3 de mar de 2014

Classic - 04

                                      (olhem que fofura que fizeram pra fanfic, hahah)
                                         
Me levantei da cama, incapaz de continuar naquela posição.
Calcei os tênis esportivos e peguei o elevador.
O espelho refletia meu rosto cansado. Eu não dormira por toda a noite, apenas pensando nele. Ele era um monstro, a pior parte do meu passado, ele era tudo aquilo que eu queria deixar pra trás e não conseguia. Por que é tão difícil esquecer alguém?
Assim que cheguei ao campus, pude ver que o sol acabara de nascer. Resolvi fazer o que eu sempre fazia quando morava com meus pais: sair bem cedo para correr. Correr era bom, me acalmava, me deixava menos estressada. Sempre que eu tinha algum problema, eu corria.
Comecei caminhando devagar e depois tomei mais velocidade. Meus pés mal tocavam o chão e eu sentia meus cabelos chicoteando minhas costas. Algum tempo depois e meu corpo estava coberto pelo suor. Respirei fundo e continuei correndo, passando por vários lugares do campus nos quais eu nunca havia visto antes. As coisas ao meu redor passavam como borrões se difundido de forma multicolorida. Era quase outono e algumas folhas já estavam embaixo das árvores, embora ainda fosse tempo de nevar. Parei de correr e apoiei as mãos nos joelhos, exausta. As pessoas começaram a chegar no campus, algumas liam livros, enquanto outras conversavam. De qualquer forma, elas se movimentavam, e aquilo estava me confundido. Tudo começou a girar ao meu redor e estava se tornando impossível manter os olhos abertos. Um minuto depois e tudo ficou preto.

Minhas pálpebras pesavam, assim como meu corpo. Minha visão estava embaçada e eu não me lembrava de como eu tinha vindo parar naquele lugar.
- Ela acordou. - uma voz feminina anunciou.
Franzi o cenho e pisquei diversas vezes até conseguir enxergar normalmente. As paredes eram brancas e o chão era verde. Eu estava deitada numa cama de lençóis azuis e uma senhora de cabelos castanhos me encarava.
- Onde eu estou? - coloquei a mão na testa, ainda sentindo uma certa dor.
Olhei para o lado e vi uma máquina de soro fisiológico ligada ao meu corpo.
- Na enfermaria da escola. - a voz irritante de Justin invadiu meus tímpanos.
- O que aconteceu? - o ignorei e me dirigi à senhora.
- Parece que você desmaiou no meio do campus. - ela anotava algo em uma prancheta. - Se não fosse por ele - ela encarou Justin por cima dos óculos -, você estaria por lá até agora.
Revirei os olhos.
- Você comeu alguma coisa antes de sair para correr, mocinha? - ela arqueou as sombracelhas.
Neguei com a cabeça.
- Então está explicado. - a senhora continuou. - É melhor comer algo antes de sair por aí bancando a esportista. O café da manhã é a refeição mais importante do dia e fornece total energia para o corpo.
A mulher arrancou uma folha da prancheta e me entregou.
- O que é isso? - perguntei
- Um atestado para o resto do dia. - ela respondeu. - E é melhor tratar de se alimentar direito se não quiser ter problemas maiores. - avisou-me e depois saiu do pequeno cômodo, me deixando sozinha com Bieber.
Suspirei baixinho.
Tirei os fios do meu corpo e me sentei.
- Finalmente você acordou, Bela Adormecida. - Justin brincou.
- Haha, muito engraçado. - revirei os olhos. - Eu não te pedi pra me ajudar, ok? Eu podia muito bem me virar sozinha?
- Ah, é? E como? Ficando desmaiada no meio do campus? Alguém poderia acabar se aproveitando de uma garota tão indefesa como você, Hon.
-  Então teria sido melhor do que estar aqui com você. - rebati.
Um breve silêncio.
- Jasmine está vindo aí. - ele disse.
- Do que você está falando?
- Jasmine, sua amiga. Se lembra?
Bufei.
- Quem a chamou?
- Eu.
- Como você ligou pra ela?
- Do seu celular. - ele disse, calmo.
- O quê? - me levantei e senti meu corpo pesar. - Devolva-o agora! - estendi a mão.
Justin deixou o celular em cima da cama e eu o peguei.
- Qual é o seu problema? Eu não quero que você mexa nas minhas coisas, não quero que você se intrometa na minha vida. Você não tem esse direito!
- Nossa, como você está estressada, Hon.
- Justin, eu estou falando sério, eu quero você longe de mim! - vociferei. - Será que é pedir demais?
- Relaxe, Hon. - ele pegou minha mão e eu me arrepiei com seu toque. Quente demais, pensei.
- Não! Não tem como eu relaxar. - puxei minha mão muito rapidamente e acho que Justin percebeu isso.. - Você me irrita.
- Tem certeza que eu só te irrito, ou te faço sentir outras coisas também? - ele levantou uma sombracelha.
 - Morg? - Jasmine chamou-me. - Morg! - ela me abraçou. - Como você está?
- Ei, eu estou bem. Quer dizer, estou ótima. - falei. - Foi só um desmaio.
- Só um desmaio? O que você tem na cabeça?
Dei de ombros.
Eu não queria ouvir sermão, muito menos sermão da Jasmine.
- Tudo bem. - ela respirou fundo e eu sabia que estava contando até dez mentalmente. - Vamos pro dormitório, eu vou ficar lá com você.
- Não, não quero. - falei. - Eu estou bem, juro! Pode ir para as suas aulas.
- Não mesmo. Eu não vou te deixar sozinha e...
- Eu fico com ela. - Justin se intrometeu.
Pela primeira vez, Jasmine o encarou.
- Tem certeza? - ela indagou.
Justin assentiu.
- Qual é o problema de vocês? Eu tô bem, na verdade, eu tô melhor do que nunca. Não preciso que ninguém cuide de mim.
- Certo, Justin, boa sorte. - Jasmine comentou. - Até mais tarde, Morg. - ela me deu um beijo na bochecha e saiu, enquanto eu ainda estava tentando entender tudo o que estava acontecendo.
- Nem pense nisso. - levantei um dedo. - Eu não preciso de você.
Me virei e saí andando pelos corredores. Eu não queria Justin por perto, eu não precisava dele por perto. Tudo bem que talvez eu tenha sido um tanto ruim por tratá-lo daquela maneira já que ele me ajudara, mas a questão é que eu não pedi por isso, eu não pedi que ele fizesse nada por mim. Eu não gosto que as pessoas me tratem como um fardo. Eu não quero ser um fardo! Não preciso que ninguém cuide de mim.
Não havia quase ninguém nos corredores, já que estava tendo aula naquele horário, então eu aproveitei e fui até o refeitório. Pedi um cheeseburger com batata frita. Paguei e depois me sentei em uma das mesas do local.
- Você não vai comer isso. - Justin deslizou sob a mesa.
- Eu faço o que eu quiser, ok? Você não tem que se meter na minha vida.
- Eu amo quando você fica estressada, Hon. - ele sorriu e eu bufei.
Peguei o sanduíche com as mãos, mas Justin tomou-o de mim.
- Vem, eu vou preparar algo saudável pra você. - Justin se levantou e eu me levantei também.
Talvez ele estivesse certo. Eu precisava comer alguma coisa saudável.
Eu nunca pensei que eu fosse dizer isso, mas, pela primeira vez Justin Bieber estava certo.
E eu não gostava nada disso.


********************************************************

 Esse capítulo ficou horroroso, mas eu queria atualizar logo, então...
Gente, criei um blog pra eu postar outras fanfics minhas. Pra quem se interessar:   http://supras-do-bieber.blogspot.com.br/
Respondendo:
Joana : Prontinho :)
Sthef : Já :)
Duda: Ai, Duda, sua linda, obrigada por comentar. Continuo sim, haha!
Ana: Pronto, gatinha.
Anônimo: uhsauhs, obrigada, Vic (minha xará) <3 nbsp="" p="">Gio: Awn, Gio!
Anônimo : kk, obrigada :)
Nathalia: Prontinho, Nath.
Audrey: Ai, meu Deus! Você que precisa parar de divar. Você é diva demais, hahah.
Rocker: Primeiramente, obrigada. Bom, na verdade, eu comecei a ler, mas depois abandonei porque tive que estudar. Parei no capítulo dois, por aí... então nem li muita coisa, mas quero terminar de lê-lo este ano, pois gostei muito do enredo.
Isa: Obrigada. :)

Amo vocês! :)



9 comentários:

  1. Continua logo por favor ta muito bom e estou encantada com a Hon e o Jus!!

    ResponderExcluir
  2. Nossa que perfeito continua lindaa. leitora nova!! \o :D

    ResponderExcluir
  3. Continua, estou amando.

    ResponderExcluir
  4. Continua pleaase sua linda, a proposito, nao tava horrivel esse capitulo!

    ResponderExcluir
  5. Cooontinuua loog ta perfeitooo

    - Victoria Marques

    ResponderExcluir