30 de jan de 2014

Classic - 01

           -Você não vai comer nada? – Jas chamou minha atenção assim que deslizei sob a mesa

          - Estou sem fome. – respondi enquanto colocava os livros ao meu lado.

- E aí, como foram as aulas? – ela perguntou mordendo um pedaço do Cheeseburguer.
.- Tudo normal. – dei de ombros. – E as suas?
- Um tédio. – ela largou o sanduíche de lado. - Eu não sei como alguém pode dizer que Sociologia não é chato. Sociologia é algo muito irritante. – Jas começou a falar, mas eu não prestei atenção. Eu estava pensando em outra coisa: o meu parceiro de anatomia. Só de pensar que eu teria de passar oito semanas com ele, o correspondente a um período, uma vontade de vomitar me subia pela garganta. Eu não sabia explicar, mas ele me irritava bastante. Que tipo de parceiro não te ajuda? O Mr. Phillip havia passado um trabalho e ele nem havia se importado. Mas se ele pensa que estamos no colegial, ele está totalmente enganado. Eu não iria fazer tudo sozinha, não mesmo. Eu iria tomar uma providência. - O que você acha? – Jas chamou minha atenção.
- Pode ser. – eu respondi tentando parecer normal.
- Você não ouviu uma palavra do que eu disse, não é? – ela sorriu.
- Não mesmo. – sorri de volta.
- Tudo bem, me diga. – ela semicerrou os olhos. – O que está te preocupando tanto, senhorita Smith?
- É o meu parceiro da aula de anatomia. – eu disse.
- Então quer dizer que agora você tem um parceiro? – ela sorriu meio que maliciosa. – Uh, interessante.
- Não. – neguei com a cabeça. – Não é isso que você está pensando.
- Eu não estou pensando em nada. – ela levantou as mãos em forma de rendição.
- Eu te conheço, Jas. – disse. - E, se você quer saber, ele é um idiota.
- Por que? – ela tomou um pouco do suco de laranja que estava na caixinha.
- O professor passou um trabalho e, bem, o imbecil deve estar achando que eu vou fazer sozinha. – eu disse. – Ele está muito enganado, muito mesmo.
- Você está certa, Morg. – Jas bateu a mão sob a mesa. – E se ele estiver mesmo achando isso, então nós vamos fazer com que ele nunca tenha filhos. –Ela se aproximou de mim. – Se é que você me entende.
  - Eu quero incapacitá-lo de ter filhos agora mesmo. –grunhi.
- Mas você não quer uma advertência logo no primeiro dia de aula, certo, garota? – Jas me encarou.
- Certo. – assenti. – Mas, de qualquer forma, eu vou falar com ele. – comentei e no mesmo instante vi Bieber entrando no refeitório acompanhando por uma garota. – E vai ser agora. – me levantei.
- Espera. – Jasmine segurou a minha mão. – O que você vai fazer?
- Vou resolver as coisas. – olhei para ela, uma linha de preocupação se formando em sua face. – Relaxe, não vou socá-lo.
Não ainda.
- Ei. – chamei a atenção do meu parceiro de anatomia que estava olhando descaradamente para os seios da garota ao seu lado.
- Ei! – ele se afastou da garota. – Megan, não é?
- Morgan. – eu cruzei os braços contra o peito, impaciente. - Meu nome é Morgan.
- Ah, é. – ele coçou a nuca. – Pode falar, Morg.
Revirei os olhos.
Que tipo de intimidade ele pensa que tem comigo?
- Escuta, quando nós vamos fazer o trabalho de anatomia?
- Trabalho? – ele pareceu tentar se lembrar. – Ah, sim. Hoje eu estou livre.
- Que seja. – dei de ombros. - Esteja na biblioteca, às 15:00h.
- Você não acharia melhor se fosse no meu quarto, Morg? – ele sorriu.
Naquele momento, uma raiva me subiu pela espinha. Esse era o tipo de garoto mais patético do mundo. Minha mão formigou e a adrenalina invadiu meu corpo. Eu queria bater nele, queria muito, mas me contive. Eu não queria uma advertência no primeiro dia, então apenas disse:
- Você não acharia melhor se eu te batesse agora mesmo?
- Ah... - ele colocou o braço ao redor do meu ombro e eu o tirei no mesmo instante. – Não banque a difícil, Morg.
- É Morgan pra você, imbecil. – revirei os olhos e voltei para a mesa em que Jas e eu estávamos.
- Sim, sim. – Jas falava ao telefone. – Eu também amo você. – ela sorriu. Obviamente era Luke que estava do outro lado da linha. – Uhum. Tchau, amor. – ela suspirou e desligou.
Luke era o namorado dela. Eles começaram a namorar desde que ela tinha 15 e parecia que o namoro era bem sério. Luke e Jas formavam um casal  perfeito e, apesar da Jas muitas vezes brincar elogiando outros caras, ela realmente gosta dele. Eles se conheceram na nossa antiga cidade, mas depois que eu e a Jas nos mudamos para Montreal, ele resolveu se mudar também e está morando num apartamento perto da faculdade.
- E aí, como foi? – ela voltou sua atenção para mim.
Dei de ombros.
Não havia acontecido nada demais, além de eu ter me segurado para não socar Bieber bem no meio do rosto.
         
Depois de pegar as minhas chaves do dormitório, os livros, e deixar uma mensagem para a Jas, fui em direção à biblioteca. A biblioteca da faculdade era como todas as outras: grande e empoeirada. As paredes eram brancas, mas o chão era de mármore, e predominava. Os livros ficavam em estantes, separados pelo conteúdo, as mesas eram redondas e se concentravam no meio do cômodo, enquanto, atrás do balcão, a bibliotecária observava tudo.
Assim que cruzei a porta, pude ver Bieber perto de uma das grandes janelas que tinham por lá. Ele estava de costas e falava ao telefone, mas desligou o aparelho assim que se virou e me viu.
- Você quer ajuda? – ele se referiu aos livros.
- Não. – passei reto por ele e me sentei em uma das mesas. Ele se sentou logo em seguida. – Você fica com a setorial e eu com a sistêmica, ok?
Bieber me encarou confuso.
- E onde eu posso encontrar alguma coisa sobre isso? – ele perguntou e eu pensei em ignorar. Estávamos em uma biblioteca, onde será que ele poderia encontrar alguma coisa?
- Nos livros? – eu lhe perguntei, a obviedade em minhas palavras.
- E por que nós não pesquisamos isso na Internet?
- Eu prefiro procurar nos livros. – respondi. – Mas se você quiser, pode ficar a vontade e ir procurar na Internet.
- Não, Hon. – Bieber disse com a voz um pouco rouca. – Eu prefiro ficar aqui com você.
- Que diabos é ‘’Hon’’? – vociferei.
- É uma abreviação de honey. – ele sorriu sem mostrar os dentes. – Você gostou?
Não respondi.
Eu ainda estava me perguntando: Que tipo de intimidade ele pensa que tem comigo?
Levantei-me e procurei por alguns livros na sessão de Ciências. Mas eu não conseguia alcançar o livro que eu queria. Senti Bieber ao meu lado. Ele pegou um livro que estava no alto da estante.
- Você precisa de algo, Hon? – Bieber tinha um sorriso brincalhão nos lábios.
Fiquei na ponta dos pés e peguei o maldito livro.
- Não. – revirei os olhos e depois voltei para a mesa. Bieber me seguiu e se sentou ao meu lado.
Coloquei o livro sob a mesa. Passei a mão em cima da capa, parecia que havia anos que ninguém o abria. Hoje em dia eu costumo me perguntar: Por que as pessoas utilizam mais os livros do que a internet? Tudo bem que a Internet é uma rede bem mais rápida, mas eu acho que a nossa história está nos livros e tudo aquilo que nós somos também.
Folheei e folheei até encontrar o que eu queria. Comecei as anotações.
‘’Anatomia Sistêmica é o estudo do corpo humano através dos sistemas orgânicos...”
Encarei Bieber. Ele estava totalmente concentrado. Os olhos atentos, fixos no papel à sua frente. Percebi que ele era canhoto e, enquanto escrevia com a mão esquerda, utilizava a direita para manter o livro aberto. Ele inclinou a cabeça na minha direção e eu virei rapidamente a atenção para o meu livro.
Pude ouvir sua risadinha nasalada.
- O que é, hein? – me virei para ele.
- Você estava me observando, Hon? – ele perguntou e eu revirei os olhos.
Apelido idiota.
- Eu não quero que você me chame assim. – eu disse. – Isso é patético.
- Do que você quer que eu te chame então, Hon? – ele se aproximou. – Eu queria te chamar para ir ao meu quarto e realizar os meus desejos.
Revirei os olhos.
Qual era o problema com esse garoto?
- Que pena, porque você vai ficar só querendo mesmo. – rebati.
Ele riu. Na verdade, gargalhou. E gargalhou muito alto.
Até a bibliotecária nos lançar um olhar que dizia: ‘’Fiquem quietos!”.
        - Você não tem vontade de realizar os meus desejos, Hon? – Bieber sussurrou.
       - Sabe o que eu tenho vontade de fazer? 
      - O quê? - Bieber se aproximou, um sorriso esperançoso se abriu no canto de sua boca. 
      Então eu o soquei.

***************************************************************
She's confident oh no no oh no no.
Vocês já viram o clipe? Está di-vi-no.
Bom, eu gostaria de agradecer por todos os comentários que vocês deixaram na introdução. Isso me deixa muito feliz, sério. Tão feliz que eu resolvi postar este primeiro capítulo somente um dia depois. Eu realmente espero que vocês estejam gostando, e é isso. 
Comentem aí que eu continuo rapidinho.
Ah! Meu instagram é: http://instagram.com/victst          ps. ignorem minha feiura.
Beijinhos da Vic. xx

9 comentários:

  1. primeeiraaa omg. continuuua ta perfeito

    - Victoria Marques

    ResponderExcluir
  2. OH NO NO SOCO NAO PODE HON HAHAHAHAHAHAHAHA CON TINUA PELO BIEBER AMADO!

    ResponderExcluir
  3. Amei <3
    Mas o Justin é tipo o pegador ou um guri normal que se faz? hahahahhaha

    ResponderExcluir
  4. Primeiro cap. tudo de bom!! Continua õlogo por favor bjus

    ResponderExcluir
  5. Amei esse juss com jeito de pegador !!! Continua /gaby

    ResponderExcluir
  6. Ooi. Olha eu amei Esse capítulo, ficou MARAVILHOSO sério mesmo. Não sei se eu tenho problemas mentais, mas seu que eu achei muito engraçado ela i socando Kkkkkkk
    Ok, continue por favor baby ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse corretor automático do teclado que digita tudo errado viu. *mas sei que
      *o socando

      Excluir
  7. Primeiro capitulo e já tô amando. E tipo, esse final foi massa .
    - Sabe o que eu tenho vontade de fazer?
    - O quê? - Bieber se aproximou, um sorriso esperançoso se abriu no canto de sua boca. 
       Então eu o soquei.
    Kkkkk essa foi demais! Mas tadinho do Jus :-/
    Bom, continua assim que puder.
    Beijos, Daya

    ResponderExcluir