1 de set de 2014

Classic - 17


O jantar foi legal.
Todos os nossos parentes vieram e, por um momento, nós nos parecíamos com a família feliz e bem estruturada de antigamente.
Tio Ed logo chegou para mim: - Feliz dia de Ação de Graças, menina! - e então me deu um abraço.
- Obrigada, tio, pra você também. - e sorri.
Ele costumava ser o meu tio favorito antes, bem...antes do acidente. Depois nós nos afastamos. Quero dizer, por mais que a minha mãe fizera de tudo pra ninguém saber sobre o ocorrido, a notícia se espalhou rapidamente. Era difícil encará-lo depois disso. Eu me lembro que nós costumávamos ir a festas de fogueira e ele assava marshmallows pra mim e pra Maggie, então assoprava bastante para que nós não queimássemos a língua. E tinha também todos os presentes de natal, como na vez em que ele me deu a minha primeira bicicleta. Eu sentia falta disso. Sentia falta da minha família. E voltar à minha casa trazia à tona todas as lembranças que eu tentara esquecer.
- O que acha de um passeio na praia? - Justin surgiu, me dispersando dos meus pensamentos.
Assenti.
Não queria discutir, nem protestar, então aceitei.
Olhei mais uma vez para a minha família sentada à mesa, todos conversando e rindo bastante.
Eu segui o Justin até fora de casa e depois nós fomos até a praia, que ficava do outro lado da rua. Meus pais escolheram essa casa justamente pensando em mim e em Maggie. E, bem, eles tinham razão, porque nós havíamos passado a nossa infância inteira brincando ali.
Eu tirei minhas sapatilhas. - Uh, isso é bom. - comentei enquanto sentia a areia sob meus pés.
Justin também tirou os tênis e suspirou. - Concordo.
Nós começamos a andar e eu gostei de sentir a brisa do mar. Também gostei do vento contra os meus cabelos. Ainda que eles estivessem chicoteando minhas bochechas, era realmente bom.
Justin começou a correr em direção ao mar e molhou seus pés. Eu o segui e fiz o mesmo.
- Brrr, está congelando.
Justin gargalhou quando eu voltei para a areia. Eu andei mais um pouco e me sentei no chão. Fiquei encarando o mar por um tempo antes de ver Justin se sentar ao meu lado.
- Eu não acredito que você pôde passar sua infância num lugar como esse e ainda assim é uma garota mal humorada. - eu lancei para Justin o meu olhar furioso. Ele levantou as mãos. - Só brincando.
- Sua vida também não deve ter sido muito diferente, não é? - me virei para ele. - Quer dizer, você podia ir a qualquer lugar que quisesse.
- Pelo contrário, meus pais nunca tinham tempo pra mim. - ele comprimiu os lábios e encostou a cabeça no meu ombro.
Folgado.
- Oh, coitadinho dele. - eu brinquei.
- É sério, eu acho que eu gostaria de ter tido uma vida como a sua. - Justin pareceu pensativo.
Eu gargalhei e disse: - Acredite, você não gostaria.
- Você não parece estar tão quebrada assim.
- Mas eu estou. - admiti. - Eu estou bastante estragada. É o seguinte: eu sou assim, uma tragédia, catástrofe, indecisa, bagunça, um pote de drama. - gargalhei. - Sabe aquele ''x'' na prova de matemática? Sou eu. Sabe aquela palavra que você não encontra no caça-palavras? Sou eu. Sabe aquela peça que não se encaixa no quebra-cabeça? Sou eu. Sabe aquela pergunta que não tem resposta? Sou eu. Tudo que é confuso, que não se encaixa, que atormenta a sua mente, sou eu.
- E eu acho que eu não mudaria nada em você. - Justin me olhou.
Silêncio.
É, eu não tinha uma resposta para isso.
Respirei fundo.
Ali estava alguém me dizendo que não mudaria nada em mim mesmo eu sendo toda cheia de erros, problemas e frustrações, mesmo eu tendo o meu sorriso quebrado e uma barreira ao meu redor, mesmo eu não tendo sido a melhor e mais calma pessoa desse mundo. Ali estava alguém que se importava comigo de todas as maneiras. Alguém que eu soube naquele momento que era a pessoa certa para mim. Mas e eu? Eu não a certa pra ele. Eu tinha todos os meus problemas. Na verdade, EU era o problema. Mas eu fiz algo que surpreendeu até a mim mesma: afastei esses pensamentos da minha cabeça por um momento e me deixar levar pelas emoções.
- Justin. - chamei-o.
Ele se virou para mim e eu fitei seus lábios por um momento.
Então eu o beijei. Eu o beijei doce e arduamente, como se eu precisasse daquilo para viver. Eu o beijei como se fosse o último segundo da minha vida e como se nós fôssemos um só. A língua de Justin invadiu minha boca e eu correspondi. Seu hálito de menta. Ele colocou a mão em minha cintura, me puxando para mais perto e eu passei a mão entre seus cabelos macios. Meu coração acelerado, minha respiração ofegante. Eu me separei de Justin aos poucos e mordisquei seu lábio inferior. Justin me deu alguns selinhos antes de nos separamos oficialmente.
Meu Deus, como ele beijava bem.
Ele sorriu e eu também.
- Eu acho que nunca mais vou escovar os dentes. - ele disse e eu gargalhei.

Quando nós voltamos para casa, a minha mãe estava arrumando a cozinha e todos já tinham ido embora. Eu fui ajudá-la e Justin foi tomar um banho, porque ele estava todo molhado, já que havia entrado no mar. Eu não fiz o mesmo, só fiquei o fitando e rindo.
- Ei, querida, onde você estava? - mamãe perguntou assim que entrei na cozinha.
- Eu fui dar uma volta, na praia, com Justin. - eu comecei a ajudar a minha mãe a secar os pratos.
- Ele é um bom garoto. - ela falou. - Gostei dele.
Franzi o cenho.
- Eu pensei que...- comecei a falar.
- Eu sei o que você pensou, querida, e eu sinto muito. - ela abaixou a cabeça. - Eu não queria ter te privado dessas coisas, mas eu não sei...eu...- então ela começou a chorar.
- Não, mãe, não chora. - eu a abracei.
- Mas é que...depois que aquilo aconteceu, eu me senti tão insegura em relação a você, Morg. - ela estava soluçando e eu afaguei seus cabelos. - Eu só queria te proteger, você pareceu tão indefesa, eu não queria que nada acontecesse com você.
- Tudo bem, mãe, tudo bem, eu entendo.
- Entende? - ela levantou o olhar para mim e eu assenti.
- Você só estava com medo e, bem, eu também, mas então eu conheci o Justin e ele, não sei - comprimi os lábios. -, ele é tão diferente de todos os outros caras que eu já conheci.
- Você gosta dele, não é?
- Não sei, não sei, eu estou confusa. - fiz um muxoxo com a boca. - Mas eu gosto do jeito como ele me acalma e do jeito como acelera meu coração. É tão...
- Bom? - ela ergueu as sobrancelhas.
- É, é realmente bom. - concordei. - Mas eu estou pensando sobre você mãe, eu não quero fazer nada que te machuque.
- Querida, acredite, a única coisa que pode me machucar é não te ver feliz. - mamãe sorriu para mim e me deu um beijo na bochecha.

*******************************************************************************
Oi, galerinha, tudo bem? Então, eu ainda estou em semana de provas. Meio que eu tive 4 semanas de provas sem parar. Enfim, minhas provas terminam amanhã e então eu vou poder postar com mais frequência. Sobre a fic: eu acho que esse é o ponto crucial em que tudo muda. Sério. Mas não posso falar mais.
Enfim, vou responder todas.

Capítulo 15:
Thalita: Aaaah, obrigada. E seja bem vinda, linda! Fico feliz que você tenha gostado da fic e especialmente do blog, hahah. Obrigada por comentar! Beijos, linda.
Lo: Hahahah, ai meu Deus, obrigada pelo carinho, linda. Sério, é muito importante pra mim. Me desculpa pela demora, mas minha vida tá um bagunça. E obrigada novamente. Beijos!
Clara: Prontinho, linda, obrigada pelo carinho e pela atenção. Beijos.
Lu: Oi, Lu, sua linda! Obrigada por cada comentário maravilhoso. É tão bom ver que alguém está gostando da fic. Obrigada pela paciência e compreensão também. Você é um amor, haha! Beijos.
Jo: Prontinho, Jo. :)
Lari: Oi, Lari, tem sim. Você já viu os novos posts? Bem, leia lá que tem tudo explicadinho. Beijos.
Geeh: UUUUUUUUHUU, obrigada, sua linda! Isso me deixa muito feliz. Hahah, eu NUNCA vou abandonar isso aqui. Sério, ainda mais sabendo que você está lendo. Eu fico super feliz, nossa, você não tem noção. Meu Deus! Aaah, você que é muuuuito fofa. Obrigada pelo comentário, eu nem sei como responder uaheuaheuah, é que eu, sei lá, achei muito lindo. KKKKKK, ai, Geeh, eu também quero o Justin pra mim, mas sei que isso é meio impossível de acontecer. ): Enfim, sonhar é o que me resta. Aaaai, adorei isso de Jon uaheuaheuhaeuh, bem criativo. Obrigada, linda, obrigada mesmo, adorei seu comentário. Beijos!
Ya: Prontinho, Ya. ;)
Anônimo: Hahahah, claro que não, amor, eu não pararia nem se eu quisesse. Além do mais, eu tô adorando escrever essa fic, ainda mais com comentários como este. Obrigada por comentar. Beijos!
Paty: Huaheuheuahe, quem sou eu pra julgar, né? Não sou a pessoa mais normal do mundo, enfim, haha, Justin é muito perfeito mesmo. Obrigada por comentar, linda, beijos.
Anônimo: Oi, amor, desculpa pela demora, é que eu realmente estou sem tempo, mas agora voltei com tudo, hahah. Obrigada pelo comentário, beijos.

Capítulo 16
Só para meninas: Oii, linda, tudo bem? Obrigada pelo carinho. Aaah, me desculpe, mas eu tô tendo que estudar hard. ): Mas agora eu vou voltar, sério. E que bom que você está gostando, fico muito contente. Obrigada, beijos.
Jo: Prooontinho, Jo, sua linda. Beijos!
Lu: Aaah, que bom que você gostou, Lu. Obrigada por comentar e beijos!
Nath: Naaath, mulher, e eu estava com saudades de você hahah. Postei bem rapidinho e me desculpa demora, viu? Obrigada por esperar, beijos. :)

Isso é tudo. Se vocês comentarem, rapidinho eu continuo.

Beijos,

Vic.


2 comentários:

  1. Vc prometeu que não deixaria a fic, mas foo isso q vc fez! Sinto muuita falta dessa fic por favor me responda caso vc ainda esteja no blog, e se não tiver ALGUMA OUTRA GAROTA DO BLOG ME DIGA PQ ELA PAROU PF

    ResponderExcluir
  2. Ah mais uma coisa, n entendi pq ngm comentou aqui eu lembro de ter comentado! Mas enfim é isso

    ResponderExcluir