1 de dez de 2014

Single ── Capitulo 1




── Coral, tem certeza que é pra sempre? ── Lila perguntou pela quinta vez. Justin e eu sempre fomos o casal exemplo, tinhamos nossas brigas, todo casal tem, mas sempre nos apoiamos, e nunca ficamos que nem esses casais cheios de blá, como ciumes exagerado, amorzinho, fofinho, tchuco, eramos apenas nós, só que namorando, tinhamos nossos amigos juntos e separados. Eramos o casal perfeito, até um tempo atrás...


── Se depender de mim, sim! ── Engoli seco, absorvendo minhas palavras. Não posso mais voltar atrás. ── Bom, eu deixei minhas férias só para o meio do ano que vem, então não vou ter tempo pra descansar, nem ir para casa dos meus pais e explicar que terminei com ele. ── Falei, fazendo uma empolgação. Explicar para minha mãe que terminamos, nossa.
── Nem natal, ano novo? ── Perguntou.
── Nem. ── Falei. ── Porém, na parte sem descanso quis dizer, não vou ter tempo para chorar. Preciso sair. ── Falei, e vi um sorriso enorme brotar em seu rosto.
── Então, vamos agora? ── Perguntou. Sexta, dez da noite.
── Calma ai, preciso de um tempo. Preciso dormir. ── Falei, sentindo um peso no meu corpo. Preciso de um banho também. ── Lila, me empresta calcinha, e um pijama. ── Pedi.
── Claro, calcinha na primeira gaveta, pijama na primeira porta do armario. ── Ela falou, apontando para o armario a nossa frente. Peguei uma calcinha listrada, com diferentes tons de rosa, e um pijaminha roxo. ── Então, quando vamos começar a curtir? ── Perguntou, enquanto eu separava a toalha. Apenas chaqualhei a cabeça, como uma forma de pedir um tempo.
A água quente tocou-me da cabeça aos pés, relaxando cada músculo do meu corpo. O aperto dentro do coração aumentou, apenas deixei-me chorar. Cada lágrima escorrendo com rancor, ódio, pena, dor, amor...meu amor, onde fez questão de se tornar um babaca. Festas todos os dias, bebedeira, uma suposta traição, o desejo de liberdade após dez anos. Argh!
── Coral, o que acha de pedirmos uma pizza? ── Gritou Lila.
── Maravilhoso! ── Gritei de volta. Justin sempre odiou pizza.
Desliguei o chuveiro, puxei a toalha e enrolei sobre meu corpo, torci meu cabelo e prendi em um coque. Coloquei o lindo pijaminha, deixando-me tão fofa. Que saudade da minha casa...
── Lila, pediu pizza de que? ── Perguntei, saindo do banheiro, deixando o vapor sair junto comigo.
── Pizza de pepperoni, você ainda gosta né? ── Perguntou, meio apreensiva. Concordei.
── Ai céus, estou exausta. ── Falei, jogando-me em cima do sofá.
── Eu também! Amanha trabalho que nem uma condenada. ── Reclamou, saindo da cozinha e sentando ao meu lado no sofá. ── Sorte que pegou sua folga no sabado.
── Amanha eu vou dormir até...── Falei, com a voz sonolenta e o corpo mole. ── Acho que vou dormir, amanha eu como a pizza. ── Falei, fechando meus olhos.

Acordei ás 10:30, espreguicei-me. Uma caixa de pizza em cima da mesinha de centro, uma coberta no outro sofá, Lila também dormiu na sala. Peguei meu celular, nenhuma ligação, ou até mesmo mensagem.


── Ah cara, já deu. ── Falei, jogado no sofá. ── Namoramos a 10 anos, desde meus 14 anos, preciso curtir a vida.
── Então vamos curtir. ── Ryan falou, sem muita empolgação. ── Mas você vai sentir muita falta dela. ── Concluiu.
── Claro que eu vou sentir falta dela, mas não da mais, não tinhamos mais clima, era briga o dia inteiro, ela pegando no pé, exigindo que eu ficasse em casa, e tudo mais. ── Suspirei. ── Tenho 24 anos, só quero curtir. ── Olhei para Ryan, sorri. ── E assim que eu curtir, até posso pensar em voltar com ela.
── Vai pensando assim. ── Ele falou, rindo. ── Mas e ai, vamos ou não?
── Lógico! ── Falei, pegando as chaves e a carteira na mesinha de centro.
A festa estava bombando, muitas garotas bonitas, a hoje, aaaah hoje eu estou solteiro. A musica estava alta, o local escuro, estava facil para ficar com alguém ali, mas resolvi esperar um pouco, cedo de mais para começar.

── Então, para onde vamos? ── Jessica, a garota da festa, estava ali comigo no quarto de um motel barato,
── Bom...── Sorri abertamente. ── Eu para minha casa, e você para sua. ── Coloquei a camisa, e coloquei a carteira e as chaves no bolso. ── Vem, vamos, eu te levo em casa.
Parei em frente a casa da garota, cujo vestido justo estava quase em saindo de seu corpo, suas pernas grossas e caralho, que gostosa.
── Não quer mesmo entrar? ── Perguntou ── Podemos repetir o que fizemos naquele lugar nojento... ── Falou, colocando sua mão em minha coxa, e assim foi subindo.
── Proposta tentadora, mas não. ── Falei. ── Boa noite. ── E assim estiquei meu braço, e abri a porta.
── Pelo menos me liga...── E assim escreveu em um papelzinho.
Entrei no apartamento, senti um leve cheiro adocicado deixado no ar, esse cheiro me faz sentir cada vez mais livre.

O despertador tocou, o que me fez pular na cama, bati. Olhei para o relógio, caralho! Seis e quarenta da manha, e eu ainda tenho que preparar o café, fazer um sanduíche para comer no caminho, e pelo que parece, vou ter que comprar meu almoço. Vesti a primeira camiseta que encontrei, e corri para deixar a agua esquentando enquanto escovo os dentes.
Cheguei no serviço atrasado, não tanto, mas ainda sim atrasado. Corri para fazer a sessão de fotos da festa de quinze anos de alguma garota, e não...

Oi gente, como vocês estão?  Bom, eu quero avisar que a menina parece com a Ashley Benson, por isso o gif, e esses gifs indicam quem está narrando. Espero que gostem, beijos.

Um comentário: