8 de jan de 2014

World Of Chances, capitulo 1 Festa



Terryene Narrando
Ainda não acredito que estão me mandando pra um reformatório! E ainda no Canadá!
Por quê? Nem eu sei responder isso. Mas disseram-me que foi, pois supostamente matei Gabriel, meu namorado. Na verdade, nós apenas nos pegávamos, e só. Mas houve um incêndio louco quando estávamos saindo de uma boate, mas ninguém notou o incêndio, apenas nós dois. E eu o puxei pra sair correndo do lugar, mas ele ficou preso! E disseram que eu o larguei lá pra morrer!
Gabe era meu melhor amigo, e eu jamais faria isso com ele! Conhecemos-nos desde que nascemos, e sempre ficamos juntos, estudamos juntos, e iriamos fazer faculdade juntos. Mas depois desse acidente não deu.
Meus pais me levaram pra um reformatório no oeste do Canadá, e simplesmente me largaram aqui. Jogaram minhas malas pra fora do carro, e foram embora. Depois desse dia, eu não soube mais deles. Não me ligaram e eu não posso fazer ligações daqui de dentro.
A única pessoa que fala comigo aqui, é a Giullian. Uma garota baixinha de cabelos azuis, e com o rosto bonito, que me recebeu muito bem aqui.  Ela me fez raspar a lateral do meu cabelo, e confesso que ficou muito legal.
-Terry... –Ouvi Gi cantarolar, e a olhei. Estávamos na aula da senhorita Lee, e essa velha é muito, mas muito chata. Sorte a nossa que sentamos em duplas em todas as aulas aqui.  –Tenho um convite pra você menina.
Eu sorri, e ela me passou um pequeno papel, onde estava escrito “quarto 203, as 20”. Um sorriso malicioso brotou e nossos lábios, e na mesma hora, o sinal tocou, nos libertando da aula dessa velha chata.
Era a hora do almoço, e nós fomos pro refeitório (obvio) . Estava esperando Giullian pegar sua bandeja enquanto entrava na fila. A comida desse lugar é nojenta, mas Gi sempre consegue pegar coisas MUITO boas com uma das cozinheiras lá.
Nós nos sentamos uma mesa bem no centro. Tinham três caras e uma garota sentados na mesma. Um loirinho mais alto, com os olhos castanhos claríssimos, o outro mais baixo, também loiro com os olhos verdes e um olhar penetrante, e o outro com o cabelo um pouco mais escuro e os olhos azuis. A menina, morena com longos cabelos que caiam perfeitamente em seus ombros, e olhos castanhos escuros, me olhava furiosamente.
-Oi meninos. Jayle. –Elas se encararam, e depois sorriram falsamente.
-Olá Giullian, quem é sua nova cobaia? –O baixinho me olhou nos olhos, e eu, ao contrário de muitas meninas que ficariam envergonhadas com isso, apenas o olhei séria, e continuei comendo.
-Não é minha cobaia, é minha nova amiguinha. –Ela me abraçou de lado sorrindo, e eu apenas sorri sem mostrar os dentes. –O nome dela é Terryene.
-Giullian, já disse que eu não suporto esse nome. –Falei baixo, e irritada. Terryene é em homenagem a minha tia avó, por parte de mãe. Ela nunca gostou dessa ideia, assim como eu. Ainda acho que Terryene é nome de cachorro, então...
Giullian fez uma careta pra mim, e eu devolvi, começando uma “guerra” de caretas. Os meninos também se juntaram a nós. Jayle ainda me encarava furiosamente, mas não liguei pra isso.
20h00min min
O lado bom desse lugar, é que eu posso vestir oque eu quiser desde que seja preto, ou roxo. Estava terminando minha maquiagem, quando Giullian entra animada com um Poá de penas coloridas, junto do menino dos olhos castanhos.
-Vamos logo menina! –Ela se jogou na cama, e o menino apenas me encarava. Uma calça caída preta, com um boné da mesma cor, e uma camisa preta, com uma jaqueta roxa o deixava tentadoramente sexy.
-Me dê 2 minutos Giullian! –Ela assentiu e puxou meu celular do bolso dos shorts que usava, me assustando. –Ei! Esse celular é meu! –Ela me estendeu o mesmo, e eu rapidamente entrei em meu facebook. Mensagens e mais mensagens de Feer, meu irmão, perguntando como eu estava. Ignorei. Logo ele me ligaria, quando visse que meu celular estava ligado.
-Vamos? –Pela primeira vez no dia ele se pronunciou.
-Ah, sim, vamos. –Sim, viajei na voz dele. Fomos para o quarto 203, e estava loucamente animada a festa. Bebida. Drogas. Gente se pegando. Sexo. Tudo oque podem imaginar. 
-WOW! Isso tá incrível! –Gi falou entrando na festa e me deixando só com o menino.
-Justin. –Ele falou pegando um drink.
-Terry. Prazer. –Ele me estendeu o drink, e eu sorri tomando um gole.
-Satisfação nanica, prazer só na cama. –E nós rimos. Passei minha noite com Justin, bebendo, conversando, rindo. Ele é um cara legal. Tem o braço fechado por tattoos que o deixam mais sexy ainda.
-Justin, eu já vou. –Me levantei da cadeira onde estava sentada, e ele segurou meu braço. Suas mãos geladas me arrepiaram e ele riu quando o ato aconteceu.
-Já pequeno floco de neve? –Ele está bêbado, aposto.
-Sim Bieber, tchau, boa noite. –Dei o ultimo gole no meu Martine, e um beijo na testa  dele, que sorriu. Fui pro meu quarto, e simplesmente, apaguei. Não olhei nem meu celular, pra ver se Feer tinha ligado.

6 comentários:

  1. Ta muito bom continua logo estou louca pra o proximo cap.

    ResponderExcluir
  2. Oi, sou leitora nova e quero dizer que AMEI sua história. É simplesmente maravilhosa. E essa garota, a Jayle, não sei não, mas acho que ela vai dar problema ainda u.u
    Bom, continua assim que puder.
    Daya

    ResponderExcluir