe o que a galinha garçonete perguntou para a outra?
- Pó pô pó? – disse rindo um pouco.
- Pó pô! – Chaz disse.
- Ok. Essas vocês já sabiam. – Ryan disse um tanto pensativo – Então eu posso contar uma piada?
- Burros também piam? – Chaz perguntou unindo as sobrancelhas.
- Se você conseguir piar, sim. – falou vermelhinho.
Rimos.
- E a piada do fotógrafo? – perguntou.
- Ainda não revelaram. – Pattie que até então estava quieta se pronunciou e Chaz fez um toque babaca com ela.
- Agora vão me dizer que conhecem a piada do não e nem eu?
- Conheço sim, me conta? – ergui as sobrancelhas. Caímos na gargalhada, mas não por causa das piadas, mas por causa do Ryan. Ele ficava nervoso e vermelho, e um pouquinho bravo. Era engraçado vê-lo assim.
- AH! Desisto também. – deum um soco fraco na mesa que fez com que o molho espirrasse na testa de Jazzy.
- Óia ele... – falou brava apontando para Ryan e depois olhando para Pattie.
- Tadinha. – ironizou Ryan.
- Ryan, peça desculpas. – falou Pattie fingindo um tom bravo.
- Desculpa nanica. – falou e deu tapinhas na sua cabeça, fazendo com que ela sorrisse satisfeita.
Terminamos de comer aos risos.
- Chaz a louça é sua hoje. – disse Pattie e se retirou da mesa, deixando um Chaz com cara de injustiçado.
- Ei! Eu sou visita! – protestou ele.
Pattie pelo visto ouviu e voltou à mesa.
- Como você me disse mesmo? – fingiu se lembrar de algo – Ah sim! – estalou os dedos – “Deixa eu ficar, por favor! Por favor! Eu já sou da família Bieber praticamente.” – falou tentando fazer uma voz grave e prolongando um pouquinho o “r”, exatamente como Chaz.

Ele bufou e começou a retirar a mesa.- Quer ajuda? – ofereci POR EDUCAÇÃO, mas é óbvio que Chaz aceitou mesmo assim.
Pelo menos eu sei lavar louça.
- Porra Summer, passa a bucha assim! – reclamou.
É, pelo visto eu não sei NEM lavar louça.
- Chaz, você vai me levar para a casa?
- Tenho escolha? – perguntou rindo pelo nariz.
Terminamos, e eu me despedi de todos que forma muito simpáticos e soltaram um “Ah! Fica mais um pouquinho.” Ou “Está tão cedo!”. Bom, isso no caso das crianças e de Pattie e Ryan. Justin não falou nada, e nem se inclinou para eu dar um beijo em sua bochecha (coisa que quando eu fui no Brasil eles fazem e cumprimentam TODO mundo assim, e que eu gostei tanto que adotei), de modo que eu apenas acenei.
Agora estou reparando, Justin é bem caladão. Não me lembro de ter ouvido a sua voz mais de três vezes, e nem de ter ouvido sua risada. Nunca vi seu sorriso também. Garoto estranho.

------------ 
Oi gente! Como estão vocês? 18 comentários? WOW! Obrigada! E quando eu fui dormir (dormi cedo) só tinham 6 comentários. Vocês são demais, sério. 
Obrigada pelo apoio, obrigada obrigada! Meu sonho é publicar um livro. O que vocês acharam de bad day? 
Ah, estou pensando em começar a postar outra fic, mas seria no blog que eu fiz há um tempinho. (tenho que falar com a Ally, porque como tem bastante gente postando, acho que não dá para postar aqui hehe). 
P.S.: Vocês acham que o capítulo tá pequeno assim? Me avisem por favor! 
P.S.2: vou começar a responder as pessoas por aqui, ok? Se vocês tiverem algo de construtivo para falar, falem. Não adianta colocar que não gostou sem justificar por que, isso não me ajuda a escrever melhor. 
P.S.3: posso começar a falar da minha vida aqui também? hueheueh  

14 comentários:

  1. Eu acho perfeito sou da opinião que vc tem que escrever o q o seu coração manda e n o q as pessoas querem ler e sim o que vc quer escrever !! Ta perfeito ! Pode contar da sua vida eu n me importo até acho legal !
    Xoxo gaby

    ResponderExcluir
  2. Esta perfeito em todos os sentidos hahha. E fique a vontade para escrever sobre o que quiser haha
    Beijos..

    ResponderExcluir
  3. Faz capítulos maiores!!!
    Posta amanhã está PERFEITO!!
    -Hayley

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAAAAAAAAAAH CONTINUA PELO BIEBER AMADO! PEEERFEITO!

    ResponderExcluir
  5. To in love com a sua fic ♥♥ bjoos da brubs

    ResponderExcluir
  6. aaain, to adorando !
    Continuaa ...

    ResponderExcluir
  7. Heeeeey to amando, pq o fofo feat. perfect do chaz chama msm ela de pudim ? hahahahaahaha tao fofos <3 to amando

    -Bjs, Ray

    ResponderExcluir
  8. Leitora nova,AMEI PORRA! posta posta posta maaaaais!

    ResponderExcluir
  9. haaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa continua ta muito divo bjs

    ResponderExcluir