15 de jun de 2014

Fearless (Audrey)

Eu já estava farta daquilo. Estava no restaurante antigo, estilo anos 50, da minha cidade. Era meu aniversário e tomei um bolo. Digo, não o de chocolate branco que ainda não chegou. O bolo era a ausência dele, e de tudo o que houvera planejado. Não era muita coisa ou um pedido de namoro que eu queria. Desejava só sua presença, seu sorriso e seu cabelo mal arrumado. 
Era meu aniversário, eu não pedira muito. Sabia que meus amigos estavam preocupados, mas ninguém ousou falar alguma coisa. Talvez porque não tivesse nada a ser feito ou dito. Todos sabiam que eu estava apaixonada e que a sua ausência estava me ferindo. Não sou boa em esconder sentimentos, mas me recusei a chorar ou ir ao banheiro me lamentar. 
Meu celular apitou e meu coração pareceu voltar a vida. 
Ele é um idiota. – Alicia
Não era Justin. Sorri sem mostrar os dentes para Alicia do mesmo jeito. Todos sabiam disso e eu começava a perceber. Fiquei grata e ao mesmo tempo irritada com ela por não dizer isso em voz alta. O bolo chegou e cantamos parabéns. Percebi que pela primeira vez da minha vida não cantaram “Com quem será”. Fingi não perceber e apaguei a vela “1” e depois a “8”.
Fechei os olhos. 
Desejo crescer. 
Pedi em silêncio. Então me levantei, tomada por um impulso. Eu tenho dezoito anos, eu posso tomar um porre, porque já sou maior de idade. Eu posso aprender a dirigir. Eu posso tanta coisa. 
Em menos de trinta minutos, já estava dentro de um metrô, indo para a Universidade de Columbia. 
--------- 
Bati na porta 403. Justin abriu-a meio sonolento. Seus olhos acenderam quando me viram. 
- Jane? - perguntou.
- Não, Papai Noel. - sorri de forma sarcástica. - Ups, você não foi um bom garoto hoje. 
- Jane, estou falando sério. Está tarde, sua mãe sabe que você está aqui? 
- Não. - suspirei - Dezoito anos, lembra? 
Ele me fitou e eu não desviei o olhar. Queria lembrar de tudo de hoje. Porque é o dia que estou assumindo o controle da minha vida. Seria mais fácil esquecer e me acabar nas comédias românticas, mas às vezes o mais fácil não é o melhor.
Seu rosto estava exatamente do jeito que eu vira no facebook. Lindo. Os olhos amendoados, o rosto anguloso e naquele momento, o maxilar travado.
- Desculpa. Eu tinha muita coisa da faculdade para fazer. 
- Não tinha tempo de mandar uma mensagem, Justin? - sussurrei. 
Ele ficou em silêncio. 
- Por que você não foi? Digo, de verdade. Não use a faculdade como desculpa para tudo.  
- Eu gosto de você, Jane. Eu sei que crescemos juntos e que talvez não fosse biologicamente possível eu gostar de você depois de te ver brincando com minhocas ou gostando de vampiros que brilham no sol. Mas eu gosto. E tenho medo de como me sinto em relação a você. Tenho medo de me afogar no seus olhos, porque nunca gostei do mar. E tenho medo, porque nunca senti tanta vontade de mergulhar. Você é difícil como Matemática e mesmo assim quero tentar te resolver. Eu não consigo entender e não consegui ir hoje. - ele falou. - Sinto muito. 
- Eu também sinto muito. Sinto muito porque isso poderia ser diferente, porque você poderia ser diferente. Achei que fosse. E isso me dói, sabia? Eu queria que isso que vcê me falou tivesse acontecido antes. 
- Antes do quê? 
- Antes de eu tomar minha decisão. Decidi que posso me livrar de toda essa dor desnecessária. Você não está pronto para o amor. 
Ele assentiu e depois de um tempo nos despedimos. Para sempre talvez. Sabia que eu poderia ter me jogado em seus braços, mas ele não aguentaria. Muito forte de academia, muito fraco de amor. Meu coração estava partido, mas ainda estava batendo. No jogo do amor, cada milésimo é uma eternidade. Ele estava atrasado. E eu estava pronta para a próxima rodada.

---
Oi! Tudo bem com vocês? De verdade, espero que sim. Sei que devo explicação a vocês, e vou tentar fazer um post explicando melhor como eu pretendo postar aqui no blog e também pedindo sugestões de como vocês acham melhor. Resumindo: sei que nos ultimos posts eu coloquei da escola (que é hard), mas não é só isso. Mudanças afetam muitas coisas que antes achei que fossem inabaláveis. É um pouco triste, né? E peço mil desculpas a vocês pelo meu sumiço. Eu errei em fazer isso, mas espeto que me deêm mais uma chance. Por favor? 
Beijos, e ainda amo vocês, 
Audrey. 

7 comentários:

  1. Awnnn Audrey <3 Claro que te dou toda chance do mundo...Que bom que vc voltou!!! Tava morrendo de saudades...Cara esse texto ta divo, como sempre neh amore !! Vai ter continuação neh!!??? Awnn ve se nao some ta..Bjus

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhh Audrey eu amei essa one shot! E nao se preocupa moreco, que, eu pelo menos, entendo que podem acontecer varias coisas que acabam nos impedindo de postar, e eu vou continuar lendo suas ibs mesmo que voce demore meeeeses pra postar o proximo capitulo. Beijinhos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pera, é one shot né? Ou vai ter continuaçao? Ndkandjanx

      Excluir
  3. Olá me desculpe por incomodar mais será que poderia divulgar pra mim?
    http://sonhadoraimaginebelieber.blogspot.com.br/
    É muito importante e se for possível eu te agradeceria muito. Mais uma vez me desculpe pelo incomodo e obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
  4. I'm extremely impressed along with your writing skills as
    well as with the format for your blog. Is that this a paid subject matter
    or did you modify it your self? Anyway keep up the excellent quality writing,
    it is rare to peer a great blog like this one today..


    Also visit my site - CHI Straightener

    ResponderExcluir
  5. Oie :3 Troca divulgação? imagine-belieber-me-and-jb.blogspot.com.br
    Obrigadaa :3

    ResponderExcluir
  6. This post is genuinely a fastidious one it helps new web users, who are wishing for blogging.


    My web page; Charlotte Olympia Kitty

    ResponderExcluir