7 de nov de 2014

Our Melody - Capítulo 6


Chapter Six –

“A finalidade da música é fazer com que você se desligue do mundo.”
- Como Eu Era Antes de Você.

Nova Iorque , Estados Unidos.
 Dias atuais.

Assim que Liv terminou de tocar, percebeu que lágrimas escorriam pelo seu rosto. E eram muito delas. Droga, sofrer por amor era uma porcaria. Realmente, aquilo não era para ela.
Deveria ter ouvido Danny. Ele sempre disse que não gostava de Gus. Fernanda o olhava e dizia que ele estava brincando, mas Danny sempre deixou claro que não, não estava brincando.
- Eu não gosto desse cara, Liv. –Danny resmungou carrancudo, enquanto observava Augustus conversar animadamente com sua namorada. –
- Qual é, Danny. Você não gosta de nenhum garoto que tenta se aproximar de mim.
- Isso não é verdade.
A garota revirou os olhou, deitando a cabeça no sofá.
- É claro que é. Diga-me o nome de pelo menos um garoto que eu saí que você não falou mal.
Danny a olhou irritado. Seus olhos azuis faiscaram. Porém, Liv não ligou. Sabia tanto quanto ele que ela estava certa. O garoto tombou a cabeça para o lado, concentrado, tentando lembrar-se de alguém. Porém, nada.
- Tem o...
- Quem?
- Certo! –bufou, contrariado. – Você pode até ter razão, mas escute o que eu digo, Liv, eu não gosto desse cara.
- E por quê?
- Intuição.
- E o que ela diz?
Danny suspirou. Foi um suspiro longo, como se não quisesse acreditar naquelas palavras, mas que mesmo assim era inevitável. Aproximou-se da melhor amiga a abraçando. Beijou sua testa, por um tempo e então sussurrou em seu ouvido:
- Eu não gosto desse cara, Liv, pois sei que ele quebrará o seu coração. E só de imaginar isso o meu se quebra em mil pedaços.
Deveria ter ouvido Danny. Deveria mesmo! Se tivesse ouvido, se tivesse enxergado, não estaria nessa situação. O amor era uma merda. O coração tão cheio de alegria de Olívia estava negro neste momento. Despedaçado.
Ouviu alguns aplausos atrás de si. Deu um pulo de susto e se virou lentamente. As lágrimas atrapalhavam sua visão, mas mesmo assim enxergou a silhueta de um homem. Limpou com as costas da mão seus olhos e os focalizou na imagem a sua frente.
O homem tinha vinte anos, no máximo. Ele usava uma calça meio rasgada, uma blusa branca em V e uma jaqueta de couro preta. Um verdadeiro badboy. Ele sorria. Sorria abertamente. Era uma coisa linda de se apreciar. A garota sentiu suas bochechas ficarem quente. Céus, por que com ela?
Por quê?
- Isso foi... sensacional.
A voz dele era rouca. Linda. De alguma forma bizarra aquela voz a acalmou por dentro. Deu um pequeno sorriso, olhando para baixo por causa da vergonha. Era muito tímida.
- Obrigada.
A menina sempre recebia elogios, mas isso não significava que ela sabia reagir a eles. Jogou o cabelo para trás e encarou novamente aqueles olhos cor de mel, intensos.
- Eu estava começando a achar que você era invisível.
Ela tentou segurar, mas um grande sorriso saiu de seus lábios. E o que a impressionou era que foi o primeiro sorriso verdadeiro que deu em semanas.
- Sou apenas reservada. Porém, sim, estou chegando perto disso.
Seus olhos brilharam de uma forma estranha. Curiosidade, talvez?
- Gosta de ser invisível?
Ela pensou a respeito disso. Será que ela gostava? Nunca se importou na escola em ser popular, ser notada ou desejada. Isso nunca tomou muito de seu tempo. Se alguém gostasse dela, gostaria pelo que ela era. E não por alguém que a idealizavam em sua mente. Fora que Olívia nunca quis ser popular. Afinal, quanto se tem um tanto de admiradores, tem também de inimigos.
- Gosto. Você não?
- Por que eu gostaria?
- Privacidade, talvez?
- Existe outro motivo, além desse?
- Não sou boa com pessoas. –Deu de ombros, sorrindo fraco. –
O garoto dos olhos cor de mel abriu um belo sorriso, mostrando todos seus perfeitos dentes. Aproximou-se um pouco.
- Eu também não. Acho que se identificamos nisso.
- Se não fosse bom com pessoas não estaria aqui conversando comigo.
- E nem você comigo.
- Touché.
Os dois depois disso ficaram em silêncio. Justin encarava a garota desconhecida em sua frente com certa compaixão. Ele podia sentir a tristeza dela de longe. O que mais chamou a atenção dele foi que enquanto ela tocava, qualquer um que prestasse atenção, podia sentir o que ela sentia. Ela transmitia isso sem esforço. E ele, como músico, sabia que isso não era fácil.
Na verdade, qualquer um que prestasse atenção nela por si só, poderia ver que tinha algo extremamente errado. Aquela feição triste não combinava com a face delicada que a menina tinha. Quando Justin a fez sorrir, sentiu algo dentro de si. Algo maravilhoso.
Algo que não sentia a um bom tempo.  
- Qual é o seu nome? -Ele perguntou. –
A menina segurava o violino fortemente. Estava nervosa, ficava sempre assim quando conversava com um garoto. Ainda mais quando o garoto era lindo de morrer, igual a esse caso.
- Olívia. Mas todos me chamam de Liv. E o seu?
- Justin. Justin Bieber. –Ele abriu um sorriso. – É um prazer conhece-la, finalmente.
Olivia ruborizou, fazendo Justin sorrir mais ainda. Não de um modo zombeteiro, mas sim terno. Aproximou-se mais dela, parando em sua frente.
E então se encostou à parede branca que cercava o jardim. Cruzou os braços e ficou a analisando. Já Olivia ficou sem graça. Na verdade, quis morrer ali mesmo. O que ele esperava que ela fizesse? Aquilo estava deixando a constrangida. Limpou a garganta e resolveu fazer algo a respeito.
- O que tanto olha?
- Você.
Ficou mais vermelha ainda. O que diabos estava acontecendo? Com seu violino em mãos, resolveu sair dali. É, era isso que faria. Deu um sorriso singelo para ele e começou a andar em direção a porta que levava para dentro. Porém, antes que pudesse alcança-la, sentiu algo segura-la. Era uma mão. E ela já sabia de quem era, obviamente. Virou-se lentamente.
- Não vá ainda.
Sua voz não era ameaçadora. Era suplicante. Liv assentiu e Justin a soltou delicadamente.
- Pode me fazer um favor?
- Claro.
- Pode tocar alguma música para mim?
Olívia ficou surpresa com o pedido. Justin fazia o estilo mais... rockeiro, digamos assim. Ele tinha um piercings no lábio inferior, o que deixava mais sexy ainda.
O que eu estou pensando?, se censurou.
- Depende, o que você quer que eu toque?
Ele sorriu. De novo.
- Me surpreenda.
Certo, surpreender. O que ela poderia tocar? Arriscar em uma música do estilo dele ou tocar algo de seu gênero mesmo? Não sabia. Não sabia mesmo.
E então uma música veio em sua mente. Era bem bonita a letra e ficava linda no violino. Resolveu tocá-la.
Pigarrou, um pouco sem graça, e posicionou o violino na posição certa.
Fechou os olhos e limpou sua mente. Pensou apenas na música. Na letra. Na melodia. No momento, era só aquilo que importava.
Começou a tocar, delicadamente. Sentia aquela mesma emoção, igual a toda vez que tocava. Sentia uma corrente elétrica passar pelo seu corpo. Seu coração bater rápido e seu sangue circular rápido.
Olívia sempre tocou de ouvido. Foi sempre assim. Era um talento absurdamente raro e especial. Devo acrescentar que difícil também. 
Justin a olhava encantado. Era incrível como aquela garota parecia pertencer ao mundo da música. Sentiu, de repente, um pouco de inveja. Sabia que não era tão boa quanto ela. Que não transmitia aquela emoção ao público. Pelo menos achava que não.
Mas, aquela música o desconcertou um pouco. Lembrou-se de Candice. Sua Candice. Fechou os olhos, com pesar. A vida era um belo pedaço de bosta, mesmo. Depois de tudo o que ela vez... como ele conseguia ainda pensar nela? Como ousava?
Era um imbecil, mesmo.
Liv não estava tão diferente. Lembrou-se novamente de Augustus. Parecia que tudo sempre levava a ele. Sempre. Era incrível, mesmo quando pensar nele era a última coisa que queria fazer em sua vida.
Estava tão absorvida tocando, que quase nem notou uma voz a acompanhando de leve.
Quase.
Ela abriu os olhos, cautelosa. Sem parar de tocar, claro. E o viu. Justin estava com os olhos fechados, com a cabeça tombada para trás e suas mãos entrelaçadas uma com a outra. Ele cantava com tanta emoção que Liv sentiu lágrimas brotarem em seus olhos.
- Say something, I'm giving up on you.
Uma mecha caía sobre seus olhos fechados. Todavia, ele não parecia se importar com isso.
- And I will swallow my pride. You're the one, that I love. And I'm saying goodby.
Estavam no alto da música. E não vacilaram. A voz do Justin se encaixou perfeitamente com o violino e com a música. Demostrou uma emoção tão forte que a fez se emocionar.
E claro, ela não pode deixar de reparar que sua voz era... mágica.
A música acabou e os dois ficaram em silêncio. Justin ainda estava de olhos fechados. Sabia que se abrisse, lágrimas sairiam descontroladamente. Era sempre assim. Já Liv o olhava com os olhos arregalados.
Como era humanamente possível alguém ter aquela voz? Era tão rouca, tão bela, tão única... Jamais tinha ouvido igual. Sorriu, só de lembrar.
Justin abriu os olhos quando teve certeza que não choraria. Pelo menos não até chegar ao seu quarto. Foi aí que seus olhos se encontraram com os dela. A menina parecia surpresa até demais. Todavia, ele não ficou ofendido.
- Isso foi... –Ela se engasgou com as palavras, não conseguindo terminar. –
- Depressivo? -sorriu torto, tentando brincar. –
-... Lindo. –Continuou, maravilhada. – Sua voz... uau.
Estava corada. Não era muito comum dar ataque de fanatismo, ainda mais para um garoto. Mas dessa vez ela não conseguiu controlar. Parecia que as palavras saiam de sua boca sem a sua permissão. Era uma coisa assustadora.
No entanto, Justin não empinou o queixo e deu uma de convencido, como ela imaginava que fosse fazer. Não, ele fez exatamente o oposto. Encarou-a, surpreso, com os olhos brilhando.
- Você realmente acha isso?
Ele estava brincando?, pensou ela.
Porém, ela mais que ninguém sabia como isso funcionava. Às vezes as pessoas não enxergavam o talento que tinham. Isso era bem comum.
- É que... –ele continuou, antes que ela respondesse. – as pessoas parecem não gostar muito. Pelo menos as gravadoras.
A garota deu um sorriso pequeno. Como alguém poderia rejeitar um artista como Justin? Não fazia sentido. Será que as pessoas além de cegas estavam surdas? Porque não haveria outra razão plausível.
- Justin, você nasceu para isso. Eu não sei cantar, mas entendo de música. –encolheu os ombros. – E você tem potencial. Pode chegar longe. Nunca desista, tá legal? Prometa.
Ele a olhou, com um sorriso brincalhão nos lábios. Aquela menina era mesmo um barato! Ela sorria meio tímida, mas seus olhos estavam sérios. Ela ainda segurava o violino com uma mão, mas a outra estava estendia para ele. Para selar a promessa.
Ele a olhou, curioso.
- Por que se importa tanto a ponto de querer que eu prometa?
- Porque não acho justo que não compartilhe com o mundo o dom que tem.
Um sorriso se espalhou pelo seu rosto. Era incrível como mesmo a conhecendo somente há alguns minutos, ele já gostava bastante dela.
- Certo, eu prometo. Com uma condição.
- Diga.
- Quero que prometa para mim que também nunca desistirá da música. Principalmente do violino.
- Por que se importa tanto a ponto de querer que eu prometa? - Ela o imitou, escondendo um sorriso. –
Ele rolou os olhos, divertido. Aproximou-se com os olhos brilhando como duas estrelas.
- Porque acho que não suportaria se essa fosse à última vez que eu a ouvisse tocar.
Olívia o olhou, curiosa. O garoto não desviou o olhar em nenhum momento, apenas sustentou ainda mais. 
Por fim, os dois entrelaçaram os dedinhos. Sorriram com a cena. E depois gargalharam. Aquilo estava mesmo acontecendo?
- Promessa é dívida.
- Eu sei. –ela respondeu. – Espero que cumpra a sua.
- Estarei de olho em você também, senhorita Olívia.
Sorriam um para o outro por um tempo e depois quando o assunto acabou cada um foi até seu próprio quarto. Podiam até pensar que aquilo foi uma coisa momentânea. Uma conexão doida de uma noite... Mas no fundo, bem no fundo, sabiam que não era nada disso.

Sabiam que aquilo não era o fim e sim apenas o começo. 

-------------------
EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE! FINALMENTE, HEIN? QUEM GOSTOU DESSE CAPÍTULO? ME DIGAM O QUE ACHARAM! Eu, particularmente, gostei. Eles são muito fofos, né? Eu shippo! saihsiah Versão interativa em breve, para quem prefere! hahaha
E sim, o Justin tem piercings nessa fic. Pois é, garotas. Tem até alargador, mas nada exagerado ahuahsu Espero que tenham gostado dessa versão dele ;)
É isso, não esqueçam de me contar o que acharam hein! Quero muito saber...
Ah, e o resultado da votação sai amanhã. Então todo mundo votando que nem loucosssss
Xoxo

Divulgados: 
http://fanfics-bizzle.blogspot.com.br/
http://belieberswagon.blogspot.com.br/


Quer ver o trailer da fanfic? Basta clicar aqui!
Quer conhecer melhor os personagens? Clique aqui!

Respostas dos comentários: aqui


Nenhum comentário:

Postar um comentário