31 de dez de 2013

Sete Dias

Sexto Dia
- Caramba – bati com a mão na minha testa – Eu não falei mais com a minha mãe.
Que bela filha eu sou, esquecendo da minha própria mãe. Mas quando estou com Justin ele me distrai do mundo, e que saco de clichê.
- Beatrice, de qualquer forma as torres não estavam funcionando. A nevasca travou a cidade. A energia voltou, mas não sei se já dá para ligar. Porque quando estou com você é difícil eu querer falar com outra pessoa. – ele disse e eu fiquei com vontade de beijá-lo. E é isso que eu digo. Justin me distrai.
Peguei meu celular e liguei para minha mãe.
-Filha! – ela disse, toda feliz e com alívio. – Eu vi a nevasca que deu aí e ontem tentei te ligar o dia inteiro para saber se está tudo bem.
Só ao ouvir essa frase percebi o quanto estava com saudades dela, da sua voz e das suas maluquices.
- Oi mãe! Está tudo bem, sim.
- E sobre o Justin?
- O que que tem ele? – eu sei que as mães têm o superpoder de adivinhação e tudo o mais, mas ela conseguia ver o que estava acontecendo aqui, mesmo sem estar presente?  Corei.
- Você não gosta dele. – ela disse.
É, eu o amo.
- Em uma semana as coisas mudam. – disse sem dar maiores explicações.
- Hum. Quero só ver o que a senhorita aprontou Dona Beatrice.
- Tô de boa. – ri e ela me acompanhou. Essas gírias são zoadas. Mas ela parou subitamente.
- E o Max? – ela mudou seu tom de voz.
- Nós terminamos. – disse, e esperei os fogos de artificio do outro lado. Porém o que veio foi muito estranho.
- Beatrice, eu sei como um fim de relacionamento pode ser doloroso. Muito doloroso. Dá até vontade de se matar, MAS NÃO SE MATE PORQUE SENÃO EU TE RESSUSCITO E TE MATO DE NOVO. – ela começou a gritar e eu até me sobressaltei. De repente ela voltou ao seu tom normal e compreensivo – Sério Beatrice, se precisar da mamãe pode me ligar. Eu já estou voltando. Amanhã.
- Ok mãe. –sorri.
- Beijos, se cuida.
Se eu não fizer isso, Justin faz por mim, pensei, mas respondi:
- Ok mãe. Te amo.
E desliguei o celular. Justin, para variar, me fitava.
 - Amanhã minha mãe está voltando. – disse mordendo meu lábio. Ele assentiu.
- Que horas ela volta?
- Não sei, mas acho que a tarde. A fazenda da minha vó é longe daqui. – dei de ombros – Mas por quê?
- Temos até amanhã de tarde. – ele disse, sei lá, decepcionado?
Isso era um adeus?
Eu não sei por que, mas eu corri para a minha suíte. Tranquei a porta e fiquei lá chorando. Que cena ridícula.
Ele bateu na porta.
- Beatrice, está tudo bem?
Lavei meu rosto e não respondi. Eu nem sabia por que estava chorando, mas estava. Eu não queria que essa acabasse.Aí eu lavei o rosto, e abri a porta. Sei lá. Deu vontade de por as cartas na mesa, não sei ao certo.
Eu queria saber o que aconteceria depois dessa semana. Ta certo. Eu gosto de Justin. Nós nos beijamos. Ele se machucou por minha causa, e eu sinto que vou ter uma parada cardíaca toda vez que olho para ele.
Mas tudo isso aconteceu muito rápido. Menos que uma semana. Fora que ele é dois anos mais velho, deve estar indo para a faculdade ano que vem e eu para o terceiro. E não passaram de beijos e tudo mais. Não namoramos, por mais que eu quisesse.
E como eu queria.
Assim que ele me viu, me abraçou e ficamos um tempo assim. Senti o cheiro dele e repousei minha cabeça em seu ombro. Depois de um tempo nos separamos e sentamos em minha cama, sem dizer nada.
- Você começa. – eu disse e ele coçou a cabeça.
- Eu não tenho que falar, Beatrice. Você que estava chorando no banheiro.
- Eu não quero que acabe. – eu disse. – Sabe, essa foi a melhor semana da minha vida...
- Shhh... – ele disse. - Não vai acabar.
- Mas Justin...
- Confie em mim.
- Eu confio. – disse.
- Sabe sobre o Natal? E o ano novo?
- Sei. Daqui a três dias.
- Eu não estarei em Stratford.
- O quê?! – perguntei indignada.
- Eu sei que você queria, eu também, mas eu passo o Natal com a minha família dos EUA.
Aí eu comecei a chorar mesmo. Porque em uma de nossas conversas nós havíamos planejado tudo e agora não vai ser do jeito que eu queria.
- Você mentiu!
- Eu não queria te decepcionar.
- E o que você acha que está fazendo agora?!
Ele olhou para mim, e dei um beijo na minha testa, sem dizer nada se levantou e foi saindo do meu quarto. Era o fim?
Não se eu pudesse evitar.
- Justin? – ele se virou – Eu te amo.
- Eu também te amo. – ele disse e se virou novamente.
- Fica aqui até amanhã? – perguntei e ele voltou do meu lado.
Eu deitei em seu peitoral e caí no sono. 
-----
 Oi! 
- 5 comentários? Se tiver 5 comentários eu posto o outro hoje ainda. 
Último dia de 2013, hein? O que aconteceu de bom esse ano com vcs? Quero saber nos comentários. Você foram uma dessas coisas boas de 2013 e que vão continuar em 2014. 
Beijos, 
Audrey!

7 comentários:

  1. Ahhhhg continua logo *-* eles ficam juntos né?

    ResponderExcluir
  2. Tenho certeza que nada ira mudar de hoje pra amanhã kkkk, mas esse ano fui pra Disney e isso tornou o meu ano especial, já que fui com minha melhor amiga e um grupo de adolescentes.
    Continua, esta muito perfeito, mas o Justin esta um pouco estranho.

    ResponderExcluir
  3. Nova aqui :3 Que perfeição esse capítulo! Posta mais, tô amando <3

    ResponderExcluir
  4. Tá muito bom!!! Continua logo. Em 2013 foi muito bom!!! Conheci o amor da minha vida, mas ele nem sabe que eu existo #Chatiada Mas mesmo assim esse ano foi Divoo!!

    ResponderExcluir
  5. ai que foda , como assim ele disse isso? Continua ai

    ResponderExcluir