11 de mar de 2014

The boy next door (Capitulo 1)


"Charlie, tem certeza que nós vamos entrar?" Perguntei á ele, que mexia em seu cabelo, tentando deixa-lo como queria. Ele estava lindo. 
"Sim! Nunca te meti em furada, você sabe disso." Ele me olhou, girou-me e logo assoviou. Sorri. "Termina de contar sobre o carinha." 
"Não nos vemos a umas duas semanas. Ele simplesmente me olha, não cumprimenta, passa reto." Joguei-me em sua cama, Charlie se jogou ao meu lado. Clara, mais conhecida como Clarinha, terminou com ele, essa boate seria um recomeço para os dois.
"Esquece ele." Falou, sua voz doce estava fria. 
"Não quero." 
"Então, está na hora de parar de agir feito uma vadia e mostrar que gosta dele!" Aquilo foi como uma facada em minhas costas. Ele nunca havia me chamado de vadia, não tão sério. Me sentei. O olhei. Seus olhos azuis estavam apagados. Charlie é lindo, seu cabelo é preto, sua pele é bronzeada e seus olhos azuis como piscinas recém limpas. Um garoto que toda garota desejará, pois além de lindo era doce e gentil, e ainda por cima, um ótimo amigo. Até agora. Vadia. "Jes?" 
"Desculpa, sua hora acabou." Levantei-me, Charlie apenas gargalhou, o que me deixou ainda mais irritada. Como ele ousa?
"Senta logo ai. Eu te chamei de vadia, não foi um qualquer." Ele me puxou para um abraço, não contive o sorriso. Eu amo esse garoto. O apertei, pude escuta-lo resmungar, mas logo ele retribuiu o abraço apertado. Nossa amizade era estranha. Brigamos. Nos reconciliamos. Tudo volta ao normal. Estranha. 
"Aghr! Quando essa festa começa?" Ele olhou no celular e logo olhou-me. 
"Lá pras nove horas, mas vamos chegar lá as onze." Olhei-o desacreditando em suas palavras. Normalmente chegávamos as uma da manha nas festas, para ter tempo para dormir. 

"Assim, tão cedo?" Ele concordou. "Por que?" 

"Porque lota as onze e meia. Já fui lá." Concordei. Ainda eram sete horas, eu tinha tempo de sobra, porém, nós estávamos prontos para ir a festa de um carinha da escola.

"Então, está pronto?" Perguntei, o olhando.

"Só falta passar o perfume."

"Posso pegar um da sua mãe emprestado?" 

"Pede pra ela." Concordei. 
O quarto da mãe de Charlie era enorme, sua cama estilo cama de princesa, com aquele pano cobrindo-a e bom, seu closet não tinha explicações! O vestido que estou usando era dela quando jovem, me deu semana passada, e ficou super contente ao me ver vestindo-o. 

"Oh minha filha, ficou tão linda nele!" Comentou ela, me abraçando forte. Como conheço o Charlie a mais de dez anos, Scarlet já me considera como uma filha. 

"Obrigado." Respondi e logo fui até as enormes sacolas no canto do quarto. Acabara de voltar de viajem, eu queria um presente. 
"Espera ai, é surpresa, só amanha." Ela me arrastou para o outro lado. "O que você quer? Por que veio até aqui?" Perguntou, passando sua mão pelo meu rosto. 

"Perfume e um batom." Ela me olhou, fingiu uma cara de séria e logo caiu a gargalhar. 
"Eu não acredito que você ainda pede." Ela sorriu. "Você já sabe onde fica." 

A festa estava animada, mas só o fato de ver todos da escola, já me deu um desgosto de estar ali. Odeio festa estudantis. Todo mundo que você conhece, nenhuma pessoa diferente. Era disso que eu precisava, pessoas diferentes. 

Por Justin
Jason cutucou meu braço, apontando para uma garota cujos cabelos chegavam até a sua bunda. Eu a conhecia. Era Caitlin, uma garota atraente e gostosa que estuda comigo na faculdade. Me da mole desde que cheguei. Olhei para Jason e neguei. Linda, mas hoje não. Louren chegou com uma bandeja, quatro copos de cerveja. Ryan, Jason, Louren, eu. Peguei um copo, bebi um pouco. A festa estava de mais, mas alguma coisa fazia aquelas garotas parecerem cada vez mais feias. Eu estava odiando essa festa. Eu queria voltar e ir a casa dela
Duas garotas sentaram-se em nossa mesa, Julie e Holli, Louren quase avançou em uma terceira garota, que estava dando mole para Jason. Julie sentou-se em meu colo, beijava meu pescoço, mas aquilo estava sendo nojento. Ela estava lambendo meu pescoço, e não, eu não estava ficando com tesão, aquilo estava fazendo eu querer joga-la no chão. Ryan também não havia gostado de Holli, pois assim que a garota tentou beija-lo, usou a desculpa de que estava namorando. 

"Onde ela está?" Perguntou ela, com um ar de desconfiada. 

"Ali." Ele correu para Caitlin que dançava, a agarrou, ela não tentou se soltar. As duas finalmente foram embora. Resolvi dançar. 
Uma garota linda aparecera. Ela era morena, seus cabelos pretos , parecia ser mais nova,pelo menos uns 17 anos tinha, mas não me importava. Ela era gostosa. Estava parada com as amigas em uma parte menos movimentada. Cheguei. Perguntei seu nome, ela ficara timida e logo uma amiga sua falou. 

"Coisa feia,  vem aqui e deixa uma criança envergonhada." Apenas sorri e respondi.

"Se ela quiser, posso dar um beijinho para passar." Pude escuta-la rir e logo desgrudar-se da amiga. Virou-se para mim. Ela era linda mesmo. 

"Me chamo Moly, e o seu?" Falou ela. Sua voz era doce e fofa. 

"Me chamo Justin. Prazer Moly." Respondi. Eu queria escuta-la novamente. "E quantos anos você tem?" Ela gargalhou, e logo negou com a cabeça. Não falaria. "Eu falo a minha primeiro e depois você fala a sua." Ela concordou. "Tenho 19, e você?" Ela jogou o pouco cabelo que tinha para trás. 

"Tenho 14 anos." Eu acho que meu queixo caiu, pois ela gargalhou de uma tal forma. 

"Já te falaram que parece mais velha?" Ela concordou. Eu tenho idade para ser o irmão mais velho dela. 
As horas passaram e eu nem percebi. Conversara com Moly de uma forma, que parecia mesmo que ela era mais velha. A vontade que tinha de ficar com ela desaparecerá, veio uma ternura no lugar. A garota era meiga, e muitos homens se aproximavam, e eu ficava irritado. Eu estava cuidando dela, era como se fosse minha irmã mais nova. Suas amigas voltaram, falaram que tinham que ir embora, o pai de Ashley já estava ai. Eu a olhei. 

"Pode me passar seu telefone?" Perguntei, já entregando meu celular a ela. Moly sorriu de uma forma delicada e logo devolveu o celular com o seu numero anotado. Estava comoMoly, sua futura amiga. Ela queria deixar claro que não haveria nada conosco. Me virei para a pista de dança novamente. Uma dança sensual estava ocorrendo, seus cabelos loiros balançavam no ritmo da musica. Era ela. 

E ai, o que acharam? Bom, essa fic vai ter muita putaria, e bom, como eu fiz um melhor amigo para Jesse, quis fazer uma melhor amiga para o Justin. Espero que tenho gostado, beijão.

9 comentários: