3 de dez de 2013

Drummer Girl - capítulo 11

- Chaz – chamei – você achou que minha performance em Scar Tissue foi tão ruim?
Chaz começou a rir e por um momento achei que ele estivesse se lembrando, e rindo de mim.
- Aff Summer. Que pergunta.
- Foi ou não foi? – ergui as sobrancelhas.
- Foi. – ele disse sério – Foi ótima. Mas por que a pergunta?  - ele me olhou rapidamente de canto de olho já que estava dirigindo. – Sabe, você não me parece nada insegura.
- É porque quando o Ryan apareceu, eu me desconcentrei e acabei perdendo o ritmo. Você viu, ou pelo menos, ouviu. E Justin meio que me olhou bravo, e depois teve toda aquela discussão com o Ryan...
- Justin está de TPM. – ele disse dando de ombros.
- É sério, Chaz.
- Summer, olha... – ele suspirou – É muito pessoal.
Meneei a cabeça olhando para frente. Muito pessoal. Eles não confiavam em mim.
Mas por que eles confiariam? Eu mal os conheço.
Eu odiava a sensação de não conhecê-los e mesmo assim eles serem tão importantes.
- Então – Chaz pigarreou – Nós vamos sair amanhã. Quer vir junto?
- Eu não sei. – disse num fio de voz. – Eu tenho que ver.
- Qual é Summer, não é como se você tivesse um monte de compromissos.
- Esse é o problema, eu não tenho. Eu só conheço vocês. Estou pensando em me juntar a algum clube do livro.
Ele riu incrédulo.
- Clube do livro?
- Eu tenho mais interesses do que bateria. – respondi um pouco irritada.
- Você não entendeu. – ele disse – Você pode ter outros interesses, sim. Mas vejo pelos seus olhos que não livros não são sua paixão. Quando você sobe naquela bateria é como se você se pudesse dominar o mundo.
- Obrigada, acho.
- E você não precisa de mais amigos quando você tem a gente.
Sacudi a cabeça em afirmativa.
- Saia com nós amanhã e verá.
- Isso é um desafio? – perguntei quando vi que minha casa estava se aproximando.
- Chame os melhores dias da sua vida como a senhorita quiser.
Então o carro parou.
- Te vejo amanhã. E tem que ter tequila, sem tequila isso nunca vai dar certo.  – brinquei e fui para minha casa.
(...)
What does the fox say? Ring-ding-ding...
Peguei meu celular e olhei o identificador de chamadas. Número desconhecido. Eu sempre penso em rejeitar essas ligações, mas eu não consigo. Não consigo porque sempre imagino alguém em perigo ou a Samara. Deus sabe como eu tenho medo da Samara. E inveja, porque fala sério, olha o tamanho do cabelo dela.
- Alô? – atendi.
- Oi Summer! – Pattie?! – Está se divertindo?
Se ela soubesse o quanto me divirto fazendo a unha dos pés... É quase contorcionismo.
- Claro. – respondi confusa.
- Como os meninos estão?
- Bem, eu acho...
- A festa está boa? Brincadeira. Saiba que eu não deixaria o Justin sair no meio da semana, mas como ele disse que era com você... – ouvi o sorriso em sua voz.
Entrei em pânico e desliguei meu celular.
Liguei para Chaz uma, duas, três vezes, mas ele não atendia. Quando já estava desistindo, ele retornou a ligação.
- Droga Summer! Droga! Que merda você quer? – ele estava sussurrando, mas se preocupava ao máximo em expressar sua raiva.
- Justin está com você? Pattie me ligou e eu não faço ideia de onde ele esteja. E ela pensa que ele está comigo.
- De novo não. – ouvi seu murmúrio – Escuta Summer, não posso deixar o lugar que estou. Sua mãe tem carro, né?
- Sim.
- Preciso te passar um endereço.
(... )
Então era isso. Eu, fugindo com o carro da minha mãe, no Canadá sem habilitação canadense procurando uma pessoa que eu nem conheço.
Cheguei a uma rua sem saída e vi uma casa com luzes acessas.
541.
Era ali.

Entrei e repassei o que Chaz me dissera. 
1- Finja que você sabe onde está e quer ficar ali; 
2- Não fuja se te cantarem; 
3- Se insistirem em enfiarem a língua ou outra coisa em você chute lá embaixo. Sempre funciona; 
4- Não saia sem o Justin de lá. 
O lugar era esquisito. Era meio que clandestino, embora eu não soubesse que raios eles esconderiam da polícia. Vi algumas cervejas espalhadas pelo chão. As pessoas me encaravam enquanto eu caminhava por um corredor. 
Meu coração deu um salto quando vi a cabeça quase loira encostada em uma parede cor de creme. 
Ele se virou e me encarou por um segundo, até olhar para frente de novo. 
Parei em sua frente.
Ele foi se aproximando devagar e seus lábios tocaram os meus. 
- Vamos. - ele me disse, como se eu que estivesse fugindo. 
Balancei a cabeça e entramos no meu carro. 
Isso (embora eu não saiba exatamente o que "isso" significa) está tudo errado. 

---------- 
Oi gente! Desculpa a demora! Se der amanhã eu posto, estou numa correria danada. Vou ser oradora de turma da minha classe, tenho que correr atrás do meu vestido, minha família ta vindo para cá, enfim. To pensando em postar outra fic no meu blog, vcs aprovam a ideia? Ela já está escrita, só tenho que postar...
Tenho que ir agora, beijos! 
Audrey. 
- 12 comentários? 

19 comentários:

  1. Como assim eles se beijaram? Continua pfv

    ResponderExcluir
  2. tava quase me matando pra cap´tulo novo

    ResponderExcluir
  3. O justin tem sérios problemas ou ele está drogado pq !! Continuaaaa gaby

    ResponderExcluir
  4. Por acaso ele estava se drogando?
    Continua..

    ResponderExcluir
  5. AIIIIIIIIIIII CARILHOS CONTINUA PELO BIEBER AMADO!

    ResponderExcluir
  6. o.O do nada ele beija ela e ela n fala nada por favor continuaa faz caps um pouco maior :p

    ResponderExcluir
  7. LEITORA NOVA AQUIIIIII!!!Maaaan, que fic perfeitaaaaaaaaaaa!!Continue pleaaaaase!!!

    ResponderExcluir
  8. Queria me pronunciar aqui, sua ib é tao vida que eu n consigo ficar um dia sem ler, mas como td mundo tem uma vida antes disso, acho que seria legal vc escrever capitulos maiores(tipo bem grandes) e postar apenas nos fins de semana!!!só uma dica mesmo!!Amo hard sua ib!!Continua urgentemente!!

    ResponderExcluir
  9. Heeeey continua please, não aguento mais esperar :x preeeeciso de cap novo dessa fic u-u (sou viciada mesmo!) continuuuuuuua logo bby <3

    ResponderExcluir