23 de jun de 2014

The boy next door (Ultimo capitulo)

O dia do baile chegou. Passei o dia inteiro no salão fazendo a unha, cabelo, maquiagem, limpeza de pele e vários outros tratamentos de beleza. Ficaria impecavel para essa noite, mesmo sendo apenas um baile de muitos do ano. A cabeleireira agora fazia uma hidratação, enquanto a manicure pintava minha unha de vermelho sangue. Sentia-me bonita agora. Olhei para o espelho e pude ver a mascara banca cobrindo todo meu rosto. Estava engraçada. 
"Então, vamos dar um corte para o seu cabelo?" Neguei após ela ter passado um pouco mais de creme. "Sempre não, né?" Sorri e concordei.
"Mas hoje quero uma maquiagem pesada, porque o que eu estou vestindo é bem simples sabe, e meu cabelo tem que estar com aqueles cachos que só você sabe fazer." Falei e ela concordou. Estava me sentindo animada. Tentei imaginar o baile, mas a cada imaginação Justin aparecia, fazendo-me sentir um lixo. Ele não me ligou, nem sequer mandou mensagem, não procurou nem pensou em procurar. Desanimei, e com certeza foi visto, pois a cabeleireira me olhou com uma cara meio estranha e falei que estava bem. Justin. Meu telefone tocou. Atendi. Caren.
"Oi Ca!" Falei animada. "Cade você? Já estou no salão." 
"O Jordan não vai mais me levar, só liguei para cancelar o salão." Sua voz foi desanimada. 
"E você precisa do Jordan para ir ao baile? Que nada meu amor, vem comigo e com o Charlie que a festa dura a noite inteira." Falei empolgada. "Por favor, nós gastamos o maior dinheirão em vestidos, sapatos, bijus e o salão já ta pago para você, não seja boba por causa de um idiotinha." Ela riu e falou que estaria ali em menos de vinte minutos. Esperei. Estamos indo bem, era como se nossa amizade estivesse renascendo, e eu estava gostando, porque ter uma amiga é algo bom, pode ir para salão com ela, fazer comprar, e falar coisas só de garotas. Sorri com meus próprios pensamentos. A campainha do salão tocou, fazendo-me lembrar de Caren, levantei e pude escutar os resmungos da manicure. Mandei beijos. 
"Ca!" Abri a porta e ela riu ao me ver com a mascara branca no rosto. "Ta rindo de que? Você vai passar também." Ela riu e entrou.
"Eu vou ficar com você e com o Charlie a noite inteira, ai dele reclamar." Gargalhei.
"Charlie? Reclamar por ter mais uma garota? E uma garota que não foi criada com ele, isso vai ser divertido." Puxei seu braço. E a coloquei sentada em uma cadeira. Olhei para manicure minha que fuzilava-me com os olhos. 
"Ok, já estou indo!" Ela levou as mãos para cima, como se fizesse aleluia. "Não exagera." 
"Você não parou de andar, ou se mexer o dia inteiro." Ri e sentei-me. "Espera só um pouquinho, que eu vou fazer um desenho e tirar os borrados, e ai pode rodar, pular, fazer o que quiser nesse salão." Concordei e sorri. Caren agora falava o que queria fazer no cabelo, escolheu um mais rebelde, um com a franja ondulada, estilo o da demi lovato, mas antes a cabeleireira passou um creme de hidratação e agora fazia limpeza de pele. 
"Pronto, só toma cuidado para não esbarrar em algum lugar." E então eu levantei. Graças. 
"Posso colocar musica?" Concordaram. 
A musica estava alta, e eu dançava junto com Caren, fingiamos estar treinando para o baile, e nós gargalhavamos. 
"Espera, Jes." Ela abaixou o volume da musica, a olhava. "E na musica lenta?" 
"Se quiser pode dançar com Charlie, não gosto muito desses negocios." Ela negou.
"Não posso, ele é seu melhor amigo." Caren falou e eu realmente quis rir, mas me mantive séria.
"Para de ser boba, o Charlie vai adorar dançar com você." Ela deu de ombros e voltamos a dançar loucamente enquanto a segunda dosagem da hidratação fazia efeito. Estávamos horriveis, e atrapalhavamos algumas clientes, mas ninguém reclamava, pois estavamos felizes e alegria de adolescentes era contagiante, portanto que várias moças com uns 40 anos dançava as vezes conosco, enquanto esperavam  a tinta pegar ou descoloriam o cabelo. O salão estava bem animado, e eu só podia me animar com aquilo. O baile apesar de ser idiota, sempre foi esperado por nós, porque esse ano nós arrumariamos o baile, nós fariamos tudo. Dera cinco horas e o desespero começou a tomar conta de mim e de Caren. As mascaras foram tiradas e os cabelos lavados, secados. Uma cabeleireira fazia os cachos no meu e a outra fazia o topete na Caren. Sentia-me deslumbrada cada vez que via um cachinho sair de seu babyliss. Justin gostaria disso. Sete horas e ainda estava aplicando a base sobre meu rosto, e fariam uma maquiagem preta bem pesada para tirar um pouco do ar menininha da minha roupa. Oito horas. Caren me deixara em casa e seguiu para sua, Charlie a buscaria depois de me buscar, ele querendo ou não. Em casa não encontrava o outro par do meu sapato, e minha mãe não estava para me ajudar  a procurar. Coloquei as bijuterias e resolvi ir com um outro salto que tinha, nada estragaria minha noite. Senti um friozinho na barriga ao longo das horas já pronta, por isso acabei andando pela casa inteira, mas logo me forcei a ficar parada. Caren me mandara duas mensagens perguntando se estava bonita, e a imagem ela estava maravilhosa.
Uma buzina finalmente tocou, e pude ver Charlie sentado no seu carro, estava sem a parte de cima como sempre, fazendo-me ficar cada vez mais empolgada. Olhei para casa de Justin, e ele falava no telefone, ele me olhava também. Entrei no carro, fui no banco de trás.
"Sou motorista agora?" Ele olhou para trás e logo botou o pé no freio.
"Passa na casa da Caren, ela vai conosco."
"Caren? A velha Caren?" Concordei e ele riu. "Voltaram a se falar?"
"Voltamos, e como o carinha que ia leva-la a deixou na mão, eu falei para ela vir conosco." Ele concordou. A casa  da Caren não mudara nada ao longo dos anos, ainda era a mesma cor de chá meio aguado e as grades brancas, e jardim perfeitamente programado. Charlie dessa vez resolveu bater na porta, para não soar grosseiro. Caren saiu, estava linda, seu vestido arrastava pelo chão, e seu cabelo estava do mesmo jeitinho de quando siau do salão, e sua maquiagem tão leve que parecia sem, e bom, Caren era tão menininha que parecia uma boneca. Charlie abriu a porta para ela entrar, estava bobo.
"Você está linda." Comentou ele, todo bobinho.
"Está falando comigo?" Perguntou ela, totalmente envergonhada. Ele concordou sorrindo. "Obrigada, você também." E assim a musica que Charlie escutara ocupou o silencio constrangedor para nós três. Chegamos bem em frente á escola, e por ser um baile, haviam contratado um manobrista, por isso só colocamos o carro logo a frente da escola e entramos. A musica alta me dava vontade de dançar, e não perdi tempo, puxei os dois que se olhavam de uma forma boba para pista de dança. Dançávamos de uma forma idiota, os três velhos amigos se divertindo juntos, como se tivéssemos voltado anos atrás. Olhei para os dois e sorri. A musica tocava alta, e os dois só sabiam se olhar. Fui para perto de um grupo de garotas de dançavam.
"Posso dançar com vocês?" Gritei e elas me puxaram para sua rodinha. Era uma banda que estava ali, por isso paravam algumas vezes para falar algumas palavrinhas, mas não me importava. Até que anunciaram a musica lenta.
"Bom, eu até posso tocar a musica lenta." Falou o vocalista da banda. "Mas tem um cara que está me atormentando a semana inteira, quer fazer uma surpresa para uma garota desse colégio." Ele falou e logo a unica menina desse grupo se pronunciou.
"Ele é muito fofo, e bom, nós vamos deixar o palco só para ele." E sairam. Todas as pessoas estavam paradas olhando para o palco, onde era o único ponto de luz. E ele entrou. Seu smoking era perfeitamente formado para seu corpo, e seu cabelo bagunçado como sempre, trazia um violão em suas mãos e um banco. Sentou-se e ajustou o microfone para seu tamanho.
"Bom, espero que todos estejam dispostos a dançar essa musica lenta com a pessoa que ama, ou apenas gosta, ou fica, pois essa é a melhor parte do baile." E ele sorriu. Pude escutar muitos suspiros vindo das garotas. "Pois bem, antes de cantar eu queria saber se alguém sabe onde está a Jesse, a vadia mais espetacular de todo o mundo." E apesar de suas palavras causarem um impacto pude escutar um "awn" vindo de todo mundo.
"Ela está aqui!" Charlie gritou logo atrás de mim, e um foco sobre meu corpo. Uma unica fonte de luz a me iluminar.
"Oh, ela está mais bonita do que o esperado." Ele pareceu envergonhado. "Sem mais enrolações. Peguem o seu par, e por favor, não roubem o meu." Todos riram o Justin começou a cantar. (essa aqui), ninguém dançava, assim como eu, só conseguiam prestar atenção na voz dele. Sua voz de anjo. Queria chorar com aquela letra, queria correr para o palco e agarra-lo e falar o quanto o amo. Oh, como eu o amo. Sua musica tão linda fez todos ficarem calados até o fim. Parados, o olhando. Acabou. Aplausos rodearam o salão.
"Obrigado, mas vejo que ninguém dançou." Ele riu. Todos se contagiaram. "Por favor, peguem seus pares." Ele pediu, e todos obedeceram. "Mas antes de cantar vou falar uma coisa que tinha até me esquecido. Uma vez uma garota falou que era para eu estar sempre com a minha musa inspiradora, por favor, peçam para ela vir." Eu vi todos abrindo um certo espaço para eu passar, estilo filme mesmo.Caminhei até o palco. Contive-me para não correr para seus braços. E então subi para o seu lado. Seus olhos se vidraram em mim e ele cantou a mesma musica. Dessa vez com mais paixão. Chorei. Ele sorriu mas continuou a cantar. Seus olhos me encaravam. Eu queria beija-lo. A musica acabou. O barulho do violão caindo no chão, mas não nos impotavamos, nossos corpos estavam juntos, e aquela era a unica coisa que importava no momento. Eu podia seu coração bater, assim como ele poderia escutar o meu. Pude  escuta-lo sussurrar um Eu te amo mais no meu ouvido, e eu só tive a capacidade de beija-lo. Olhei para as pessoas no salão, e pude encontrar Charlie e Caren se beijando. Sorri.
"Acho que já temos o nosso rei e a nossa rainha." O vocalista da banda apareceu, e colocou as coroas em nós. Sorri e puxei Justin para pista de dança. Pedi mais uma musica lenta, o vocalista não relutou e começou a tocar (Essa musica).
Nossos corpos dançavam em uma sintonia imprecionante. Nossos olhares se cruzavam, e meu coração só faltava sair pela boca enquanto borboletas voavam meu meu estômago. Eu comecei a tremer.
"O que foi?" Justin perguntou preocupou, me segurando com mais firmeza.
"Eu estou nervosa e querendo chorar." Falei, rindo e ao mesmo tempo com lágrimas rolando em meu rosto.
"Posso desejar que estejamos aqui para sempre?" Neguei. "Por que?"
"Quero ir bem mais adiante com você." Ele sorriu desentendido. "Como em cima do altar, por exemplo, com essa musica, talvez a nossa musica." E nossos lábios foram colados. Ele me apertava, como se eu fosse fugir.
"Nossa musica?" Seu sorriso se alargou.
"É, nossa musica." O olhei. "Promete?"
"O que?"
"Me amar."
"Oh garota, isso foi prometido desde o dia em que te vi."

Oi meus amores! Poxa, esse foi o ultimo capitulo! Eu estou chorosa, acabei entrando de cabeça nessa fic, e essa ficou tão lindinha que nem quero acabar, mas enfim, acabou né?! Espero que tenham gostado da fic inteira, e que o final não tenha decepcionado, pois eu não me decepcionei. Amei os comentarios que deram, e bom, espero que tenham gostado mesmo! Um enorme beijo, até a proxima fic. 

8 comentários:

  1. Oi oi, eu sei que isto é chato, mas será que podiam ler?
    http://juswithyou.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh to chorosa aqui e ainda ouvindo Fall que particulamente amoo...Ta lindo o final eu amei ta perfeito.

    ResponderExcluir
  3. choreiiii :') ficou linda, parabéns :)

    ResponderExcluir
  4. Chorei! To esperando isso acontecer comigo um dia. (Se acontecer acho que com certeza eu vou chorar e no mínimo desmaiar) sua fic foi perfeita Parabéns! Espero ansiosamente pela próxima

    ResponderExcluir
  5. Mds , ficou muito perfeit essa ib , aii chorei, poxaa que pfta vc heeiin '-'

    ResponderExcluir