30 de ago de 2014

Classic - 16



- Chegamos! - acordei com Justin me sacudindo.
Nós estávamos no avião e havíamos acabado de pousar na minha cidade. Eu podia sentir o cheiro daquele lugar há quilômetros de distância.
Apertei a ponte do nariz e bocejei. Bleh. Eu devia estar horrível.
Eu encarei Justin de maneira torta. Ainda não acreditava que ele tinha vindo viajar comigo. Desde o maldito incidente, mais nenhum garoto havia ido na minha casa.
- Vem, eu te ajudo. - Justin disse quando já estávamos fora do avião. Ele estava pegando as  malas. É, parecia que Justin precisava realmente de muita coisa para um final de semana.
- Pra quê tanta coisa? - arquei uma sobrancelha.
- Você sabe, preciso agradar minha sogrinha. - ele sorriu malicioso.
- Justin! - berrei.
- Tô brincando. - ele levantou as mãos em forma de rendição. - São só roupas.
Assenti.
- Hey, táxi! - gritei.

- Meu Deus, Hon. - Justin ficou boquiaberto. - Sua casa é linda.
- Hum? - franzi o cenho. - É só uma casa normal.
Eu não era lá muito rica, mas meus pais tinham alguma condição financeira. Éramos uma família de classe média como qualquer outra. Além do mais, eu duvidava muito que Justin não tivesse uma casa beeem maior que a minha. E mais luxuosa também.
Assim que eu toquei a campainha, mamãe abriu a porta rapidamente. Era como se ela estivesse prevendo a minha chegada.
- Morg! - ela me abraçou tão apertado que eu fiquei com falta de ar.
- Oi, mãe. - a beijei na bochecha.
- Querida, como você cresceu. - ela falava como se eu houvesse mudado de fato. Para mim, eu era a mesma pessoa de sempre.
- Mãe, foram só alguns meses. - comentei.
- Meses esses que pareceram uma eternidade. - ela me abraçou novamente. - Como você está, menina? Senti tanto a sua falta.
-Não é pra tanto, mãe. - revirei os olhos. - Tudo bem, estou bem. Hum, cadê o papai?
- Seu pai foi pescar, mas logo estará aqui para o jantar.
Houve um momento de silêncio e o Justin pigarreou.
- Ah! - bati a mão contra a testa. - Mãe, esse é o Justin, meu...amigo.
Eu respirei fundo e esperei a reação da minha mãe.
- Uh. - ela pareceu realmente surpresa. - Morg, por que você não avisou que teríamos visita?
Mordi os lábios, nervosa.
- Nem deu tempo de eu arrumar as coisas.
Agora eu estava realmente confusa.
Pensei que ela ia xingá-lo, me xingar e xingar toda a cidade. Já tinha até preparado meus ouvidos e tudo o mais.
Mas não, ela estava agindo de maneira normal.
O que era estranho.
Mas algo que eu não iria reclamar.
- Prazer, senhora Smith. - Justin beijou a mão da minha mãe e ela sorriu em resposta.
- Oh, Justin, pode me chamar de Theresa. - ela falou. - Vamos, entrem meninos.
- Pode deixar que eu levo, Hon. - Justin pegou as malas e levou para dentro de casa. Eu fechei a porta atrás de mim e soltei um suspiro.
- Justin, querido, vem cá, vou lhe mostrar o seu quarto. - Então a minha mãe e o Justin subiram escada acima.
Eles pareciam realmente íntimos.
A campainha tocou e eu agradeci mentalmente por ainda estar perto da porta.
Quando a porta se abriu e eu vi a minha irmã, fiquei realmente feliz. Seria mentira se eu dissesse que não sentia saudades dela. Ela fora a única pessoa em que eu fora confidente durante toda a minha vida. E eu não a via há dois anos, desde quando ela fora morar em LA. Sempre quando ela estivera aqui, eu não estava. E agora ela estava ali, bem na minha frente.
- Pirralha! - ela largou as malas no chão e me deu um abraço apertado. Eu correspondi.
- Girafa! - eu sorri.
Como eu tinha saudades daquela bobona.
Nós nos separamos e minha atenção foi voltada para Justin e minha mãe, que desciam as escadas tagarelando sem parar.
- Meu Deus, Morg, sua mãe estava me contando sobre quando você era pequena e... - Justin parou no pé da escada e arregalou os olhos. - Duas dela?
- Ah, qual é, nós nem somos tão parecidas assim. - Maggie disse e sorriu para ele.
O que era verdade, porque ela era mais velha, mais alta e mais bonita.
- Ei. - Justin se aproximou. - Prazer, Justin.
- Maggie.
- Você é a irmã da Hon? - Justin perguntou.
- Hon? - Maggie gargalhou. - É, sou a irmã da pirralha. E você é o que? O namorado?
- Não. - berrei. - Ele é só meu amigo.
Justin deu de ombros.
- Maggie, querida, venha aqui. - mamãe gritou e Maggie saiu da sala.
- Eu adorei este lugar. - Justin me disse.
Sorri.

Eu acordei com minha mãe me chamando.
Eu havia ido dormir um pouco depois que nós havíamos chegado. A viagem de avião fora totalmente cansativa. Justin também havia ido descansar um pouco, então estava tudo certo.
- Querida, está na hora de levantar. - ela disse da porta. - O jantar está quase pronto.
Brrr. Por um momento eu quase me esqueci de que hoje era o Dia de Ação de Graças. E, como uma tradição, minha mãe sempre fazia um jantar maravilhoso e chamava os amigos.
- Tudo bem, vou tomar um banho.
- Você pode acordar o Justin, Morg? - mamãe perguntou. - Eu tenho que fazer umas coisas na cozinha e...
- Uhum, pode deixar que acordo ele.
Eu me levantei, ainda cambaleando, e fui para o quarto do Justin, que, por coincidência, era do lado do meu.
Empurrei a porta e me dei de cara com Justin com uma toalha amarrada na cintura.
- Ah! - berrei e tapei os olhos na mesma hora. - Justin!
Ele gargalhou. - Relaxa, Hon, eu não tô pelado.
- Mas é como se estivesse. - retruquei.
- O que é bonito é pra se mostrar. - ele deu de ombros.
- Mas eu não quero ver. - virei de costas.
- Tem certeza? - eu podia sentir ele se aproximando de mim.
Eu me virei para ele.
Não respondi.
Se já parecia difícil respirar com ele assim tão perto, imagina dizer algo. Meu corpo ficou quente e meu coração parecia que ia sair pela boca.
Justin colocou a mão na minha cintura e colou nossos corpos.
- Justin. - murmurei
- Hon. - ele sussurrou no meu ouvido e eu me arrepiei.
Então eu fui puxada de volta para a realidade e coloquei a mão em seu peitoral, o empurrando de leve.
- É melhor ir se trocar ou vai se atrasar pro jantar. - falei, antes de sair dali.

Depois de tomar o meu banho, abri a mala em cima da cama e procurei por alguma coisa adequada para vestir. Eu pensei que só havia trago calças jeans, shorts e blusinhas, mas achei um vestido lá no fundo mala. Com certeza aquilo era obra de Jas. Até que o vestido não era tão feio assim. Pra falar a verdade, era até bonitinho. Então eu o vesti, calcei uma sapatilha, passei uma maquiagem de leve e desci para ajudar a minha mãe na cozinha. Maggie já estava lá, ainda mais bonita que sempre. Ela sorriu para mim e disse: - Hey, Morg, me ajude a colocar os talheres na mesa.
Assenti.
- Então, qual o lance com o Justin? - ela disse enquanto arrumava os pratos.
Nesse momento eu me lembrei da cena que havia acontecido minutos atrás.
- Que lance? - levantei a sobrancelha. - Não tem lance.
- Ele é gatinho. E bem legal. - ela sussurrou. - E você gosta dele.
- Não gosto não. - sacudi a cabeça. - De onde você tirou isso?
- Eu vejo o jeito como você olha pra ele. - Maggie sorriu. - E, se quer saber, eu totalmente aprovo.


******************************************************************************

Oi, liendasssss.
Tô ocupadíssima agora.
Me desculpem pela demora, depois eu explico.
Só passei aqui para não deixar vocês na mão.
Comentem aí que no próximo eu respondo T-O-D-A-S.
Beijinhos da Vic. xx




Nenhum comentário:

Postar um comentário