27 de dez de 2012

2 Broke Girls - Part. 7


[...]

- Justin, eu já fiz as malas. - disse batendo na porta do banheiro. Estávamos da casa de Britanny, para pegar o resto de minhas coisas e ele cansou de me ver arrumando as coisas e falou que iria tomar banho. Brit não estava em casa - como já era de se esperar.
- Amor, entra aqui.
- O que voce quer?
- Hm, eu esqueci a toalha, pode me entregar? Se não eu vou molhar todo o banheiro...
- Tudo bem. - entrei e ele estava no box, peguei a toalha e levei até ele. - Pega logo, eu não vou... JUSTIN! EU NÃO ACREDITO QUE VOCE FEZ ISSO! - antes que eu pudesse acabar de falar, ele simplesmente puxou a toalha, me puxando junto e consequente me molhando toda, quando eu estava distraída.
- Não acredito que caiu de novo nessa. - disse rindo da minha cara. Olhei pra ele com raiva e ele me prensou na parede.
- Idiota. Me larga.
- Você não quer que eu te largue. - Não foi uma pergunta, ele se aproximou roçando seu nariz.
- Se eu to pedindo é porque quero. - já estávamos sussurrando à essa hora. Ele então começou a subir sua mão por dentro de minha blusa, chegando perto dos seios e os apertando de leve, me fazendo arfar, me deu um rápido beijo na boca e, em seguida, desceu os beijos para meu pescoço. Ele sabia bem como me render. Passei a retribuir seu beijos enquanto ele se desfazia de minhas roupas...

[...]

- Mais... rápido. - pedi, ou melhor implorei. Ele adorava me torturar.
- Quais são as palavrinhas mágicas?
-  Vai logo, idiota! - ele mordeu meu pescoço, me prensando ainda mais contra a parede.
- Pede direito, amor... - sussurrou no meu ouvido. [n/a: ok. imagina a cena do Jus sussurrando isso no seu ouvido... PLEASE! eu acho que eu teria um orgasmo na horaele podia até falar macarronada que ia ser bom. lol]
- Ahn... Por.. favor... - e então ele atendeu meu pedido. Até que...
- Oi... alguém em casa? Justin? - batidas - Justin, é você?
- Você trancou a porta? - sussurrou pra mim e eu assenti me segurando para não rir.
- Fala com ela, mas se você parar... eu te mato, Justin Bieber. - sussurrei e ele riu, continuando com os movimentos que iam cada vez mais rápidos.

JUSTIN POV ON

- Sim, Britanny!
- Okay, por onde você andou?
- Ahn... é... o quê? Ah, droga! - não estava mais conseguindo me controlar e Chloe começou a arranhar minhas costas, beijando meu pescoço em seguida...
- Justin! O que está acontecendo?
- Desculpe, Brit. É... o sabonete caiu, só isso. Eu estive muito cheio na faculdade... você sabe como é...
- Hm, e a Chloe? tá ótima, obrigado.
- O... aww... o que tem ela? - quase lá.
- Justin... o que... você está...
- O quê?! Não! E eu nao sei nada da sua irmã.
- Hm... O.K., eu vou na Tifanny.
- Certo. - e então ouvimos a batida na porta. - Finalmente. - e então chegamos ao ápice.
- Fico impressionada com a burrice da minha irmã.
- Por que você tem sempre que me provocar, hein sua chata?
- Vingança, amor. - falou e logo eu entendi. Mulher má, muito má.

[...]

- Ah, lar doce lar. - disse me jogando no sofá.
- Que doce nada, você vai me ajudar com as malas, vamos.
- Mas querida...
- Nem mais nem menos, neném.
- Okay, amor. - disse e me levantei a acompanhando em direção ao quarto. - Ainda bem que meu armário é grande, caso contrário não ia caber isso tudo...
- Justin, pode pegar aquela malinha vermelha, por favor?
- Falando nisso, essa é a menor. O que tem dentro?
- Hm... roupas íntimas.
- Quê?! Eu quero ver!
- Não! Me dá essa mala! - reclamou tentando pegá-la.
- Então é aqui que você guarda seus planos e técnicas e brinquedinhos para seduzir o garotão aqui não é, safadinha? - falei malicioso e ela riu. Mas quando fiz menção de abri-la, ela ficou tensa e voou pra cima de mim.
- ME DÁ ESSA MERDA AGORA! - tentou puxar, e acabou fazendo com que caísse muitas coisas de dentro. E nenhuma lingerie.
- Roupas íntimas, não é? - falei pegando as coisas (fotos & cartas, devo dizer), ela me encarava estática. Examinei as fotos e vi várias dela pequena, adolescente, em vários lugares diferentes, e vi também fotos dela com um cara... virei uma delas e vi escrito mensagens amorosas assinadas por "Alex". Olhei as cartas: Alex, Alex, Alex...

Que merda é essa? Por que ela guarda isso? Será que ela... não, não pode ser.

Fiquei meio sem acreditar no que eu estava vendo em minhas mãos. Larguei tudo no chão, com raiva, nojo.... eu nem sabia o que eu estava sentindo direito. Saí do quarto batendo a porta sem nem olhar na cara dela.

JUSTIN POV OFF

NARRADOR ON

O garoto saiu andando com pressa mesmo sem saber aonde ir, andou, andou e parou em um parque, sentando debaixo de uma árvore. O mesmo parque que havia levado a amada, a mesma árvore em que ficaram naquele dia. Mas o que ela queria, afinal? O que havia de errado com ela? Ou com ele? Seu amor não era suficiente? Ela precisava de outro? Será que ela ainda amava Alex? PIOR: Será que ela o amava mesmo ou só estava usando ele por satisfação, carência ou seja lá o que for? Muitas perguntas rodeavam sua cabeça, tentava achar alguma justificativa para aquilo o que viu. Sentiu vontade de chorar, "muito gay", pensou. Mas estava inseguro e a vontade só aumentava, seu coração estava machucado, ela havia o magoado mostrando, mesmo sem querer,  que guardava coisas a respeito do ex-namorado. Justin nunca havia amado uma garota, ficava com elas por diversão e nada mais. Agora que finalmente tinha descoberto o que era o amor, ou pelo menos o que ele achava que era pelo que Chloe demonstrava ser com ele, descobriu também algo novo em relação a isso: Decepção. Chloe havia o decepcionado. Fez com que sentisse como lixo, sem ter mesmo dito nada. De repente, sentiu vontade de beber mas não o fez. Afinal, de que iria resolver? Esquecer problemas por um tempo para depois eles voltarem novamente? Bobagem. Repensou de novo a respeito, e terminou em um bar, ainda estava sóbrio, por isso resolveu ir para casa antes que perdesse o controle e começasse a desabafar com o barman.

Chegou em casa depois de quase cinco horas fora. O relógio marcava mais de meia-noite, pelo que ele conseguiu enxergar. Entrou em casa, trancando a porta em seguida e se jogou no sofá, havia uma luz acesa mas não conseguiu identificar se era do quarto ou do banheiro, estava sem vontade de saber. Ficou olhando para a parede a sua frente, o olhar vago, perdido em pensamentos, aliás, queria pelo menos parar um segundo de pensar mas Chloe não saía de sua mente. As dúvidas e inseguranças não o deixavam e ficou pior ainda quando viu Chloe ali parada à sua frente o encarando hesitante, com o rosto inchado e expressão preocupada. Ah, então ela havia chorado? Que merda era aquela? Ele que era a vítima da história, não ela.

- Existe uma coisa... - murmurou fazendo com que ela tomasse um pequeno susto. No fundo, até ele se assustou com o tom da própria voz. - ... chamada confiança.
- Jus... - tentou falar mas foi logo interrompida por ele.
- E eu acho que você não sabe o significado disso.

Continua...

RECADINHO: FIC SENDO REPOSTADA DEVIDO AS DEMORAS OCORRIDAS.

Beijinhos, se cuidem. Amo vocês. 


By: Ally - @itsmykidrauhl


Nenhum comentário:

Postar um comentário