29 de dez de 2012

2 Broke Girls - Part. 10


- Olá, Justin. - disse sorrindo para ele e em seguida olhando para mim. - E você deve ser Chloe Anderson. Minha tia disse que Justin falou muito de você. - disse sorrindo simpática.
- Espero que tenha falado bem. - disse sorrindo para ela. Justin ainda continuava sem reação ao meu lado. - Justin, você não vem? O táxi tá esperando. 

Okay. Ele está estranho. Bem estranho por sinal. E ela é... prima dele? Enfim, ele não pareceu nada feliz em ver ela. A pergunta é... porquê

[...]

- Chloe!
- Olá, senhora Pattie.
- Justin me falou muito de você. Por favor, me chame de Pattie. - disse me cumprimentando e cumprimentando o Justin, ou melhor, agarrando ele em um daqueles abraços de mães-coruja. Jenna logo teve que sair devido a uma ligação que recebeu, cuja eu supus ser de seu noivo. 

A mudança de humor de Justin foi notável. Aí tem coisa, e minha sogra sabe de algo, eu tenho certeza. CERTO! De acordo com os filmes, ela seria uma prima biscate que dava em cima dele na adolescência, ou uma prima biscate que ele namorou... a questão é que ela não tem cara de biscate e ela usa um anel de noivado!

Depois da sessão de "Boas-Vindas" de Pattie, nós subimos para o nosso quarto, vulgo o antigo quarto do Justin.

- Ai, tô morta! - disse pulando em cima da cama. Ele riu enquanto colocava as malas no quarto. - Você tava estranho hoje. Não pareceu muito feliz em ver a Jenna. Eu gostei dela, ela é bem... simpática.
- Você gostou? Que bom... ahn... eu acho.
- Você já namorou com ela?
- Eu... - me olhou indeciso - Por que você quer saber? Isso não importa.
- Você já namorou com ela. Okay, agora conte o 'boom' dessa bomba.
- Não quero falar sobre isso. Vou tomar banho, você vem?
- Vou terminar de arrumar as malas e depois vou.
- Tudo bem.

[...]

Estávamos todos na sala de estar. Conheci seus pais e avós e conheci sua irmã mais nova, Jade, ela tem 17 anos. A família estava quase toda reunida, até que a campainha tocou e Pattie foi atender voltando com Jenna e um rapaz que eu supus ser seu noivo. 

Certo, o cara se chama Elliot, tem 25 anos. Engenheiro recém-formado e namora com Jenna há quase 5 anos. E Jenna tem 24 anos e está terminando a faculdade de fisioterapia. Legal. Justin estava muito inquieto, balançando o pé apressadamente, o que significava que ele estava nervoso. Coloquei minha mão em sua perna com intenção de fazer com que parasse e segurei sua mão com um olhar preciso-falar-com-você para ele. 

A ceia estava realmente deliciosa, tudo ocorreu bem. Elliot e Jenna tiveram que sair um pouco mais cedo, Justin relaxou mais depois que foram embora. Tudo bem, até que o Natal não foi ruim como eu esperava. O Natal sempre foi ruim para mim. Digamos que meus pais são sejam exatamente pessoas muito atenciosas. Ficamos mais um tempo conversando e depois decidimos subir para o nosso quarto. 

- Comprei uma coisa para você. - disse abrindo uma gaveta no criado-mudo e pegando algo.
-  O quê? Jus... eu achei que o combinado era sem presentes. Eu não comprei nada para você. - falei sem graça.
- Não importa. Você está aqui comigo e isso basta. Agora feche os olhos. - disse e assim o fiz. Ele pegou minha mão e colocou algo. - Pode abrir. - Na minha mão havia uma pequena caixinha retangular, ele abriu e lá dentro havia uma linda pulseira de ouro branco com alguns pingentes e uma mini plaquinha escrito:

Que o nosso amor para sempre viva.
Amor, 
Justin.

Ele carinhosamente puxou meu braço colocando a pulseira e em seguida, beijou minha mão. Sorri sentindo meus olhos arderem e logo as lágrimas escorriam. Abracei ele vendo que ele também sorria.

- Feliz Natal! - sussurrou no meu ouvido.
- Te odeio. Você me fez chorar. 
- Que fofinha. - disse e rimos.
- Eu te amo. Muito. 
- Amo você mais. - disse e nos beijamos.

E naquela noite entre beijos e mais carícias, nos tornamos um só como sempre fazíamos. Fazendo amor de uma maneira inteira e completamente nossa. 

Continua...

Recadinho: Wo hoo! Gostaram? O que acharam dessa parte? Enfim, eu não quis colocar muito detalhes para não tirar a inocência da coisa. [só que não]; Adivinhem, eu estava aqui de boa acabando ela, quando eu apertei em alguma merda aqui e acabei perdendo! Imagina minha cara! Tive que refazer tudo! Arrgggggh! :@ 

NOVIDADE: Tirei meu aparelho *.* Mas essa ainda não é a parte mais legal. Eu tava no consultório de boa, daí chega uma mina perguntando de tem alguém atendendo daí eu falei o nome do meu dentista né... daí depois eu entrei para fazer a contenção, daí chega Fran [assistente] falando que a mina tava querendo fazer teste de GRAVIDEZ! TIPOOOOO?! Que parte do CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO em letras enormes você não viu, gata? LOL Ninguém se aguentou e começou a rir. Daí eu quase falei 'vai ver era por isso que ela tava tão tensa'. KKK Tadinha. Deve ter sido gravidez acidental/inconsequente. LOL Então, né...

Ah, sabiam que eu odeio recados anônimos, eu fico pensando que é a mesma pessoa e pans. NO ME GUSTA. Por tanto, se identifiquem! run' u-u

Ps. Perguntas? {http://ask.fm/itsmykidrauhl}
Pps. Queria que os boyliebers daqui dessem ao menos um 'oi', mas por alguma razão desconhecida eles preferem continuar invísiveis. 
Xx

Ally

Enquete


Whatzzup, bluebeliebers? 

Obviamente, quem fala aqui é a blue \õ/ Bom, Marry you second season já está quase acabando e eu vou começar a desenvolver outra fic. 

Eu NÃO vou fazer terceira temporada.

Mas, esse ano, eu tive grandes ideias para várias fics, e eu to muito em dúvida sobre qual desenvolverei para o blog. E eu quero a ajuda de vocês.

Mas vamos combinar uma coisa, primeiramente, me sigam no twitter (@fanficbieber) e curtam a página do blog no facebook(aqui) -e comentem mais também, vocês são muito quietas por lá KKK- , porque eu avisarei meu retorno por uma das duas redes sociais. 

Agora, explicando o que vocês terão que fazer. Eu vou colocar o nome da fic, o nome da mocinha e uma música que indique MAIS OU MENOS o que rolará na fic, mas não vou colocar o prólogo dela u_u  Fiquem atentas! Quando o nome não diz o que vai rolar na fic, a tradução da música ou o vídeo diz. Prestem bem atenção! Vamos á votação

1-THIS LOVE 
Protagonista: Luana Bittencourt
Música tema : aqui

Tradução: aqui
Anexo: aqui 

2- BREAKFAST IN BED
Protagonista: Melissa Jackson
Música tema 
Anexo : aqui aqui


3- Dance or Die
Protagonista: Clair Brown
Música Tema: IIIIII 
Tradução I , II , III
Anexo : Aqui

4- Fall in love
Protagonista : Taylor Anne Young
Música tema
Tradução: aqui


5- ABC 
Protagonista: Natalie Rose Tompson 

Música Tema : I , II ,
Tradução: aqui

Anexo: III


Então, qual vocês preferem? 

Marry you2 - uma mãe diva!

Marry you 2nd season - 42º capítulo


-Já estou pegando o jeito com Derek -sorri com ele em meus braços

-E eu pegando o jeito com as bolsas -Justin resmungou me fazendo rir.

-Vou pegar o negocinho pra ele ficar, alguém segura? -perguntei, e logo vários braços se levantaram em minha direção.

Poxa, meu filho tem um dia de vida e já é disputado desse jeito?

Coloquei nos braços de Jeremy, que parecia o único que não ficaria tipo ''bilu bilu bilu'' pro bebê, mas pelo menos não o jogaria pro alto como uma bola de futebol americano.

As primeiras opções não foram pra pattie, minha mãe carin e liv. E a segunda não foram indiretas para chaz, edu, nolan, ry e até  mesmo meu pai.

Foi direta!

Enfim, subi as escadas com Justin, que se recusou a dividir a enorme quantia de bolsas -particularmente desnecessárias - comigo.

Colocamos as bolsas no devido lugar, separando apenas algumas coisinhas provavelmente essenciais, como manto do cobertor, um kit e pegando o ''moisés''.

Quando fui me virar, Justin me puxou, me prensando ao corpo dele.

-Vamos aproveitar alguns meros segundos juntos, que tal? -ele perguntou envolvendo seus braços em minha cintura

-Acho uma ótima ideia -sorri. Justin respondeu meu sorriso, em seguida, aproximou seus lábios dos meus. No começo foi um beijo calmo, mas depois, pego certa profundidade até Justin me encurralar na cômoda e tentar subir meu vestido

-Justin! É obvio que não vai rolar! -revirei os olhos me recompondo

-O QUE? POR QUÊ?

-Primeiro que não iriamos fazer isso no quarto do Derek, segundo que tem muita gente lá em baixo, e terceiro: EU ACABEI DE PARIR UMA CRIANÇA -ele acabou rindo

-Ok, esses primeiros meses vão ser difíceis. -ele suspirou pesado me fazendo rir, descemos as escadas, deixamos o ''moisés'' com eles, aproveitando que Derek estava em um sono profundo e fui pra cozinha preparar um bolo, com a ajuda de Justin.

SIIIIIIIIIIM, DO JUSTIN!

Como tinha uma renca de gente, preparamos um bolo grande, com direito a recheio de brigadeiro e confetes.

Comemos em paz, quando estávamos relaxando, quando Derek acordou chorando enlouquecidamente.

Minha mãe balançava o garoto level hard, mas nem assim ele parava

-ele quer mamar -Pattie alertou

-vou pegar leite -me levantei. Todos me olharam tipo "O.O"

- que foi? -perguntei

-no mínimo até os seis meses é leite materno! -fiz uma careta pra Pattie

-AEEEE, QUE CURSO DE MERDA -Chaz gritou rindo

-Mas eu não vou mostrar as tetas pra todo mundo né -disse óbvia

-ah -ouvi Nolan e Chaz dizerem, mesmo sabendo que era uma brincadeira, Justin deu um baita tapa na cabeça dos dois.

-Então, vamos nós mulheres e Justin -minha mãe disse

-então só as mulheres mesmo -ry murmurou me fazendo rir. Subimos até o quarto de Derek, as meninas se sentaram no sofá que tinha, Justin puxou um puf pra ficar ao meu lado. Peguei Derek no colo, sentando em uma cadeira de balanço que não era toda de madeira, como imaginam. Ela parecia uma poltrona, mas tinha o modo balanço.


-GAROTO, espera -disse para o Derek. Justin ao meu lado riu

-vai, filha -minha mãe disse

-o que eu faço, pai amado? -perguntei desesperando com o choro do bebê

-Tira o peito pra fora -carin disse

-sai daqui sua safada! -disse

-tira logo, duda! -pattie brigou. Coloquei a mão dentro do sutiã murmurando um ''taradas'', e recebi um ''aí sim'' do Justin.

Enfim fiquei com a teta pra fora

-E agora? -perguntei sentindo minhas bochechas ficarem vermelhas

-coloca a boca dele no bico -liv disse óbvia

-EITA -disse quando derek começou a mamar. Eu comecei a rir e Justin riu junto comigo.

-ok, ele é forte -disse

-ainda bem que puxou o pai -Jus disse.O olhei sínica -e a mãe -rimos

-Bom, vamos deixa-los um pouco a sós, pra curtir o momento, vai em casa amanhã, vou dar uma festinha. Beijos -Pattie disse. Cumprimentamos a todos, ou melhor, as mulheres que se foram em dois P.

-Já dormiu? -Justin perguntou do batente da porta vendo que eu colocava com toda delicadeza do planeta, Derek no berço, depois de faze-lo arrotar, claro.

-Sim. Saudade de ser bebê. Só dormia, comia e ainda me achavam fofa -comentei baixinho, ouvindo Justin rir baixo também.

-vem, não vamos acorda-lo -o puxei para nosso quarto. Nos deitamos respirando fundo, nem tinha percebido, mas Justin tinha ligado o rádio. Tocava uma daquelas músicas de flsh back bem baixinhas, o que caiu super bem.

Ambos estávamos de olhos fechados respirando fundo e calmamente. Estávamos meio que deitados, encostados na cabeceira da cama, e eu, deitada em Justin, que estava com seu braço sobre meus ombros.

-Isso é estranho, não é? -ele perguntou. Assenti.

-Eu me sinto tão... bem. Isso que é estranho -ri fraquinho

-Pois é. E você foi incrível na hora -Justin riu

-Você é um vagabundo, me fez rir tanto -abri um largo sorriso o olhando

-antes um sorriso do que lágimas -ele sorriu sincero, passando a outra mão sobre mim, apoiando seu queixo em minha cabeça e me dando um longo abraço.

Ficamos assim até cairmos em um cochilo

(**)

Três horas depois.

Eu acordei ouvindo um choro.

Tinha colocado babá eletrônica e isso ajudou, muito.

-ele ta chorando ou é imaginação minha? -Justin murmurou, sorri de leve me levantando.

-Acordou -disse passando as mãos no rosto pra ir pra lá

-Ei, vou com você -Justin disse se levantando

-Não Jus, pode ficar. Eu já estou de pé, e você vai trabalhar amanhã

-Não vou, meu pai me deu férias -ele riu fraco -vamos lá -ele passou seus braços sobre meus ombros me guiando até o quarto de Derek.

O peguei no colo, me sentando naquela poltrona, e Justin, ao meu lado, sorria todo bobo ao ver Derek mamar.

Assim que ele voltou a dormir, eu e Justin voltamos para o quarto, mas não durou muito.

Logo ele voltou a chorar.

-Trás ele aqui no moisés e deixa aqui -Justin disse já cansado. Como cansa rápido! Assenti andando ainda sonolenta para o quartinho verde.

O peguei e balancei para que parasse de chorar, não esquecendo o moisés, e voltei para o quarto.

Me deitei na cama tentando dar de mama mas pelo visto, ele não queria


-que droga, ele não para de chorar! -murmurei

-porque não chupa logo seu peito? -Justin perguntou indignado

-ele não quer mamar! -disse

-Que bobo! Quando tem a chance, desperdiça -Justin realmente ficou indignado com isso, o que me fez rir muito. Mas logo parei, aliás, derek berrava enlouquecidamente.

-liga pra sua mãe ou pra minha -disse, justin não hesitou e discou o número, colocando o telefone no viva voz.

-Anh... Dona Maria? -Justin perguntou

-Oi -ela respondeu super sonolenta -isso aí é o choro do meu neto?

-Talvez -respondi, ouvi ela rir

-estão na fase de não dormir, não é? -ela perguntou ainda rindo

-bom... ele não para de chorar, e não quer mamar! -disse já irritada

-Duda, o bebê não chora só quando está com fome! Ele chora por estranhar o lugar, chora pela frauda cheia, chora por cólicas... -minha mãe disse  -verifiquem tudo que agora eu vou aproveitar que você cresceu, beijos -ela disse e desligou. Justin olhou pra mim, esperando a resposta.

Peguei Derek e vi sua frauda, nadinha.

Peguei-o de formas diferentes pra ver se associava, mas não cessou o choro.

-É cólica, né? -Jus perguntou

-É -torci o lábio -minha mãe tinha dito algo sobre fazer massagenzinha na barriga

-funciona? -Justin quis rir

-Vamos ver -dei um riso fraco, colocando derek deitado na cama e tirando o excesso de roupas, fazendo
uma massagem em movimentos circulares bem delicados, mas logo vejo uma salsicha branca, que Justin chama de dedo indicador cutucando a barriga do menino.

-JUSTIN?

-Eu queria ver como era a barriga dele! Ele é tão fofinho -Justin disse como se fosse inocente, o que me fez rir mais ainda.

Continuei com os movimentos, e aos poucos, ele parou de chorar e voltou a dormir.

O coloquei no moisés e coloquei o cestinho entre eu e Justin, me preparando pra dormir novamente.

----------------------------xx--------------

WHATZZUUUUUUUP!?!

Em primeiríssimo lugar, queria dar as boas vindas e parabéns para a nova moderadora, a Carol! 
Eu não estou acompanhando a história, mas deve ser boa. Só não me deixem -.- SIM, eu sou MUITO ciumenta, até com as leitoras. E além de tudo sou dramática. 

2BJS. 

ACHO QUE VOLTEI COM MEU BOYFRIEND


Agora, eu nem lembro porque demorei, mas to com a maior dó da minha amiga. Ela gostava de um menino á 2 anos, e ele só teve olhos pra ela mais ou menos em setembro, outubro... eles começaram a namorar. Ela deu .-. e a mãe dela descobriu, e proibiu ela de ver ele. E eles tão MUITO mal. Ela nem come direito :( O que eu falo pra ela?


Ei, vou postar uma enquete pra vocês escolherem a próxima fic, o que acham? 

Ta, não sei mais o que falar. 

Não sei se vou postar até o ano novo, mas desejo a vocês um BELÍSSIMO ano de 2013, pra que todos seus sonhos e desejos se realizem. Não importa se na visão dos outros é tosco, se é o SEU sonho, corra atrás! Vocês terão 365 chances, não as desperdicem! Espero que continuemos firmes e fortes aqui, porque vocês ultimamente tem sido grandes amigas pra mim. E alguns, até mais que amigos (bjs pros meus namorados, sdds) KKK Esse ano praticamente não teve barraco, então, ótimo. Espero que possamos abraçar o ''loiro cabeçudo'' (como a duda se referia), nem que não seja em 2013, mas fala sério, que tipo de esposa não abraça o marido? u_u
Muitos sorte pra vender pamonha por 300 reais cada, ou achar um certo ingresso da BT no banco do trem. 
Se bem que se for eu, é capaz de ter 30 ingressos no banco, mas eu não ando de trem, portando... 
Ou então, se eu achasse ao menos um ingresso no banco do bus, seria capaz de ser pra ver a banda djavú. 
Saibam que mesmo sem conhecer vocês, estarei aqui pra qualquer conselho, qualquer dia que vocês precisarem de risadas, porque sempre que eu precisei, vocês me ajudaram. Quero agradecer por isso. Vocês não tem  ideia da amizade que eu construí com algumas. As que não me abandonaram (#indireta, SQN). Esse ano, conseguimos transformar 2 dos meus amigos haters em quase boyliebers \õ Foi realmente um ano de conquista, apesar da minha insegurança pra postar a segunda temporada de Marry you. 
Bom, não sei encerrar textos, então é isso aí negada do subaco cabeludo \õ/ 

PS: algumas perguntas respondi lá na ultima postagem

2Bluekisses *dois, porque da ultima postagem, não dei bluekisses pra vocês :(* 

27 de dez de 2012

2 Broke Girls - Part. 9


Aviso: Devido as demoras ocorridas, eu repostei as outras partes desta fic. 

- Por favor... - disse puxando meu braço enquanto fazia beicinho. Estávamos deitados no sofá vendo algum programa nada interessante e Justin estava me irritando como sempre.
- Jus, eu já falei que não.
- Por quê?
- Eu não estou pronta ainda.
- Vai ser legal... Por favor, Chloe. Eu prometi a minha mãe que ia.
- Então vai, ué.
- Mas ela quer que eu leve você.
- Diz que eu não posso.
- Mas você pode, só não quer.

FLASHBACK ON

- Amooooooooooor da minha vida. - pulou na cama me abraçando. Aí tem coisa.
- O que você quer?
- Minha mãe ligou.
- Hm.
- Ela quer que eu vá passar o Natal com ela...
- Tudo bem.
- E... ela quer que você vá também...
- O quê? Jus...
- E eu disse que você ia.
- Nem pensar!
- Por quê?
- Eu não posso ainda, Jus... eu ainda não estou pronta para conhecer sua família.
- Mas...
- Não.

FLASHBACK OFF

- Já falei que não.
- Eu prometo que vou secar a louça todo dia.
- Justin, você já seca a louça todo dia.
- Isso porque você disse que ia me bater se eu não secasse. - ele refletiu confuso. - Você é má. - eu ri. - Sério, amor... por favor... por mim... eu te compro uma caixa inteira daqueles doces que você gosta.

Doces? Hm... Pensando bem....

- Pensando bem... - ele sorriu - Talvez não vá ser tão ruim que eu vá...
- Ah! É por isso que eu te amo!
- Certo, certo. Agora que você falou em doces me deu fome. Vou fazer pipoca, quer? - disse me levantando.
- Eu te ajudo.
- Okay. Vamos lá, bebezão. - Apertei suas bochechas.
- Esse apelido de novo não.
- Ah sim! - eu ri e ele abraçou minha pernas me pondo em seu ombro.  - Justin! Me larga agora!
- Amor, agora eu acho que a pipoca pode esperar. Que tal um banho?
- Nããããão! Por favor. Me põe no chão, seu brutamontes! - disse batendo no ombro dele.
- Nem adianta, querida! Você já era! Hora da punição. - disse rindo enquanto trancava o banheiro.

[...]

- Te odeio.
- Você me ama.
- E você disse que ia comprar meus doces.
- Mas eu não disse quando.
- Isso é injusto. Fique sabendo que eu só vim porque minhas malas já estavam feitas e você simplesmente me arrastou até o táxi.

[...]

- Acorda, princesa. - Justin está dando leves beijinhos no meu rosto.
- Não. - Sinto seu sorriso.
- A gente já chegou, amor.
- Ahh. - choramingo.
- Minha mãe vai te amar.

Me levanto e então saímos em direção ao táxi que nos espera. Justin deixou o carro em Los Angeles. Neste exato momento, estamos em Chicago. Andamos em direção ao táxi e quando chegamos uma garota morena de olhos claros nos espera. Justin a olha sem acreditar. O.K., ele não gostou disso.

- Jenna?!

Continua...

Recadinho: EU FALEI QUE IA VOLTAR. REPOSTEI AS PARTES PRA FICAR MAIS FÁCIL PRA VOCÊS, QUEM AINDA NÃO LEU OU LEU FIQUE A VONTADE PARA COMENTAR/OPINAR. :)))

O que acharam dessa parte? Demorei mas postei. Enfim, eu passei de ano. Adiós, bitches. Colegial já era. Blz. Eu tava meio sem inspiração ultimamente mas hoje eu estava assistindo Amizade Colorida [de novo] daí lembrei de umas coisas. Enfim, já tenho pelo menos mais uns 3 capítulos bolados na minha cabeça, ou pelo menos os rascunhos deles. Enfim2, gostaram do novo visual do blog? EU que fiz.
Enfim3, tinha duas selenators ridículas me xingando no twitter só porque falei que odeio a selena. lol Rolou barraco mas elas ficaram sem argumentos e me reportaram. '-'

Como foi o Natal de vocês? O meu foi uma merda, sempre é. Enfim. Tô com tédio. Alguém conta uma piada? Af, mas não contem a do Trô, por favor. Uma vez eu tava no tédio e falei pro meu amigo. "Gui, conta uma piada" Daí ele: " Tinha uma passarinho que se chamava Trô, quando chovia Trô voava. < TIPOOOO?! O.O Enfim, eu falo muito enfim, né? Trágico.

Oi, quero pelo menos 30 comentários.

Quem vocês acham que é a Jenna?

Ps. Perguntas? {http://ask.fm/itsmykidrauhl}
Pps. Quem aqui odeia a Selena Gomez dá um oi lá no meu twitter! [@itsmykidrauhl]

Xx

Ally

2 Broke Girls - Part. 8


A garota apenas o olhava sem reação procurando as palavras para explicar o mal entendido, porém Jus havia bebido apesar de não estar bêbado. Havia notado assim que viu seu olhar baixo e vazio, os olhos pesando, implorando por uma noite de sono.

- Justin, eu posso te explicar. Você entendeu errado.
- Com o Alex, Chloe? Você me trai com ele? Porque é o que parece. - grunhiu com raiva. Se levantando e parando em pé na frente da garota.
- Como é que é? Eu nunca te traí, Jus! Pára de inventar coisas, eu já disse que posso explicar!
- Explicar que você continua se comunicando com ele pelas minhas costas? Explique então, Anderson¹!
- Alex tem câncer, Bieber! CÂNCER! - gritou perdendo a paciência.
- E o que você tem haver com isso?
- Ele era meu melhor amigo antes de tudo. Ele está no meio do tratamento, a mãe dele acha que ele está viajando, ele não tem ninguém mais além dela. Não contou porque ela sofre do coração e já não pode ter grandes emoções. Eu nunca te traí com o Alex, ele está em Atlanta se tratando. Não o vejo há meses. E mesmo que não existisse esse problema, como você acha que eu iria te trair? A gente mora junto, vai para a universidade, para o trabalho juntos... dormirmos juntos, saímos juntos. Eu estou sempre com você. Como pôde pensar isso?
- E porque não me contou? Você tem ideia do que eu pensei, do que eu senti? Se você confiasse em mim, teria me contado. Eu nem sei mais quem é você, você me ama mesmo ou está só me usando? Não, deixa. Nem responde. Eu não quero ouvir. Bela namorada você é, no primeiro dia de namoro e eu descubro isso. - disse cansado e com raiva ao mesmo tempo.
- Você tá bêbado. - concluiu, ele não podia ter falado aquilo. Ou melhor, podia. Mas ela preferia seu Jus de volta, aquele que ela amava e que a entenderia depois.
- E você é estúpida. - falou e caminhou até o quarto de hóspedes, enquanto a garota continuava ali parada e as lágrimas caindo.

Justin não sabia o que pensar, estava confuso. Por que ela mentiu? "Que droga!", pensou. Queria dormir e não acordar mais. Tomou um banho e se deitou. Logo foi vencido pelo cansaço.

[...]

Chloe acordara cansada, não havia dormido bem e estava com profundas olheiras roxas. Resolveu que ia mostrar todas as cartas de Alex a Jus, assim teria as provas de que não estava acontecendo o que ele tanto temia. Ela o amava, não estava usando-o e se sentiu ofendida por ele pensar isso dela. Havia chorado na noite anterior, havia se preocupado com ele, o inverno estava chegando e ele havia passado horas fora. Desprotegido da natureza afora. Porém, tinha medo de falar com ele e ele reagir mal novamente mas sabia que uma hora iriam ter que se falarem. Foi em direção ao banheiro a fim de tomar um banho quente antes de encontrar a bomba-relógio.

[...]

- Maldita bebida. - Jus se amaldiçoava por não ter comido nada antes de beber, acordou com o corpo mole, tonturas, dores de cabeça. Nem lembrava da última vez que havia comido, só sabia que o que havia - ou não - estava colocando para fora naquele exato momento debruçado sobre o vaso. E então se lembrou dos avisos de Chloe a respeito dos cuidados que devia ter com a saúde. Ignorava todos e agora tinha raiva de si mesmo por ter sido tão desobediente. Chloe. Ele ainda estava com raiva dela, mas não como antes. Talvez depois conversasse com ela.

Escovou os dentes e tomou um banho frio para ver se melhorava um pouco. Em vão. Foi então em direção a cozinha, iria procurar um remédio, encontrou Chloe preparando o café da manhã. Estava sem fome, fraco e o mal-estar piorava ainda mais. Nem percebeu o tempo que passou ali observando-a até...

- Justin? - olhou-o preocupada - Justin, você está bem?

Ele nada respondia, apenas a encarava com o olhar triste e cansado, sentiu os olhos pesarem mais até que não aguentou e tudo ficou preto.
A garota correu desesperada até ele, tentou reanimá-lo mas não conseguiu, já estava a ponto de chorar de tanta preocupação. Ele queimava em febre e ela não sabia o que fazer. Ficou um tempo tentando desacordá-lo e nada, ate ter uma ideia. Pegou o celular e rapidamente discou os números.

- Alô? Vic?
- Fala, vadia!
- Por favor, eu tô precisando de você, o Jus... o Jus desmaiou eu não sei o que fazer, ele tá com muita febre e não acorda de jeito nenhum.
- Chloe, calma! Me escuta! Faz o seguinte, coloca ele na cama, pega uma toalha úmida e coloca na testa dele para ver se diminui a febre, eu tô indo aí, tudo bem?

Victoria Yung era amiga de Chloe, cursava o penúltimo período de medicina na universidade. Quem a conhecia pensava que era simplesmente uma louca mas quando a coisa se tornava séria, ela também se tornava. Tirando isso, era uma pervertida de primeira, sempre tirava sarro de Chloe e Justin. Conhecia ela desde que entrou na universidade.

[...]

- Oi, cadê ele? -  indagou Victoria assim que entrou. Chloe indicou o quarto a acompanhando nervosa.
- Você... tem alguma ideia do que ele tenha?
- Sim, mas prefiro confirmar. Justin bebeu ontem?
- Sim.
- Ele comeu algo?
- Não sei. A gente brigou, e antes disso ele viu umas cartas do meu ex, e saiu de casa nesse frio sem proteção alguma. - falou enquanto Vic tirava a pressão do rapaz.
- Já sei o que houve. A pressão dele baixou por isso causou o desmaio, vou aplicar uma injeção nele, acho que vai ser suficiente. A febre foi provavelmente por causa do frio, provavelmente ele acordou péssimo e talvez deva ter vomitado, caso não tenha comido nada. E eu acho que ele não comeu nada, do jeito que ele cuida super bem da saúde dele. Daqui a pouco ele acorda, sugiro que prepare um café da manhã bem forte para ele. - sorriu no final. - Anda, sua vaca! Vou com você, também estou morta de fome.
- Obrigada por ter vindo, sério.

[...]

NARRADOR OFF

JUSTIN POV ON

- Você vai comprar esse remédios, aqui. Dê a ele de oito em oito horas até ele melhorar. E cuidado na alimentação! Ele não pode comer frituras e coisas muito gordurosas enquanto não melhorar... - acordei escutando a voz de Vic, a amiga doida da Chloe. Meu corpo pesava uma tonelada mas a dor de cabeça já havia melhorado um pouco. Abri os olhos devagar encontrando Chloe de costas conversando com Vic perto da porta.
- Ahn... O que tá acontecendo? - falei com dificuldade sentindo minha garganta doer.
- Jus! - Chloe falou vindo até mim. - graças a Deus! Como se sente? O que está sentindo? Eu trouxe seu café da manhã, o.k.?
- Eu... ahn...
- A garganta dele dói. Melhor ele tomar algo líquido primeiro. - Vic disse. - E da próxima vez, cabeção, vê se come algo antes de tomar um porre. Ou então você ainda mata a Chloe um dia do coração.
- Victoria... - Chloe a fuzilou.
- Sério, pensei que ela fosse morrer por causa do seu resfriadinho, mas enfim, não a culpo. Sei como é estar apaixonada.... Bom, na verdade não sei. - ela riu, parecendo um travesti diga-se de passagem - Meu lance não é esse, vocês sabem. Bom, eu passei uns remédios para você e umas recomendações para a Chloe. E nem reclame, porque sim, meu querido, você vai ter que obedecer ela se quiser melhorar logo. Tenho que ir, até mais, amiga linda. E tchau para você também, cabeçudo. - e então ela saiu me deixando lá com cara de bunda, enquanto Chloe continha um sorriso aliviado no rosto. Ignorei e peguei o suco da bandeja.

[...]

Depois que eu terminei de comer, ela levou as coisas e voltou novamente para o quarto, não havíamos falado nada ainda, e do jeito que minha garganta estava eu não ia falar nem tão cedo.

- Jus... - chamou. Apenas a olhei e ela segurava as cartas na mão - Quero que leia isso, eu sei que você não aguenta falar por causa da garganta mas weu preciso que leia e que acredite em mim. - dizia enquanto eu apenas a observava sem expressar muita coisa. Avistei um bloquinho e uma caneta em cima do criado-mudo e peguei já lembrando das nossas brincadeiras com ele...

FLASHBACK ON

- A gente não pode falar, O.K.? O que quisermos comunicar tem que ser pelo bloquinho.
- Isso é estúpido. - disse eu, sendo sincero. É. 
- Qual é, Jus! Vamos. 
- Ah... tá bom. Vai. 
- Você começa. Esqueve qualquer coisa. - falou e eu escrevi "qualquer coisa", mostrando a ela em seguida, rindo de sua cara de "assim não, idiota."

Escrevi então: "Você tá sexy nessa blusa branca" e logo ela respondeu com um: "Pervertido."

"Estou sendo sincero" "Claro, claro" " Sério" "eu disse que não era?"Okay, sua vez" "Odeio quando você me perturba de madrugada para me irritar" "Amor, você sabe como eu adoro quando você fica irritadinha" "Mais chato que você, só você duas vezes" " Que meigo" "Idiota" "Linda, gostosa, amor da minha vida" "LOL" " Eu te amo" "Eu te amo".

FLASHBACK OFF

Peguei o bloquinho e escrevi "Por quê?" a fim de que ela respondesse, e como esperei assim ela fez.

- Ele me fez prometer não contar a ninguém, só eu e um primo dele sabemos. Eu prometi a ele que não diria a ninguém, Jus. Entenda meu lado, isso foi antes de eu te conhecer, bem antes. Prometo que não vai se repetir, agora só você e Vic que sabem, porque eu contei a ela hoje.

"Tudo bem, acredito em você. Me desculpe."

- Leia as cartas, Jus. - disse colocando-as em meu colo.
"Não quero ler."
- Mas...
"Já falei que acredito em você, porque não pode simplesmente vir se deitar comigo?
- Mas... Jus...
"Tô carente, amor. Vem deitar comigo." - escrevi e mostrei a ela com um sorriso inocente.
- Besta.
"Que você ama"
- Você tem ideia da preocupação que me fez passar?
"Estava demorando."
- Demorando nada, agora você tá aí doente.
"Vem logo e deixa de enrolar, eu já entendi. Estou errado, desculpe. Agora me dá um beijo?"
- Na bochecha, amorzinho. Não quero gripar também. - disse e me beijou. Puxei-a para meu colo e e logo beijei seu rosto também.
- Desculpe. - sussurrei e a abracei.
- Se você tivesse me escutado nada disso teria acontecido.
- Okay, não precisa jogar na minha cara.
- De agora em diante, vou te contar tudo. Quem sabe assim você para com esse seu ciúme.
- Acho bom mesmo.

¹: Sobrenome da Chloe, gringos têm mania de se comunicarem pelo sobrenome mas isso todo mundo já sabe, enfim. 

Continua...

Recadinho: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

KEEP CALM and BE FABULOUS. 

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 


By: Ally - @itsmykidrauhl

2 Broke Girls - Part. 7


[...]

- Justin, eu já fiz as malas. - disse batendo na porta do banheiro. Estávamos da casa de Britanny, para pegar o resto de minhas coisas e ele cansou de me ver arrumando as coisas e falou que iria tomar banho. Brit não estava em casa - como já era de se esperar.
- Amor, entra aqui.
- O que voce quer?
- Hm, eu esqueci a toalha, pode me entregar? Se não eu vou molhar todo o banheiro...
- Tudo bem. - entrei e ele estava no box, peguei a toalha e levei até ele. - Pega logo, eu não vou... JUSTIN! EU NÃO ACREDITO QUE VOCE FEZ ISSO! - antes que eu pudesse acabar de falar, ele simplesmente puxou a toalha, me puxando junto e consequente me molhando toda, quando eu estava distraída.
- Não acredito que caiu de novo nessa. - disse rindo da minha cara. Olhei pra ele com raiva e ele me prensou na parede.
- Idiota. Me larga.
- Você não quer que eu te largue. - Não foi uma pergunta, ele se aproximou roçando seu nariz.
- Se eu to pedindo é porque quero. - já estávamos sussurrando à essa hora. Ele então começou a subir sua mão por dentro de minha blusa, chegando perto dos seios e os apertando de leve, me fazendo arfar, me deu um rápido beijo na boca e, em seguida, desceu os beijos para meu pescoço. Ele sabia bem como me render. Passei a retribuir seu beijos enquanto ele se desfazia de minhas roupas...

[...]

- Mais... rápido. - pedi, ou melhor implorei. Ele adorava me torturar.
- Quais são as palavrinhas mágicas?
-  Vai logo, idiota! - ele mordeu meu pescoço, me prensando ainda mais contra a parede.
- Pede direito, amor... - sussurrou no meu ouvido. [n/a: ok. imagina a cena do Jus sussurrando isso no seu ouvido... PLEASE! eu acho que eu teria um orgasmo na horaele podia até falar macarronada que ia ser bom. lol]
- Ahn... Por.. favor... - e então ele atendeu meu pedido. Até que...
- Oi... alguém em casa? Justin? - batidas - Justin, é você?
- Você trancou a porta? - sussurrou pra mim e eu assenti me segurando para não rir.
- Fala com ela, mas se você parar... eu te mato, Justin Bieber. - sussurrei e ele riu, continuando com os movimentos que iam cada vez mais rápidos.

JUSTIN POV ON

- Sim, Britanny!
- Okay, por onde você andou?
- Ahn... é... o quê? Ah, droga! - não estava mais conseguindo me controlar e Chloe começou a arranhar minhas costas, beijando meu pescoço em seguida...
- Justin! O que está acontecendo?
- Desculpe, Brit. É... o sabonete caiu, só isso. Eu estive muito cheio na faculdade... você sabe como é...
- Hm, e a Chloe? tá ótima, obrigado.
- O... aww... o que tem ela? - quase lá.
- Justin... o que... você está...
- O quê?! Não! E eu nao sei nada da sua irmã.
- Hm... O.K., eu vou na Tifanny.
- Certo. - e então ouvimos a batida na porta. - Finalmente. - e então chegamos ao ápice.
- Fico impressionada com a burrice da minha irmã.
- Por que você tem sempre que me provocar, hein sua chata?
- Vingança, amor. - falou e logo eu entendi. Mulher má, muito má.

[...]

- Ah, lar doce lar. - disse me jogando no sofá.
- Que doce nada, você vai me ajudar com as malas, vamos.
- Mas querida...
- Nem mais nem menos, neném.
- Okay, amor. - disse e me levantei a acompanhando em direção ao quarto. - Ainda bem que meu armário é grande, caso contrário não ia caber isso tudo...
- Justin, pode pegar aquela malinha vermelha, por favor?
- Falando nisso, essa é a menor. O que tem dentro?
- Hm... roupas íntimas.
- Quê?! Eu quero ver!
- Não! Me dá essa mala! - reclamou tentando pegá-la.
- Então é aqui que você guarda seus planos e técnicas e brinquedinhos para seduzir o garotão aqui não é, safadinha? - falei malicioso e ela riu. Mas quando fiz menção de abri-la, ela ficou tensa e voou pra cima de mim.
- ME DÁ ESSA MERDA AGORA! - tentou puxar, e acabou fazendo com que caísse muitas coisas de dentro. E nenhuma lingerie.
- Roupas íntimas, não é? - falei pegando as coisas (fotos & cartas, devo dizer), ela me encarava estática. Examinei as fotos e vi várias dela pequena, adolescente, em vários lugares diferentes, e vi também fotos dela com um cara... virei uma delas e vi escrito mensagens amorosas assinadas por "Alex". Olhei as cartas: Alex, Alex, Alex...

Que merda é essa? Por que ela guarda isso? Será que ela... não, não pode ser.

Fiquei meio sem acreditar no que eu estava vendo em minhas mãos. Larguei tudo no chão, com raiva, nojo.... eu nem sabia o que eu estava sentindo direito. Saí do quarto batendo a porta sem nem olhar na cara dela.

JUSTIN POV OFF

NARRADOR ON

O garoto saiu andando com pressa mesmo sem saber aonde ir, andou, andou e parou em um parque, sentando debaixo de uma árvore. O mesmo parque que havia levado a amada, a mesma árvore em que ficaram naquele dia. Mas o que ela queria, afinal? O que havia de errado com ela? Ou com ele? Seu amor não era suficiente? Ela precisava de outro? Será que ela ainda amava Alex? PIOR: Será que ela o amava mesmo ou só estava usando ele por satisfação, carência ou seja lá o que for? Muitas perguntas rodeavam sua cabeça, tentava achar alguma justificativa para aquilo o que viu. Sentiu vontade de chorar, "muito gay", pensou. Mas estava inseguro e a vontade só aumentava, seu coração estava machucado, ela havia o magoado mostrando, mesmo sem querer,  que guardava coisas a respeito do ex-namorado. Justin nunca havia amado uma garota, ficava com elas por diversão e nada mais. Agora que finalmente tinha descoberto o que era o amor, ou pelo menos o que ele achava que era pelo que Chloe demonstrava ser com ele, descobriu também algo novo em relação a isso: Decepção. Chloe havia o decepcionado. Fez com que sentisse como lixo, sem ter mesmo dito nada. De repente, sentiu vontade de beber mas não o fez. Afinal, de que iria resolver? Esquecer problemas por um tempo para depois eles voltarem novamente? Bobagem. Repensou de novo a respeito, e terminou em um bar, ainda estava sóbrio, por isso resolveu ir para casa antes que perdesse o controle e começasse a desabafar com o barman.

Chegou em casa depois de quase cinco horas fora. O relógio marcava mais de meia-noite, pelo que ele conseguiu enxergar. Entrou em casa, trancando a porta em seguida e se jogou no sofá, havia uma luz acesa mas não conseguiu identificar se era do quarto ou do banheiro, estava sem vontade de saber. Ficou olhando para a parede a sua frente, o olhar vago, perdido em pensamentos, aliás, queria pelo menos parar um segundo de pensar mas Chloe não saía de sua mente. As dúvidas e inseguranças não o deixavam e ficou pior ainda quando viu Chloe ali parada à sua frente o encarando hesitante, com o rosto inchado e expressão preocupada. Ah, então ela havia chorado? Que merda era aquela? Ele que era a vítima da história, não ela.

- Existe uma coisa... - murmurou fazendo com que ela tomasse um pequeno susto. No fundo, até ele se assustou com o tom da própria voz. - ... chamada confiança.
- Jus... - tentou falar mas foi logo interrompida por ele.
- E eu acho que você não sabe o significado disso.

Continua...

RECADINHO: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 


By: Ally - @itsmykidrauhl


2 Broke Girls - Part. 6


- Acorda, dorminhoca. - escutei a voz de Justin. Ele começou a dar beijinhos no meu rosto, e entao eu abri os olhos.
- Justin! - segurei seu rosto enquanto ele dava um sorriso cansado - COMO eu vim parar aqui? - perguntei já sabendo a resposta.
- Você me esperou ontem até tarde e acabou adormecendo. Eu te trouxe para cá.
- E o seu projeto? Eu prometi que ia te ajudar, por que não me acordou? - perguntei passando os polegares por suas olheiras profundas.
- Você tava muito bonitinha dormindo.
- O quê?! E você trabalhou o dia inteiro e a noite inteira. Agora vou ficar com a consciência pesada, obrigada. - disse eu emburrada e ele riu. Me sentei na cama. - O que você comeu?
- Hmm... nada.
- Não me diga que andou sobrevivendo de café de novo, Justin Bieber. - cerrei os olhos.
- Assim você está parecendo a minha mãe. Eu precisava ficar acordado. Agora levanta que eu já fiz o café da manhã, preciso ir na faculdade entregar isso e já volto.
- Tudo bem, vou fazer aquela torta que você adora. E quando chegar você vai dormir, ouviu bem? E nada de cafeína! - ele revirou os olhos.
- Tudo bem. Eu tô indo agora, capricha na torta! - disse e me deu um beijo no rosto.

[...]

Como Jus falou, ele não demorou muito. Chegou, comeu e foi dormir  Isso há 4 horas atrás. Ou seja, cozinhei e dei um jeito no apartamento dele (inclusive na bagunça que ele deixou ontem), fui tomar banho e depois arrumei as coisa para o jantar. Quando acabei, fui acordar ele.

- Jus... - falei passando a mão por seu rosto e cabelo.
- Hm - resmungou.
- Acorda, bebêzão. - brinquei. E de repente o telefone começou a tocar, quando fui me levantar ele me agarrou fazendo-me cair na cama, comecei a rir e ele ficava abraçado comigo, com a parte esquerda do rosto encostada nos meus seios. Engraçadinho. - Jus! O telefone tá tocando. Me larga. Vai se arrumar para jantar.
- Aqui tá melhor. - disse com os olhos fechados. Ri e comecei a empurrar - ou tentar - a cabeça dele, quando finalmente consegui - e acredite, não foi fácil - segurei seu rosto com as maos enquanto ele olhava para mim com cara de quem vai aprontar. Socorro.

E então ele começou a fazer cócegas em mim.

[...]

 - Eu achei um apartamento. - falei animada enquanto terminávamos de comer a sobremesa. - Fica perto da faculdade, dá para ir andando, não é muito grande mas... - ele suspirou - o que foi? - perguntei ao ver ele... desanimado?
- Nada... - falou baixo se levantando e levando o parto para a pia.
- Como nada? Justin, eu quero saber? É por causa do apartamento? - ele ficou calado. - Responde, droga! - calado. - Vaia me deixar falando sozinha? Ótimo! Aproveite a torta. - me levantei e peguei meu casaco com raiva. Coloquei-o, peguei minha bolsa e quando me virei...
- Quer saber? É por causa do apartamento mesmo! Para que você quer um?
- Eu já te disse, não vou morar com Brit! Quero sair de lá.
- Você não precisa de um apartamento novo! - falou se aproximando, e eu me irritei mais.
- E o que você quer que eu faça? Eu não vou morar em um quarto de faculdade e... - Já estávamos frente a frente, quando ele me puxou pela cintura e me beijou. Um  beijo simples que não durou muito mas repleto de sentimentos. Encostou a testa na minha com os olhos fechados.
- Mora comigo.
- Jus...
- Você passa mais tempo aqui do que lá. Mora comigo - repetiu. - Não diga que é má ideia, voce adora o apartamento, podemos ir para a faculdade juntos e ir para o trabalho juntos... Eu não me importo de ter você aqui, te deixo até mudar a decoração, mas fica. Quero que você fique pertinho de mim - sorriu me dando um selinho. Sorri junto.
- Qual é a proposta exatamente?
- Hm... apartamento legal, dois quartos, dois banheiros, closet, cozinha, sala... e...
- E...?
- Um namorado lindo e gostoso só para você. - rimos.
- Namorado? Desde quando que eu não estou sabendo?
- Querida, eu te amo, você me ama, nos amamos, moramos juntos, somos um casal... - falou com a voz cheia de ego. - E sem contar que eu não namoro mais a sua irmã, a gente não terminou oficialmente mas não temos nada há meses e pelo que eu sei ela anda saindo com um cara, mas não estou nem aí. Sabe por quê?
- Por quê? - prendi o riso.
- Por que eu tenho você que é mil vezes melhor que ela, em todos os sentidos. - então eu dei um tapa nele.
- Idiota! Eu sei bem que "sentido" você estava pensando.
- Amor, assim você me ofende. Eu falei em TODOS os sentidos, mas nisso também está incluído sua personalidade. Parece a Jamie de "Amizade Colorida". E eu sei o que vai dizer, que eu pareço com o Dylan. Mas está vendo? É por isso que damos certo. Agora só resta você falar um 'sim' bem bonito e pronto. Você vai falar, não é? - perguntou me selando - Hein? - selinho - Vai? - Huh? selinho - Eu. - selinho - Te. - selinho - Amo. - selinho. - Coisa linda.
- Ai! Tá bom! Tá bom! Agora pára, você já tá começando a me babar - ele riu e puxou meu rosto lambendo e mordendo minha bochecha - Qual é! Que nojo, Jus! - comecei a rir - Virou cachorro agora? - ele riu e me puxou para um beijo.
- O melhor de tudo é que agora eu sei que você é só minha.

 Continua...

Recadinho: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 


By: Ally - @itsmykidrauhl

2 Broke Girls - Part. 5


- Musicais? E eu achando que você ia trazer algo mais romântico. Chicago não é muito agradável para homens... - ela riu.
- Amo musicais... mas como eu achei que você teria essa reação... eu trouxe uma terceira opção - disse ela mostrando o outro.
- Amizade colorida?
- Dizem que é bom... - sorri.
- Espero que goste do jantar. - disse enquanto ela entrava no apartamento.

[...]

- Sério que você que fez esse jantar? - disse enquanto acabávamos com a garrafa de vinho.
- Sou um homem prendado, meu bem. - ela riu.
- Desse jeito já dá para casar. Sabia que eu acho muito sexy homens que cozinham?
- Então você me acha sexy? - perguntei sorrindo.
- Já disse alguma vez que não? - disse sorrindo também.
- E então, está pronta para a sobremesa?
- Me surpreenda!

Levei-a até a sala e lá eu tinha posto a nossa sobremesa em cima da mesinha de centro.

- Fondue?!
- O que foi? Não gostou? - ela riu.
- Claro que sim. Essa é minha sobremesa preferida, como sabia?
- É... eu não sabia. - ela riu.

Em seguida, eu coloquei o filme enquanto ela se desfazia dos sapatos.

[...]

- Esse filme é tão... nós. - falou. Chloe estava deitada no sofá com as pernas estiradas sobre me colo, enquanto eu fazia carinho nelas com o dedo.
- Não acho. - rebati.
- Por quê?
- A gente é diferente. O.K., somos parecidos um pouco com eles mas mesmo assim, ainda somos diferentes...
- Como assim? É sexo sem compromisso em ambos.
- Mas não ocorre jantares em ambos, nem momentos como esse. A gente é diferente nesse ponto e claro, no sexo. Não ficamos comentando ou falando a respeito na hora "H". - ela riu.
- Então, ainda bem que somos diferentes. Tem razão, Justin.
- Prefiro quando você me chama de Jus. - sorri fazendo bico. Ela riu. - Você é especial para mim, Chloe. Não se trata apenas d esexo, você é minha amiga, eu confio em você.
- Aposto que diz isso para todas as suas amigas... Alex também dizia isso.
- Eu não sou o Alex. Não me compare a ele, não diga o que não sabe, Chloe. Ou pelo menos pare de fingir que não sabe.
- Mas eu não sei, Justin. A gente se conhece a pouco tempo... e...
- Tenho certeza que me conhece mais do que Brit nesse pouco tempo em que estivemos juntos. - cortei-a.
- Tudo bem. Desculpe, Jus. não queria irritá-lo.
- O pior é que eu não consigo ficar com raiva de você, querida. - brinquei.
- Nem eu de você, querido. - rimos. - Sabia que você fica muito sexy com o cabelo bagunçado?
- Sabia que você é sexy o tempo inteiro?
- Idiota. Não sei o que você vê nisso. - disse apontando para seu corpo.
- Ah, muita graça com certeza Mas não se trata apenas disso. Se trata de você, se fosse só o corpo eu ficaria com a Britanny. Mas eu prefiro você.
- Como assim?
- Não consigo manter uma conversa com alguém como ela... ás vezes tenho raiva dela... se não fosse por ela eu teria te conhecido há muito tempo. Mas...
- Eu estaria com Alex provavelmente. - completou.
- Então, isso ao mesmo tempo é bom?
- Já tínhamos falado sobre isso, Jus. Cale a boca e esqueça. - disse um pouco irritada.
- Me faça calar. - ela ssoriu e eu sorri junto. Em seguida, se aproximou e me beijou.

[...]

Estávamos na cama, eu por cima dela enquanto a beijava-a no pescoço. Até que...

- Jus...
- Hm. - continuei a beijando-a.
- Preciso ir ao banheiro. - suspirei em frustração. Logo agora?
- É urgente. Mas eu volto logo.
- Arrgh. Tudo bem. - caí sobre a cama.
- Jus?
- Hm.
- Não acha que estou gorda? - Hã? Não era ela que não se importava com isso?
- O quê?! - virei para olhá-la e encontrei-a sorrindo parada na porta do banheiro, somente de lingerie.
- E então? Gostou? - disse dando uma volta.
- Se isso é ser gorda, continue assim sempre, por favor. - ela riu. Eu me sentei na cama enquanto ela se aproximava de mim, quando pensei que ela finalmente seria minha, ela desviou o caminho e foi em direção à sua bolsa que estava jogada no quarto, pegando de lá um CD e colocando-o no som que ficava no quarto. Soltou os cabelos ainda de costas, e a música começou a tocar. Reconheci a voz de Christina Aguilera, acho que é uma das músicas de Burlesque.

I need a tough lover, yeah yeah yeah
I need a, a tough lover, woo...


E então ela começou a andar em direção à cama. Subiu na mesma e começou a dançar, rebolando no ritmo da música. E só para mim. Eu estava imóvel, ela se abaixou e começou a engatinhar em direção ao colo, sentando no mesmo e rebolando. Ah, qual é?! Eu estava a ponto de explodir! Ela se levantou novamente, me puxando pela gola da camisa, sorrindo maliciosamente. Ficamos em pé no chão, enquanto ela começava a desabotoar minha camiseta, a fim de livrar-se dela. Quando o fez, pôs as mãos no meu peitoral, arranhando-o sem pena com suas unhas, fazendo com que eu reprimi um gemido, apertando-a forte na cintura. Quando fez isso, se livrou da minha calça e agora estávamos, amobs, somente de roupas íntimas. Logo ela me jogou na cama subindo em cima de mim, beijando todo o meu tórax, enquanto sua mão descia para minha cueca, apertando de leve o meu amigo. Foi a gota d'água.


He's a tough lover (yeah, yeah)
A tough lover (woo)
He's a tough lover (yeah, yeah)
A tough lover (oh oh)

Segurei pela cintura e inverti as posições ficando por cima, e beijando-a ferozmente. Ela agora estava com uma mão agarrada ao meu pescoço, fazendo um carinho nos meus cabelos, enquanto suas pernas envolviam minha cintura. Comecei então a apertar suas coxas, logo retirando-a sua meia. Depois disso, foi a vez de me livrar do sutiã. Quando o fiz, ela resolveu livrar-se da minha cueca enquanto eu brincava com seus seios. 

[...]

JUSTIN POV OFF


NARRADOR POV ON


Jus se movimentava rapidamente para dentro e fora de sua adorada amante. Ambos gemiam devido ao prazer que um proporcionava ao outro. Ambos à ponto de bala. Se beijavam e trocavam palavras que no momento eram repletas de significados mas que provavelmente não se lembrariam depois. A garota então começou a chamar seu nome em meio a gemidos deixando-o mais louco ainda, se é que era possível, avisava que estava quase lá, nao duraria muito e, daquele jeito, Jus também não. Era impossível que descrevessem o que sentiam naquele momento, seus corações aceleravam quando estavam juntos. Um fazia bem ao outro. Mas ainda não sabiam ao certo o que estava para vir. Ambos não sabiam o que sentiam, era uma confusões de sentimentos, a única coisa que sabiam é que gostavam do que sentiam e mais nada.

[...]

O garoto caiu exausto sobre o corpo da garota, suavam muito e tinham suas respirações descompassadas, era a segunda vez que repetiam a dose. Agora, ambos satisfeitos. E confusos. Afinal, continuavam sentindo aquela coisa que não sabiam o que era. Ele beijou-a nos lábios, acariciando-a no rosto enquanto a mesma mantinha os olhos fechados ainda tentando recuperar o fôlego. Eu te amo, Chloe., escutou Jus dizendo-a. Abriu os olhos devagar, encarando-o confusa, ele tinha dito aquilo mesmo ou era apenas sua imaginação?- Jus... - murmurou baixinho, ele fechou os olhos por um momento e abriu-os novamente, com um sorriso de canto.- Eu te amo, Chloe. - disse novamente, dessa vez mais alto e claro. Mas afinal, era isso mesmo que sentia? Ele a... amava? Pensava que sim, era sua teoria mais lógica para o que sentia, só podia ser aquilo, então o amor era aquilo?, pensou enquanto ainda encarava os olhos curiosos da amada. Se o amor fosse realmente assim ele não iria se importar nem um pouco de amá-la pelo resto da vida. Não mesmo. Já ela ainda o encarava assustada e ao memso tempo maravilhada, mas afinal ela também sentia o mesmo que ele havia dito sentir por ela? Já sofrera demais com seu antigo relacionamento, criara uma espécie de escudo contra homens, tal escudo que parecia não existir quando estava com Jus. Mas ela sabia que ele era diferente de AlexEle era diferente dos outros. Ela confiava nele. Se entregava a ele de todas as formas possíveis. Ele já a tinha visto em seus melhores e piores momentos, ela não sabia se aquilo iria durar mas pela primeria vez na vida, teve certeza: Naquele momento ela sabia que o amava. Céus, ela o amava! Como não pudera perceber isso antes? Seria tão burra a ponto de tal coisa?- Eu te amo. Jus, eu te amo. - disse a ele. Ele sorriu ao escutá-la dizer aquilo. Ela sentia o mesmo. Ele a amava. Ambos se amavam. Como não haviam percebido antes? Eles eram sem mais nem menos, perfeitos um para o outro.     [...]


NARRADOR POV OFF

Eu o amava. Nós nos amávamos. Então isso é o tão falado amor?

[...]

Estava deitada junto a ele na cama, de seu lado direito abracando-o com a cabeça no seu peito e a perna em cima da sua.

- Uma cor? - falei repentinamente.
- Ué, para quê?
- É um jogo. Só responde, depois você faz comigo. - falei.
- O.K., roxo.
- Uma comida.
- Espaguete.
- Um sonho? - ele corou.
- Pula.
- Hã? Pode falar...
- Ahn... me... casar.
- Que raro. São poucos homens que querem isso. Mas muitas mulheres que sempre quiseram.
- Pode quer também.
- Não... ou melhor, nunca pensei no assunto. Casar, ter filhos... mas acho que sim, talvez um dia. É.
- Eu quero ter filhos. Um menino, pelo menos.
- Eu também. Um menino. A maioria das mulheres gostariam de ter meninas primeiro. Eu sempre quis um garoto. - sorri olhando para Justin vendo que ele também sorria.
- Na verdade, eu queria três. Três filhos.
- Uau, coitada dela.
- Quem?
- A mulher com quem irá ter três filhos. Claro que para você será fácil, ela quem terá que sofrer com dores, e enjoos e dores e enjoos... - ele riu.
- O.K., um casal, no mínimo.
- É o ideal para todos. Enfim, uma palavra?
- Felicidade.
The strands in your eyes that color them wonderful stop me and steal my breath... - cantarolou.
- Um momento?
- Esse. 
- Um sentimento?
Amor. - sorrimos.
- Uma frase?
Eu te amo. 

Continua...

Recadinho: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 


By: Ally - @itsmykidrauhl

2 Broke Girls - Part. 4


JUSTIN POV ON

Segunda-feira. Ótimo. Acordei, me arrumei e fui na casa de Brit pegar Chloe, hoje é seu primeiro dia de trabalho. Entrei e vi que Brit não estava em casa, para variar... Então fui em direção ao quarto de Chloe.

- Toc toc? - disse batendo na porta.
- Quem é? - perguntou ela.
- Quem você acha que é? - ela riu e depois murmurou um 'entra'. - Tá pronta, pequena? - e então ela saiu do banheiro apenas de lingerie com duas mudas de roupa nas maos.
- Vai tentar seduzir o chefe com essa lingerie, é? - falei me aproximando.
- Depende... - disse passando os braços pelo meu pescoço - Você é o chefe? - sorrimos.
- Posso ser se você quiser... - disse selando de uma vez nossos lábios.
Esse ou esse? - perguntou mostrando-os.
- Nenhum dos dois.
- O quê? Por quê?
- Hm... você fica... gorda com essas roupas. É. - desculpa esfarrapada...
- Gorda? Querido, quantas vezes vou ter que dizer "EU NÃO SOU A BRITANNY". Esse papo de gorda não funciona comigo. Você disse que não precisava me vestir formalmente assim como você, então pensei em algo mais simples e...
- Simples? Você quer andar pelada?!
- Como é que é?
- As pernas! - explodi - As...malditas pernas. - disse observando-as. Qual é? Sou homem! - Essa... essa roupa - falei gesticuladno com o dedo - é... curta demais. É. Isso. - Me arrependi de te falado quando vi a cara dela. Merda.
- Hmm... sinto cheiro de ciúmes...
- Eu... não estou com ciúmes. Que besteira, por que eu teria ciúmes de você?
- Você também tem ciúmes da Britanny?
- Não. Você quer...
- HA! - gritou - Acabou de admitir que tem ciúmes!
- O quê? Não! Eu nem falei nada.
- Então por que falou da roupa?
- Por... por que...
- Desiste, Bieber. Admita logo que está com ciúmes. Sabe... é normal amigos sentirem ciúmes...
- Também é normal amigos se pegarem de vez em quando? - perguntei me aproximando dela. Ela não respondeu e tirou logo o sorriso da nada.
- Escolhe logo a porcaria da roupa. Shorts ou vestido?
- Já disse.
- Ótimo. Vou com o shorts.
- Não mesmo! - protestei.
- Estamos perdendo tempo, Bieber.
- Então vista uma calça, Anderson. - falei entredentes chamando-a pelo sobrenome.
- Tudo bem. Mas só por que eu quero. E... você é um idiota, só para constar.
- Vai lá, gostosa. - disse dando um tapa na bunda dela quando ela fico de costas. Olhou para mim incrédula,  enquanto eu só ria.

[...]

Chegamos ao trabalho e logo fui apresentá-la ao meu chefe, Mark.

- Mark, esta é Chloe Anderson. A mulher de quem lhe falei.
- Olá, Chloe. - disse olhando de cima a baixo, velho safado. - Justin disse que você desenha muito bem. E faz faculdade de design, isso irá ser útil. Precisamos de opinioes aqui.
- Muito obrigada pela oportunidade, Senhor Mark.
- Senhor não, por favor, me chame apenas de Mark.

JUSTIN POV OFF

[...]

- O Mark parece ser bem legal. - comentei enquanto voltávamos para casa.
- Ele é um safado, isso sim.
- O quê?
- Você não viu o jeito que ele te olhou? Achei que fosse te comer com os olhos. Imagine se eu tivesse deixado você vir com aquelas roupas minúsculas...
- Claro que não. Está imaginando coisas, Bieber.
- Se bem, que ele é até bem bonito para um homem da idade dele... - falei para ver a reação dele.
- O QUÊ?! - gritou incrédulo enquanto o sinal não abria. Comecei a rir - Por que tá rindo? Não estou vendo motivos para graça!
- Calma! Eu estava só brincando! - ri mais.
- Não... por que você não vai logo atrás dele. Pode ir. Eu. não. ligo.

JUSTIN POV ON 

- Você achou mesmo que iria me interessar por um homem que tem idade para ser meu pai? Não sou a sua namoradinha medíocre. - ela fechou a cara e ficou olhando para a janela.
- Tudo bem. Desculpe. - disse eu depois de um tempo. Ela sorriu fraco e olhou para mim assentindo.

[...]

Dois dias haviam passado. Era por volta das 3 da tarde e estávamos na cozinha enquanto Brittany tomava banho. Chloe preparava algo para lancharmos.

- Quer jantar comigo hoje? A gente pode ir pro meu apartamento e assistir um filme, sei lá...
- Tudo bem. Mas...
- Lá vem... - sempre tem um 'mas'.
- Tem uma condição. Eu escolho o filme.
- Tudo bem. - disse e ela sorriu.

Minutos depois Britanny desceu saltitante...

- Jus, vamos sair hoje, amor? - disse praticamente me agarrando. Vi que Chloe revirava os olhos.
- Ah, não vai dar, Brit. Hoje os caras vão lá para casa... você sabe, né? Noite dos rapazes!
- Ah, mas por quê? Não pode adiar? Queria passar um tempo com você...
- Eu já tinha combinado com eles, Britanny. Melhor deixar para outro dia. Por que não vai na casa da Tiff? Encontrei com ela no pub no dia que você disse que ia para lá e adivinha só... ela disse que fazia "séculos" que não te via. - disse e ela ficou nervosa.
- Bom... éer... eu fui lá e não achei ela... então fui na casa da Kelly... e depois ela me prendeu lá, você sabe como a Kelly é... mas e você? O que fazia num pub?
- O que se faz num pub? Fui me divertir, oras. Tentei ligar para você e não estava, então fui só mesmo. Mas nem fiquei muito tempo, logo voltei para casa. Sabia que é uma coincidencia? Sempre quando eu estou livre, você não está...
- Ah... mas você sabe que a faculdade dificulta, a sua também, e tem o seu trabalho...
- Tudo bem, Brit... agora vou para casa... preparar as coisas de hoje... os jogos... é. Tchau. - beijei sua bochecha e sai dali.

[...]

Fui para casa e cuidei em preparar o jantar. Taí algo que eu nunca fiz para a Brit... afinal, ela nem liga para essas coisas. Preparei um churrasco e para comermos de sobremesa preparei fondue. Deixei a mesa arrumada e peguei uma garrafa de vinho tinto, e fui tomar banho.

[...]

Estava sentado assistindo TV, quando a campainha tocou. Ela estava linda e sorria para mim segurando dois filmes.

Burlesque ou Chicago?

Continua...

Recadinho: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 


By: Ally - @itsmykidrauhl

2 Broke Girls - Part. 3


JUSTIN POV ON

- Então mostra. - Dito isso, eu a beijei. Eu a beijei. Por que eu a beijei? Que pergunta mais idiota eu estou fazendo para mim mesmo. Eu a beijei por... por... por que eu... gosto dela. O quão estranho é isso? Eu gosto da Chloe principalmente pelo o fato de ela não ser como a Britanny. Sério. Como, diabos, eu fui confudi-la com a Brit? Como...
- Jus! Seu idiota! - ela disse interrompendo meus pensamentos. Se afastou e eu a olhei assustado, por que ela se afastou?
- O que você... - e então ela enfiou um lenço na minha boca, só eu pude perceber o que ela fazia.
- Você é cego ou o quê? Estou usando um batom preto. - Batom. Ah, então era isso.
- Ah, então era isso?
- Isso o quê?
- Nada, eu...
- Você achou que eu me afastei por que eu não queria que me beijasse? - sorriu debochada. Limpando sua boca também. Fiquei calado. Aposto que minha cara de vergonha era visível. Vamos lá, Justin! Mostre o seu lado "cara de pau", está parecendo um adolescente virgem! - Eu não acredito que Justin Bieber está com vergonha. Seu completo idiot... - Se você acha que a calei com um beijo, então você acertou.
- Já te disseram que você fala demais? - ela sorriu.
- Já. - sorri com a resposta. - mas mudando de assunto, você conseguiu meu emprego, quer saber a história?
- Acho que isso é meio óbvio.
- Ótimo, mas não aqui. Quero ir para casa.
- Tudo bem, vou pagar a conta e já volto para irmos. - disse selando seus lábios.

[...]

- Então... você disse que ia contar... - pois é, ela disse. Daí falou que precisava de um banho, e trocar de roupa. Todo aquele "blah blah blah" de mulher. Okay, então aproveitei para ir tomar banho e trocar de roupa também. Agora estávamos no quarto dela sentados na cama, enquanto eu esperava ela me contar o ocorrido.
- Tudo começou quando tínhamos 14 anos. Nós mudamos de escola para cursar o ensino médio e lá não aconteceram coisas muito boas, a Britanny acabou se tornando líder de torcida, popular na escola etc., enquanto eu era a nerd da história que sempre ficava na minha, não tinha muito amigos, e não era muito vaidosa como ela. Aos poucos ela foi se tornando a "rainha" da escola. Aos 16 anos, nós brigamos porque dizia que todos me criticavam pelo o modo como eu me vestia etc., acabei que tive que mudar um pouco para ver se ela parava de encher. Aos 17, conheci o Alex, ele tinha se mudado para a escola e acabou entrando no time de futebol da escola. Nos esbarramos uma vez e isso ficou frequente, eu sempre estava cheia de coisas nas mãos, e eu era muito desastrada.
- Era? Um dia pensei que você ia destruir a cozinha tentando fazer aquele bolo que você viu na internet! - disse e ela me olhou meio... "cala a boca, idiota!" - O.K., continue...
- Então, eu e ele passamos a sair frequentemente, nos tornamos amigos, e um dia ele me pediu em namoro. Eu aceitei, passaram-se alguns meses e acabou que a gente... bom, você sabe.
- Sim, meu bem, não precisa dar detalhes. - disse com um sorriso meio frustrado.
- Enfim, a bomba mesmo foi quando peguei ele me traindo com a Britanny, no meu quarto, na minha cama.  Papai e mamãe haviam viajado, eu dei um escandâlo, obviamente. E claro, como eu não iria ficar com raiva quando pego minha própria irmã com meu namorado? Eu terminei com ele, obviamente. Resolvi me focar nos estudos, estudei, estudei e estudei para entrar na UCLA, fiz a prova e tinha quase certeza que passava, mas de algum jeito trocaram minha prova e eu acabei tendo que começar a faculdade em NY. E adivinha só a Brit passou para a UCLA. Preciso falar mais?
- Como sabe que foi ela?
- Primeiro, isso é óbvio. Segundo, peguei ela uma vez falando sobre isso no telefone com alguma amiga. Enfim, contei para nossos pais mas não acreditaram, a Britanny sempre se passou de santinha para eles. E o pior, eles acreditavam nela. Acho que eles preferem ela no que a mim. Que tipo de pais eu tenho? Você tem alguma ideia do que, diabos, eu senti? A UCLA era meu sonho e por culpa dela teve que ser adiado. - ela falou cortando a voz - Sabe o que mais dói? O fato de eu ter estado lá sempre cumprindo meus deveres, eu nunca me meti em confusões ou coisas do tipo e ainda assim ela sempre foi a preferida. Ela só está nessa faculdade por minha causa, fui eu que me matei de estudar, fui eu que sempre tentei agradar nossos pais em vão. Era eu que devia morar aqui e não ela. - seus olhos marejaram e ela respirou fundo - Resolvi então parar de tentar agradar os outros e satisfazer a mim mesma. As minhas próprias vontades sem depender da opinião de ninguém, mudei radicalmente meu jeito, minhas roupas, tudo...e agora, estou aqui.
- Não. - disse a interrompendo - Você não mudou, Chloe. Você acha que sim mas não, a prova disso foi hoje quando eu vi você dançando e cantando músicas de ABBA e Christina Aguilera. - sorri sincero - Você não mudou, só cria um escudo por volta de si para se proteger da sociedade. E não pense que você é fraca por isso, muito pelo o contrário. Vem cá. - disse puxando - a para deitar no peito e comecei a fazer carinho em seus cabelos. - Sabe, eu acho que gostaria de ter te conhecido primeiro. - ela riu. - É sério.
- Tudo bem, Bieber. Pode falar que você tem uma queda por mim, eu deixo. - sorriu pretenciosa.
- Convencida. - apertei seu nariz e ela grunhiu reclamando. - Não sei como pude te confundir com a Brit naquele dia. Acho que foi o impulso mesmo. - ela riu - Você fica rindo por que não você que levou aquela bofetada na cara. Sabia que dói até hoje? - eu disse fingindo-me abatido.
- Aww, bebê. - apertou minhas bochechas. - Desculpa, tá bom?
- Não.
- Não?
- Não.
- Ah, vamos lá, Bieber. - disse beijando meu rosto. - Vamos lá, neném. Aceite minhas desculpas. - disse beijando meu pescoço. Qual é?! Tinha que ser no pescoço? - Hein? - beijou de novo e eu arfei.
- É só as desculpas que você quer?
- Não. - sorri e então puxei para cima de mim, beijando-a com vontade. Até que escutamos um celular tocando. O meu meu, especificamente. Era uma mensagem de Brit.
- "Vou dormir na casa da Tiff. Volto amanhã." - olhei para Chloe e ela estava com um sorriso sapeca. Sorri junto antes de volta a beijá-la, minhas mãos seguravam suas coxas enquanto isso. Inverti as posiçoes e fiquei por cima.

JUSTIN POV OFF

Ele mantinha uma mão na minha coxa enqunato a outra entrava por dentro na minha blusa, logo estávamos só de roupas íntimas, eu já podia sentir sua excitação, e ele parecia a fim de brincar comigo. Pena que eu não estava para brincadeiras. Puxei sua boxer e logo ele se livrou do meu sutiã. "Apressadinha", pude ouvi-lo sussurrar no meu ouvido. Sorri.

[...]

Um tempo passou, e nos encontrávamos agora na cama. Nossa roupas todas espalhadas pelo chão. Já era cerca de 2 da manhã e eu estava deitada em seu peito enquanto ele novamente me fazia carinho no cabelo.

- Sabia que eu sempre preferi morenas? - eu ri com a pergunta.
- Bom saber. Você sabe que a Brit vai ficar uma fera quando souber, não é?
- E daí?
- Como "e daí"? Você não liga?
- Não.
- Por quê?
- Por que faz tempo que não temos nada. Acho que o termo "namorado" é só fachada mesmo. Sem contar que ela é uma péssima namorada.
- "Você sabe o que minhas amigas significam para mim" - imitei-a e ele riu. - Se fossem só as amigas...
- Tem um lado bom na história...
- Qual?
- Se não fosse por isso, eu não estaria aqui com você.
- É. Realmente tem um lado bom na história. - rimos. - O que acha de ficarmos assim?
- Assim como?
- Sei lá... tipo...
- Sexo sem compromisso?
- Se prefere esse termo... sim.
- Hm... só se...
- Lá vem. Por que fui perguntar mesmo?
- Não, sério. O que você... sentiu? - Que isso, Bieber? Tem uma bicha encubada, aí? Ou você tá inseguro mesmo?
- Como assim?
- Ah... não sei... quer saber, esquece isso, tá?
- Não, agora eu quero saber. Me diz você primeiro. O que sentiu? - Eu falando dele, e aqui está a menina insegura. Tá, não posso mentir. Não o amo. Mas ele foi o único que até hoje valeu a pena.
- E-eu... - gaguejou. - eu achei que foi bom...
- Bom? - perguntei com desdém.
- É... - olhei-o com cara de "Sério que é só isso que tem a dizer?" - O.K., digamos que você é bem melhor que a Britanny.
- Depois desse comentário minha autoestima está lá em cima, neném. Pode crer. - ele riu. - Mas continue... em que mais eu sou melhor do que a Britanny? Seja sincero, por favor.
- Você não é fútil. Não é chata e não tem uma voz irritante. É suportável, no mínimo. - ele disse e eu caí na gargalhada. - Qual é?! Pára de rir, Chloe! Você me pediu para ser sincero! - ele disse e eu parei - O.K., sua vez agora.
- Tudo bem, você é bom de cama. - ele sorriu pretencioso - Você é lindo, divertido, irritante, é,  provevelmente, ciumento, eu gosto de conversar com você por que você é o único que me entende e...
- E...?
Você foi o único que valeu a pena até hoje. - disse um pouco tímida enterrando meu rosto em seu pescoço. Sim, eu estava envergonhada. Ele segurou meu queixo, como na última vez, e fez com que olhasse eu seus olhos. Ele não disse nada, apenas em beijou.

[...]

Acordei com um barulho de porta batendo. Espera, porta batendo? Droga! Britanny! Olhei para meu lado e Jus dormia profundamente, tive pena de acordá-lo. Mentira. Comecei a sacudi-lo e sem querer o derrubei da cama.

- Qual o seu problema? - resmungou.
- Nosso, querido.
Chloe? 
- Droga! Tranca a porta.
- Tá trancada, você tem que sair sair antes que... - betidas na porta.
Chloe? Está aí? Com quem está falando? 
- O quê? Estou no telefone, e não é da sua conta com quem eu falo ou não.
Será que dá para abrir essa merda ou tá díficil?
- Vai pro banheiro. - sussurrei para ele. - Idiota! Suas roupas! - ele pegou enquanto eu vestia um roupão.
- Ai, o que é?! - disse ríspida.
- Eu, hein. Que mau-humor. Onde está Justin?
- Como é que é?
- O Justin, onde ele está?
- E eu que sei? O namorado é seu, querida. Claro, mesmo que você o traia constantemente, e... como anda a vida de vadia?
- Sua...
- Mal-comida? - sorri. - Meu bem, não ouse falar isso porque minha noite foi ótima, aposto que não diria isso se visse o cara com quem fiquei. Enfim, seu namorado deve ter saído, não sei. Acho que o ouvi comentar sobre algum trabalho que iria terminar...
- Tudo bem, depois eu... ligo para ele. Vou ao shopping.
Hasta la vista, vadia. - disse baixo enquanto ela descia as escadas. Logo ouvimos a porta bater e Justin saiu do banheiro apenas com a boxer branca da noite anterior.
- Te devo essa, neném. - disse e rimos. - Vou tomar banho. - e saiu. Aproveitei e fui tomar banho também.

[...]

- Pequena! - Jus disse me abraçando por trás enquanto eu preparava uma salada de frutas. - Não mereço nem um beijo de bom dia? - perguntou cheirando meu pescoço. Acabou fazendo cócegas e eu ri.
- Pede para sua namorada. - disse indo pegar um comprimido e tomando.
- O que é isso? Tá sentindo alguma coisa?
- Anticoncepcional, gatinho. Não quero ser mãe aos 21, e tenho certeza que você não quer ser pai aos 23. O.K., senhor responsável? - disse ironicamente e nós rimos.
- Foi a única vez que eu esqueci de usar.
- Você é um homem de sorte, então. Pelo menos eu penso em tudo. - sorri vitoriosa e ele riu.
- Eu ainda quero meu beijo.
- Pede para sua namorada. Já disse.
- Não quero dela. Quero de você.
- Por quê?
- Por que é melhor. - ri.
- Bom saber. - me virei e então nos beijamos.

[...]

JUSTIN POV ON 

- Gostou da salada?
- Uhum. - murmurei balançando a cabeça em sinal positivo enquanto acabava de comer. - Ainda tem bolo? - perguntei e ela riu.
- Gostou né, cachorro? Pode dizer que a Britanny não cozinha bem. Eu sei. - revirei os olhos. Tudo bem que ela bagunçava muito a cozinha, mas pelo menos cozinhava algo que preste. Ao contrário da Britanny. Ela e cozinha são uma péssima combinação.
- Sempre tenho que comer fora, em algum lugar antes de ir ao trabalho... é chato ás vezes. Eu não sou muito bom na cozinha, mas sei me virar. Bom, melhor aproveitar o seu bom humor... - sorrimos.
- Bom mesmo.

 Continua...

Recadinho: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 

By: Ally - @itsmykidrauhl