19 de jul de 2014

Classic - 14



''Bem vindos à Festa de Outono''. Dizia a faixa logo na entrada da faculdade.
Quando chegamos ao salão de festas, eu realmente achei tudo muito bonito. O salão estava todo enfeitado, cheio de luzes, mesas, tinha uma pista de dança e até um DJ. Estava tocando Hot N' Cold da Katy Perry e alguns casais faziam passos legais. Justin e eu nos sentamos em uma mesa e Andrew, a garota que estava organizando a festa, me deu uma flor em uma pulseira para eu colocar no pulso. Eu nunca tinha ido a uma festa daquele jeito, nem mesmo no colegial e, bem, não parecia tão ruim assim. Exceto pelo grande número de pessoas. Eu não me dou muito bem no meio de muita gente.
Por um momento, a música parou e eu vi o Marcos, um garoto que sentava duas cadeiras em frente à minha, subir no palco.
- Sejam bem vindos à Festa de Outono, galera. - ele disse, a voz um pouco rouca por causa do microfone. - Espero que vocês se divirtam, dancem muito e, bem...fiquem com as gatinhas. - e todos riram. - Boa noite. - ele disse antes de sair e a música começar a tocar novamente.
Eu pensei que aquilo seria como um baile, mas estava mais pra uma balada. Tinha até um bar.
- Hey, Hon. - Justin chamou-me. - Vamos dançar?
- Eu não sei dançar. - menti.
- Vamos lá, Hon, eu te ensino. - ele se levantou e estendeu a mão para mim.
- Eu vou pisar no seu pé. - tentei fazê-lo mudar de ideia.
- Ah, qual é? Você não pode ser tão ruim assim. - então puxou a minha mão.
E eu não era mesmo. Na verdade, acho que eu até mandava bem no quesito dança.
Justin me guiou até o meio da pista e fez uns passos muito engraçados. Algumas pessoas começaram a nos encarar.
- O que você está olhando? - eu perguntei pra garota loira que não parava de olhar para o Justin. Pra ser sincera, acho que ela estava o olhando porque estava a fim dele.
Justin gargalhou com a minha atitude.
- Eu detesto essas pessoas que não tem o que fazer. - falei mais alto que normal.
Eu me mexi um pouco quando começou a tocar uma música agitada do Chris Brown.
- Eu adoro essa música. - Justin falou.
- É, é legal. - concordei e me mexi mais um pouco.
Quando o refrão começou, todos ao meu redor começaram a pular e jogar os braços para cima, então eu fiz o mesmo. A música era boa, a batida também. Eu remexi um pouco os quadris na parte mais lenta e depois eu me deixei levar conforme a música.
Quatro músicas depois e eu estava completamente suada.
- Quer fazer uma pausa? - Justin gritou por cima da música.
Assenti e ele segurou a minha mão.
Me senti segura por um momento.
Por um momento esqueci de todo o meu passado perturbador.
- Eu pensei que você não soubesse dançar. - Justin falou quando nos sentamos em uma mesa.
- Não é algo que eu faço com muita frequência. - admiti.
- Quer beber alguma coisa, Hon? - Justin me olhou.
- Uma cerveja.
Ele assentiu e foi em direção ao bar.
Quando Justin voltou com as bebidas, eu peguei a cerveja e pude sentir uma sensação boa quando tomei o primeiro gole. Acho que eu devia isso a mim: um pouco de diversão.
Na terceira cerveja, Justin me perguntara se eu queria parar, mas eu disse não.
Algumas cervejas mais tarde e eu já podia me sentir alegre. Eu só queria me sentir assim pelo resto da vida. É incrível o poder que o álcool tem sobre o meu corpo. Eu conseguia mudar de humor com facilidade.
- Você não acha que já bebeu demais não, Hon? - Justin estava rindo da minha situação.
- Eu? - gargalhei. - Eu tô ótima. - levantei a garrafa para cima. - Tô incrivelmente bem.
- Ah, é? - ele arqueou as sombracelhas. - Vamos embora, eu vou te levar pro dormitório.
- Que isso, cara? - fiz um muxoxo. - Tá maluco? Ei, ei, ei. - eu me levantei. - Vamos dançar um pouquinho, Justin. - eu agarrei a mão dele. - Só um pouquinho.
Justin relutou no começo, mas não recusou. Eu o puxei com uma mão assim como ele havia feito comigo e com a outra mão, peguei uma garrafa de cerveja. Guiei Justin até o mesmo lugar em que a gente estava antes e comecei a dançar. Eu não fazia a mínima ideia de que música estava tocando, eu só queria dançar.
Mexi os quadris sem me importar com quem estivesse olhando, depois rebolei um pouco. Tomei mais um gole de cerveja e me senti um pouco tonta. Eu não estava conseguindo me equilibrar direito em cima dos saltos que Jas havia me emprestado.
- Já chega, Hon. - ele olhou para a garrafa na minha boca.
- Não, Justin. - levantei um dedo. - A garrafa não.
- Me dê essa garrafa, Hon. - ele a pegou da minha mão antes que eu pudesse protestar.
- Justin. - minha voz saiu embargada.
- Vamos embora, Hon. - Justin saiu me puxando.
- Não, eu não vou. - parei e cruzei os braços.
Nós estávamos do lado de fora. Estava fazendo muito frio e eu passei as mãos nos braços para me aquecer.
- Tá frio. - eu disse entre batidas de queixo.
- Toma. - ele colocou seu blazer em mim.
- Eu vou voltar. - caminhei para trás e tropecei. Quase que eu caía de cara no chão. - Que merda de salto.
Justin se aproximou de mim e passou meu braço ao redor dos ombros dele.
- Eu tô bem, Justinzinho. Tô bem.
Justin balançou a cabeça e riu.
- Vamos logo pro seu dormitório, Hon.
Algumas tropeçadas depois e nós chegamos ao meu dormitório.
- Cadê a sua chave, Hon? - Justin me perguntou.
- Tá bem aqui, Justinzinho. - eu peguei a chave única que estava dentro do bojo do meu sutiã.
Ele pegou a chave da minha mão e abriu a porta.
Lá dentro já estava bem mais quente, então eu tirei o blazer dele e o deixei em cima do sofá. Depois tirei os saltos também, eles estavam machucando muito e, além do mais, eu estava tonta o bastante para acabar caindo a qualquer momento, o que não seria uma boa ideia.
Justin estava de pé, perto da porta.
- Justin. - eu me aproximei dele. - Você gosta de mim?
- Você tá muito bêbada, Hon.- ele riu. - Tem certeza de que não quer um remédio?
- Remédio não! - eu balancei a cabeça. - O que eu quero tá bem na minha frente.
Eu caminhei mais para perto dele, nossos corpos a centímetros de distância.
- Você me quer, Justin? - eu abaixei o zíper do vestido, fazendo com que ele caísse no chão no mesmo instante, me revelando só de calcinha e sutiã. - Eu sou toda sua. - e aproximei meus lábios dos dele. Justin recuou.
- Você não me quer, Justin? - eu perguntei, a respiração entrecortada. - Eu não sou boa o suficiente pra você?
Justin passou a mão nos cabelos, nervoso.
- Você não gosta de mim, não é? Eu sou feia? É isso? - lágrimas começaram a se formar no canto dos meus olhos.
- Caralho, Hon! Puta que pariu! - ele se aproximou de mim e apertou meus ombros. - Você é linda, cacete, é perfeita, eu te quero tanto, te quero desde a porra do primeiro dia em que eu te vi. Eu já pensei em cinquenta jeitos diferentes de te jogar na minha cama!
- Então por que você não fica comigo? - eu mordi os lábios, prendendo o choro.
- Eu não quero ficar com você. - ele fez uma pausa. - Não quero ficar com você desse jeito. Eu quero que seja bom, mas não só pra mim. Eu quero que você esteja ciente de cada coisa que acontecer.
- Mas eu estou...- antes que eu terminasse a frase, uma onda de tontura percorreu meu corpo e tudo começou a girar.
Eu ia vomitar.
Corri para o banheiro imediatamente.
Me sentei no chão frio e apoiei as mãos no vaso sanitário. Vomitei. Vomitei tudo o que eu tinha comido mais cedo. Vomitei até não ter mais nada para vomitar.
Justin apareceu logo em seguida.
- Sai, Justin. - eu não queria que ele me visse ali, vomitando. Era deprimente demais. - Sai, por favor. - falei entre soluços.
Mas ele não saiu, pelo contrário, Justin se sentou no chão, ao meu lado, e prendeu meu cabelo com um elástico que ele havia achado em cima da pia. Eu já estava melhorando, podia sentir isso. A tontura havia passado e as coisas estavam começando a voltar ao normal.
- Tô com sono. - murmurei.
- Vem, eu vou te levar pra cama. - Justin me pegou no colo. Eu podia ver quanto esforço ele estava fazendo. Eu não merecia isso, não merecia alguém como ele. Justin me deitou na cama. Então ele saiu do quarto e voltou alguns minutos depois.
- Aqui. - ele me entregou um copo e um comprimido. - É pra dor de cabeça.
Eu não hesitei. Tomei tudo em goles rápidos, que desceram rasgando pela minha garganta.
- Você não pode beber sem comer algo, Hon. - ele se sentou na cama.
Eu não falei nada.
Ele me cobriu com um cobertor.
- Boa noite, Hon. - ele se levantou e foi em direção à porta.
Eu franzi o cenho. Ele estava indo embora? Não. Eu não deixaria que ele fosse novamente.
- Justin. - falei manhosa. Ele se virou e me encarou. - Fica aqui. - pedi.
- Tem certeza?
- Uhum. - assenti.
Então ele se deitou ao meu lado. Eu não posso dizer que estava muito confortável, porque, bem, a minha cama não era tão grande assim e estava meio apertado. Mas depois eu encontrei uma posição boa e pude sentir o calor do corpo de Justin. Tudo ficou tão bom.
- Boa noite, Justin. - eu falei, antes de apagar completamente.

****************************************************************************
Okay. É aí que vocês se perguntam: por que eu postei tão rápido se ia postar só com 9 comentários? Bem, eu não aguentei e esperar e mais, ninguém tá comentando ): Só tive 5 comentários no capítulo passado. A fic tá ruim, é gente? Sejam sinceras. Ah, eu tenho prova nas duas próximas semanas, então... dependendo do número de comentários, eu não vou atualizar tão cedo. E quanto às meninas que comentaram: vocês brilham, tuts tuts.
Nath: Huhauehueah, eu também tava morrendo de saudades de você, Nath ): .E não é? Ele é simplesmente maravilhoso! Hhahah, que amor, continuo, sim, linda. :*
Jo: Claro, Jo. E obrigada por comentar!
Kath: Prontinho. :)
Lu: Huaheuheuh, o beijo vai vim logo sim, relaxa! Aaaah, obrigada, sua linda. Sua opinião é muito importante pra mim, de verdade. Minhas férias foram boas, sim, mas e as suas? Como foram? Beijos.
Paty: Eu também tava com muitas saudades, linda. ): Vai rolar beijo logo logo. Obrigada por comentar. Beijão!

10 comentários:

  1. Ahhhh menina, aonde que a fic é ruim, me diz? Eu amoooo de paixao!! Comentaê minha gente, por favor!! To muito curiosa pros proximos caps <3 beijinho :*

    ResponderExcluir
  2. Awnm que bom q suas ferias foram boas..As minhas tbm foi trabalhei pra la kkk. Serio q o bj vai aparecer??!! Yo mega ansiosa..cara o cap. ficou PERFECT ficou mt bom..Continua logo bjus

    ResponderExcluir
  3. Ta ruim não, ta otima, continua logo ta mt pft e eu to mega anciosa pro beijo, por isso, poste logo rsrs bjs bjs

    ResponderExcluir
  4. Continua isso pelo amor!
    Essa fic é muito bem escrita e eu adoooro

    ResponderExcluir
  5. OIIIIIIIIIIIIIIIIIE! Sou eu a Evellin, e então.......... Eu não comentei em outros capítulos, porque eu esqueci do blog e realmente fiquei sem tempo de ler algumas fanfics que eu gosto muito, principalmente essa. Então peço desculpas por não ter comentado e não fique decepcionada comigo :(! Eu pensei que eles iam trufar kkkkkkkkkk. Caso não saiba o que é trufar, é PYD, mas não, não seria nada legal se eles fizessem PYD com a Morg bêbada, seria muito... Violento, sei lá :3 Continua meu docinho de Mel misturado com amor. Perfeita :>

    ResponderExcluir
  6. Por favor continua, ta muito perfeito. Eu leio desde o inicio e to amando sua fic. Bjs no <3

    ResponderExcluir
  7. Eita coitado d jus,louco p ficar cm ela,e ela nao deixa.continua

    ResponderExcluir